Novo recuo em Lisboa. Canceladas as feiras do Relógio, da Ladra e das Galinheiras

Miguel A. Lopes / Lusa

Fernando Medina, presidente da Câmara de Lisboa.

As feiras na Área Metropolitana de Lisboa foram canceladas na sequência da evolução do surto da covid-19 na região de Lisboa e Vale do Tejo.

Em Lisboa, a Câmara Municipal anunciou o cancelamento das feiras na área do município, nomeadamente a suspensão das feiras do Relógio, da Ladra e das Galinheiras.

No comunicado esta quinta-feira publicado, a autarquia, avança que a medida surge na sequência da resolução nº 45-B/2020 do Conselho de Ministros, de 22 de junho e que a suspensão será mantida “até nova avaliação”.

Em declarações à agência Lusa, José Luís, da Associação Feirantes do Distrito de Lisboa (AFDL) explicou que, além das feiras do município de Lisboa, a associação recebeu a indicação por parte das juntas de freguesia respetivas que as feiras da Arroja e de Odivelas (Odivelas) e de Monte Abraão (Massamá – Sintra) tinham sido igualmente suspensas.

É um bocado injusto fecharem as feiras e o resto do comércio manter-se aberto, como é o caso dos ‘shoppings’”, disse o responsável acrescentando que, apesar de as pessoas “ainda andarem um bocado assustadas” e de haver “poucas pessoas” nas feiras, os feirantes já começaram a “pôr as coisas direitinhas”.

“Volta agora tudo a andar para trás”, reconheceu.

De acordo com o responsável, o argumento apresentando é que será avaliada semanalmente a decisão em manter canceladas ou não as feiras.

“Este fim de semana já fecham, para a semana, se continuar da maneira que está a subir o número de casos, terá de continuar [suspensa], se abrandar logo se verá”, explicou, mantendo alguma esperança no Conselho de Ministros de hoje para saber as medidas em concreto para a Área Metropolitana de Lisboa (AML).

O dirigente reiterou a injustiça da decisão de cancelar as feiras, lembrando que estas se realizam em céu aberto e não em espaço fechado como os centros comerciais.

“Não era preciso as feiras fecharem na totalidade, podiam deixar o ramo dos bens de primeira necessidade. O ramo das hortícolas, das frutas, queijos, pão, etc”, afirmou, sublinhando que, “mais uma vez, se vão crucificar os pequeninos em beneficio dos grandes”. As pessoas sem a feiras “voltam-se novamente para as grandes superfícies”.

Passo atrás

Depois de cerca de um mês em que não foi permitida a realização de feiras e mercados devido à pandemia covid-19, em 2 de abril, os vendedores itinerantes puderam continuar a operar nas localidades onde essa atividade era necessária para garantir o acesso a bens essenciais pela população.

Segundo o decreto da Presidência do Conselho de Ministros, de 2 de abril, a identificação das localidades onde a venda itinerante seja essencial para garantir o acesso a bens essenciais pela população “é definida por decisão do município, após parecer favorável da autoridade de saúde de nível local territorialmente competente, sendo obrigatoriamente publicada no respetivo sítio na Internet”.

Em 20 de março, a Federação Nacional das Associações de Feirantes (FNAF) pediu apoio financeiro ao Governo, depois de os comerciantes terem deixado de trabalhar e ficado sem qualquer fonte de rendimento, devido à pandemia de covid-19.

Numa carta dirigida ao primeiro-ministro, António Costa, a FNAF referiu que os feirantes foram esquecidos e que o que vendem nas feiras é o único meio de subsistência.

Em 30 de abril, quando foram anunciadas as medidas da primeira fase do desconfinamento, a Federação Nacional das Associações de Feirantes (FNAF) considerou “lamentável e vergonhoso” que os mercados e feiras tivessem de permanecer encerrados, considerando a medida discriminatória em relação à reabertura do comércio então anunciada. Só em 15 de maio, o Governo determinou que as feiras e os mercados podiam reiniciar a atividade, “devendo para tal existir um plano de contingência”.

Portugal contabiliza pelo menos 1.549 mortos associados à covid-19 em 40.415 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Mestre do churrasco", "lenda da brincadeira" e homem de "honra". William e Harry recordam avô

Os príncipes William e Harry prestaram hoje homenagem, em comunicados separados, ao príncipe Filipe, que morreu na sexta-feira aos 99 anos no Castelo de Windsor, lembrando o avô como um homem “extraordinário” marcado pelo “dever” …

Em São Miguel, os restaurantes de concelhos em nível de alto risco fecham as portas a partir de amanhã

Todos os estabelecimentos de restauração, bebidas e similares nos concelhos do Nordeste e Vila Franca do Campo, em São Miguel, nos Açores, vão encerrar a partir de terça-feira, funcionando apenas em regime de take-away ou …

O Brasil está a construir uma nova estátua gigante de Cristo. Vai ser mais alta que a do Rio de Janeiro

Uma nova estátua gigante do Cristo que está a ser construída no sul do Brasil será ainda mais alta do que a icónica estátua do Cristo Redentor com vista para o Rio de Janeiro. Cabeça e …

Costa anuncia 252 milhões de euros de investimento na investigação e economia do mar

O primeiro-ministro anunciou hoje que o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) vai ter uma verba de 252 milhões de euros autonomizada para financiar investimentos na investigação, na economia do mar e na segurança pesqueira. Além …

Setor da restauração diz que os apoios e horários estabelecidos aumentam a “escravização"

Segundo um documento da PRO.VAR, dois em cada três (66,4%), dos estabelecimentos localizados em centros comerciais, ponderam apresentar pedidos de insolvência. O trabalho tem por base um inquérito a empresas do sector realizado entre os dias …

Ucrânia diz que Rússia não responde a pedido de conversações, mas conta com o apoio da NATO

O Presidente ucraniano, Volodimir Zelenskii, disse que ainda não conseguiu falar com o seu homólogo russo, Vladimir Putin, para discutir a escalada do conflito no Leste da Ucrânia. A Rússia e a Ucrânia acusam-se mutuamente de …

"O trabalho liberta." Polícia comunica pichagem nazi no Porto ao Ministério Público

A Polícia Municipal vai comunicar ao Ministério Público (MP) uma pichagem num portão da Avenida do Brasil, no Porto, com a frase nazi "o trabalho liberta". Uma pichagem num portão da Avenida do Brasil, no Porto, …

Um morto e um ferido em tiroteio junto a hospital em Paris. Atirador encontra-se em fuga

Um tiroteio numa rua no bairro 16 da capital francesa causou a morte de um segurança do hospital Henry Dunant e ferimentos muito graves numa utente. Os disparos deram-se em frente ao hospital Henry Dunant, …

Bloco de Esquerda quer plano nacional de férias de Verão financiado pelo Governo

O Bloco de Esquerda vai entregar um projeto de lei na Assembleia da República para que o Governo defina um programa de férias de Verão. Catarina Martins, coordenadora do partido, frisa que a maior parte …

Índia ultrapassa Brasil e é o segundo país mais afetado pela covid-19

A Índia é o segundo país mais afetado pela pandemia de covid-19, ultrapassando o Brasil, depois de registar um valor máximo de 168 mil novas contaminações nas últimas 24 horas. O país, com 1,3 mil milhões …