Lhuzie é a primeira bebé com nome próprio mirandês

Paul Goyette / Wikimedia

-

Nasceu em Lisboa há um mês e promete fazer história ao tornar-se na primeira criança com nome próprio mirandês, pelo menos desde o reconhecimento como segunda língua oficial de Portugal, há 15 anos.

Chama-se Lhuzie (pronuncia-se como se se escreve com acento na última sílaba) e a atribuição do nome, disse fonte da família, teve de passar por um pedido especial que foi aceite há dias e que abre as portas a quem quiser dar nomes em mirandês aos filhos.

Lhuzie, equivalente a Luzia em português, é neta do principal estudioso da atualidade da língua mirandesa, Amadeu Ferreira, um mirandês levado para Lisboa pelo êxodo transmontano, que empurrou também o filho e a nora, pais da bebé.

“É um orgulho o primeiro registo em mirandês ser da minha neta”, afirmou à Lusa, embora a ideia nem tenha sido dele. Foi da mãe de Lhuzie.

O mirandês, falado junto à fronteira num recanto de Trás-os-Montes, é desde 1999, a segunda língua oficial de Portugal, mas até aqui apenas há registos de nomes de pessoas coletivas, nomeadamente associações.

braganca.pt

Amadeu Ferreira, o principal estudioso da língua mirandesa, é o avô de Lhuzie

Amadeu Ferreira, o principal estudioso da língua mirandesa, é o avô de Lhuzie

Relativamente a pessoas individuais, Amadeu Ferreira garante que “é a primeira vez, é um feito histórico”.

A atribuição de nome em Portugal obedece a regras muito estritas e só podem ser atribuídos a cidadãos portugueses os nomes próprios constantes de uma lista onomástica.

O de Lhuzie foi agora acrescentado a esta lista, mas foi necessário um pedido especial e uma sustentação jurídica para convencer os serviços dos Registos e Notariado de que ele existe e não traz qualquer prejuízo ao portador por poder ter conotações negativas.

O pedido foi fundamentado com o direito ao nome reconhecido na Constituição, a lei que reconhece os direitos linguísticos dos mirandeses e outros documentos históricos como uma publicação de vocabulário mirandês do padre Moisés, onde consta o nome, como explicou à Lusa o pai de Lhuzie, José Pedro Ferreira.

Os pais entenderam que “era muito importante passar a língua para a próxima geração e o que melhor senão o próprio nome”.

José Pedro acha que a filha não vai estranhar o nome e se for falante do mirandês e de outras línguas, como os pais esperam que seja, não estranhará.

Uma feliz coincidência é Lhuzie ter nascido próximo do Dia Europeu das Línguas, que se assinala a 26 de setembro, e que para os pais tem “um sentido especial” por serem bilingues.

O registo do nome acaba por ser para este pai “mais um passo em direcção ao uso natural do mirandês em todos os contextos do quotidiano”.

Para José Pedro, que é investigador no Instituto de Linguística Teórica e Computacional – ILTEC,” a aceitação do registo pode ser um feito muito importante para o mirandês”, uma língua “ameaçada, minoritária, mais usada em casa, no âmbito familiar e de trabalho, sobretudo no campo e na pastorícia”.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Quem dera essa lei que só permite colocar “nomes próprios constantes de uma lista onomástica” aos filhos existisse no Brasil, assim evitaríamos verdadeiros “crimes” contra a língua Portuguesa. Varsomar, Luziclei e outros estariam salvos…

RESPONDER

Subsídio europeu de 150 euros mensais para tirar 5 milhões de crianças da pobreza severa

Arrancou nesta sexta-feira, no Porto, a Cimeira Social promovida pela presidência portuguesa do Conselho da União Europeia. Um momento que o ex-ministro Pedro Marques aproveita para lançar a ideia de um novo apoio social de …

Banca empresta 475 milhões para Fundo de Resolução pagar ao Novo Banco

O sindicato bancário, composto por sete bancos, vai proceder ao financiamento do Fundo de Resolução para este cumprir a injeção de capital no Novo Banco já na próxima semana. O Jornal Económico avança, esta sexta-feira, que …

China suspende "diálogo económico" com a Austrália e denuncia "mentalidade de Guerra Fria"

Esta quinta-feira, o Governo chinês anunciou a suspensão "por tempo indefinido" de todas as atividades realizadas no âmbito da iniciativa "Diálogo Económico Estratégico China-Austrália". As relações entra a China e o ocidente estão cada vez mais …

Bolsonaro diz ter tido sintomas de reinfeção. China acusa-o de "politizar" novo coronavírus

O Presidente do Brasil admitiu na quinta-feira que teve sintomas de reinfeção pelo novo coronavírus "há poucos dias" e afirmou que tomou ivermectina, fármaco sem comprovação científica contra a covid-19. As declarações de Jair Bolsonaro foram …

"É fácil despedir". PCP quer mudar regime de despedimento coletivo e extinção de postos de trabalho

O PCP vai entregar na Assembleia da República esta sexta-feira um projeto de lei que visa limitar os despedimentos coletivos e a extinção de postos de trabalho, eliminando o despedimento por inadaptação. O objetivo do partido …

Páginas ocultas do PRR revelam "reedição da troika" na reforma aos hospitais

O Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) prevê uma concentração das urgências da Grande Lisboa e Grande Porto, cortes nos gastos e uma gestão dos hospitais mais vigiada com imposição de objetivos financeiros. O jornal Expresso …

Já há uma explicação científica para as "dunas" do céu do Norte

Um ano depois da sua observação, as auroras de dunas, ou auroras boreais em forma de duna, já possuem confirmação e explicação científica. A aurora boreal nasce quando as partículas carregadas expelidas pelo Sol, como eletrões, …

Praia. Desporto e equipamentos de lazer vão ter regras novas

O Governo aprovou esta quinta-feira as regras de acesso e ocupação das praias durante a época balnear, com alterações em relação ao ano passado ao nível da atividade desportiva no areal e da utilização de …

Bastião trabalhista derrotado. Conservadores conseguem vitória na "muralha vermelha" britânica

Os conservadores conseguiram derrubar o domínio trabalhista do círculo de Hartlepool. Jill Mortimer venceu com mais de 50% dos votos e ajudou a reforçar a maioria de Boris Johnson, primeiro-ministro britânico. O antigo deputado trabalhista Mike …

Curso de Medicina na Católica vai custar 100 mil euros. Candidaturas terminam este mês

A Universidade Católica Portuguesa (UCP) anunciou, em setembro do ano passado, ter recebido luz verde da Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES) para o curso de Medicina. Agora, sabe-se que vai custar …