Livre vai pedir tolerância de tempo nas intervenções de Joacine

Livre

Joacine Katar Moreira, Partido Livre

O Livre vai solicitar ao próximo presidente da Assembleia da República uma “tolerância de tempo” relativamente às intervenções da deputada eleita Joacine Katar Moreira, que tem gaguez, disse à Lusa o dirigente Paulo Muacho.

“Consideramos que para haver um tratamento igualitário e igualdade de oportunidades, tem de haver uma tolerância de tempo e tem de ser atribuído o tempo para que a deputada possa expor as suas ideias”, defendeu, em declarações à agência Lusa, Paulo Muacho, da direção política do partido.

Assim, depois de Joacine Moreira tomar posse como deputada, o Livre “irá levantar a questão” junto do próximo presidente do parlamento, disse, considerando que a Assembleia da República deve “dar o exemplo” e “adaptar os seus procedimentos internos para acolher a vontade do povo português” que a elegeu, disse.

“A deputada tem gaguez, mas nós não dizemos que a gaguez é um problema” e “não será por uma questão de tempos que deixará de ter oportunidade para expor as suas ideias”, afirmou, sustentando que “é uma questão fundamental até pela pedagogia que pode resultar para a sociedade”.

É fundamental “perceber-se que a igualdade não pode ser uma questão formal de atribuir o mesmo tempo a pessoas que não estão em circunstâncias iguais”, considerou Paulo Muacho, antecipando que a Assembleia da República saberá encontrar um critério.

O regimento da Assembleia da República estabelece que aos deputados únicos representantes de um partido é garantido um tempo de intervenção de um minuto nos debates dos projetos e propostas de lei em plenário e o mesmo tempo é atribuído nos debates quinzenais com o primeiro-ministro.

A gaguez é uma perturbação da fluência da fala, não sendo considerada uma doença nem uma deficiência, e é caracterizada por pausas no discurso, hesitações ou bloqueios.

O Livre tem ainda a expetativa de que a deputada eleita possa integrar a conferência de líderes parlamentares – órgão que fixa a agenda das reuniões plenárias – na qualidade de observadora, tendo em conta “que a legislatura anterior abriu um precedente”, atribuindo, em 2015, ao então deputado único do PAN, André Silva, aquele estatuto.

Com uma deputada eleita, o Livre obteve 1,09% e 55.660 votos. O Chega e a Iniciativa Liberal elegeram também um deputado cada, com 1,3% e 1,29% dos votos, respetivamente.

// Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Meia hora a mais de tolerância deve chegar !!!!…Todos vão ter que mostrar alguma paciência, especialmente o Chega e Iniciativa Liberal !… Algo me diz que os próximos debates quinzenais vão ser épicos, no fundo como na forma !

RESPONDER

Foi a escuridão (e não o frio) que ditou a extinção dos dinossauros

Uma nova investigação sobre o asteróide que causou a extinção dos dinossauros sugere que foi a escuridão, ainda antes do frio, que ditou o fim destes animais. De acordo com a nova investigação, cujos resultados foram …

34 anos depois, dados da Voyager 2 revelam mais um segredo de Urano

Mais de 30 anos depois, os dados da Voyager 2, que sobrevoou o planeta em 1986, permitiram aos cientistas da NASA desvendar mais um segredo de Urano. Em janeiro de 1986, a Voyager 2 sobrevoou Urano. …

Está a nevar em Plutão

Em julho de 2015, a sonda New Horizons da NASA concluiu uma longa e árdua jornada pelo Sistema Solar, viajando a 36.000 mph durante nove anos e meio. Toda a missão focava-se em mapear a …

Cientistas dão um importante passo na criação de uma Internet quântica segura

Uma nova investigação da Universidade de Harvard e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos, revelou o elo que faltava para termos uma Internet quântica funcional e prática: uma forma de corrigir os …

Os pedregulhos de Bennu brilham como faróis para a Osiris-Rex da NASA

Este verão, a sonda OSIRIS-REx empreenderá a primeira tentativa da NASA de tocar a superfície de um asteroide, recolher uma amostra e recuar em segurança. Mas, desde que chegou ao asteroide Bennu há mais de …

Cidades subterrâneas podem ser um bom refúgio para futuros desastres

Especialistas ouvidos pelo portal One Zero acreditam que cidades subterrâneas podem ser um bom refúgio para populações que possam vir a enfrentar desastres naturais no futuro potenciados pelas alterações climáticas. À medida que os desastres naturais …

Descobertas três novas espécies de pterossauro em Marrocos

Cientistas encontraram três novas espécies de pterossauro, que viveram no deserto do Sahara, há 100 milhões de anos, em Marrocos. De acordo com o site EurekAlert!, estas três novas espécies de pterossauro faziam parte de um …

Texto português do século XVI mostra eficácia da quarentena

Um especialista australiano descobriu num texto português do século XVI uma prova de que a quarentena ou o isolamento podem impedir a globalização de uma doença como a covid-19, que já provocou mais de 30 …

Coronavírus. Mercados chineses continuam a vender morcegos

Nem com a pandemia de covid-19 a China abre mão dos seus velhos hábitos. Embora o novo coronavírus tenha tido origem num mercado de animais exóticos, em Wuhan, muitos destes sítios continuam a funcionar normalmente …

No Twitter, o discurso de ódio contra chineses cresceu 900%

A L1ght, uma empresa que mede a toxicidade das plataformas digitais, partilhou recentemente um relatório no qual revela que o discurso de ódio contra a China e contra os chineses teve um crescimento de 900%. Donald …