Lesados do BES processados pelo Novo Banco

António Cotrim / Lusa

Manifestação dos lesados do papel comercial do BES, promovida pela Associação dos Indignados e Enganados do Papel Comercial, em frente a sede do Novo Banco, em Lisboa

Manifestação dos lesados do papel comercial do BES, promovida pela Associação dos Indignados e Enganados do Papel Comercial, em frente a sede do Novo Banco, em Lisboa

O Novo Banco já tinha ameaçado os lesados do BES com uma possível ação judicial caso continuassem os protestos nas suas instalações. A promessa foi cumprida no início deste mês.

No início deste verão, nomeadamente em maio e depois em junho, a instituição já tinha prometido que ia tomar medidas legais contra o comportamento dos lesados nas suas instalações.

Ana Bela Rodrigues é a primeira cliente constituída arguida no processo em tribunal levado a cabo pelo Novo Banco, revela esta segunda-feira o jornal Sol.

Desempregada e com 46 anos de idade, Ana Bela foi notificada no dia 9 de outubro da respetiva ação judicial e, na quarta-feira passada, foi chamada para depor no posto da GNR da sua área de residência.

A lesada do BES contou ao Sol que foi constituída arguida por “ofensas verbais a três colaboradores do Novo Banco”, estando agora sujeita ao termo de identidade e residência.

De acordo com esta medida de coação, a antiga cliente não pode mudar de residência nem ausentar-se por mais de cinco dias sem comunicar às autoridades.

O Sol teve acesso ao auto de constituição de arguido, o qual mostra que Ana Bela optou pelo silêncio durante o interrogatório feito pela GNR.

“Não respondi porque a ação judicial diz respeito a protestos com centenas de lesados, incluindo emigrantes, à porta do banco e não à minha vigília diária. Não provoquei qualquer incidente, mas como os gestores e funcionários do banco já me conhecem e sabem o meu nome, eu sou o alvo do processo”, explicou.

Ana Bela está há quase cem dias em vigília na sede do Novo Banco, em Lisboa, e contabiliza quase 700 horas em “protesto silencioso”. Porém, garante que a tentativa do Novo Banco para “assustar” os clientes não a demove do seu principal objetivo.

“Voltei para a porta da sede do Novo Banco. Não vou desistir do meu protesto enquanto não me devolverem o meu dinheiro”, afirma.

De acordo com a informação apurada pelo mesmo jornal, um outro lesado do BES, Paulo Campos, é alvo da mesma ação judicial mas ainda não foi notificado.

Os dois terão certamente o apoio da Associação de Lesados e Indignados do Papel Comercial, a qual considera que estas ameaças por parte do Novo Banco não vão ter sucesso.

“Não vamos amedrontar-nos ou abandonar a reivindicação até a situação estar resolvida”, afirma Ricardo Ângelo, presidente da AIEPC.

Aliás, a associação está já a preparar mais uma mobilização, ainda sem data definida. Mas uma coisa parece estar certa: os lesados vão manifestar-se no local da tomada de posse do novo Governo.

ZAP

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Esta é uma notícia fantástica, porque mostra a que ponto, as pretensas “pessoas de bem” não olham a meios para defenderem a sua posição, por mais ilegítima que ela seja. Assim, a pessoa Novo Banco lança mão de um expediente ilegítimo para amedrontar e achincalhar, quiçá quebrar, aqueles que foram criminosamente espoliados daquilo que lhes pertencia (cf. nas palavras da arguida: “Não provoquei qualquer incidente, mas como os gestores e funcionários do banco já me conhecem e sabem o meu nome, eu sou o alvo do processo”. Grande expediente, hein?! A situação fez-me recordar um caso que se passou há uns anos: um desastrado assaltante ficou preso quando tentava entrar para assaltar uma residência ou um comercio. Aproveitando a imobilização do assaltante, ou drogadito, o dono aplicou-lhe umas valentes bordoadas no lombo! Quando se viu livre, o assaltante frustrado apresentou queixa contra o que lhe tinha dado uma achega! Neste caso, ao não reembolsarem aqueles que foram burlados pelo BES, também o Novo banco estava a pedi-las. E parece-me que a procissão apenas vem no adro…
    Força a todas as vítimas do BES! Não se calem, pois quem cala consente!

  2. Um espetaculo estas leis……o povo é roubado à força e nada fazem……SOCRETES rouba à grande e ainda tem beneficios…… Portugal está podre…..Portugal precisa de outro 25 Abril mas com fogo……

  3. Sao 400.000.euros.trabalho da Franca de 40 anos.Nao a palavras?!Este Pais nao pode ter perdao,pelo mal que me fez.Trabalho da Franca,para gatunos em Portugal.

    • A ignorância é mesmo triste!…
      Então põe-se a fazer investimentos de risco e a comprar papel comercial e o país é que tem culpa?!
      Para a próxima não seja tão ganancioso e informe-se antes de investir (e de assinar os papeis)!!

  4. E muito bem!!
    Se são gananciosos e ignorantes e não sabem ler o que assinam, que culpa tem o Novo Banco?!
    Compraram papel comercial sem sem se preocuparem em sequer saber o que era (a pensar que iram ficar ricos!) e, como deu para o torto, agora são todos coitadinhos e foram todos enganados!…
    Tá bonito…
    Pelo menos, iam atrás do Salgado e companhia, não dos funcionários do NB que nada tem a ver com o assunto!!

Responder a TU Cancelar resposta

"Dirty Dancing" está de volta e conta com Jennifer Grey

John Feltheimer, CEO da Lionsgate, confirmou ao The Guardian que a produtora está a desenvolver uma sequela de Dirty Dancing. O clássico dos anos 80 que agora regressa foi protagonizado originalmente por Patrick Swayze e …

A Bugatti está a vender um carro elétrico "para crianças". Chama-se Baby II e custa 30 mil euros

A Bugatti e a Little Car Company, sediada em Londres, uniram-se para criar 500 Bugattis elétricos em miniatura para crianças. Agora, fruto dos desenvolvimentos mundiais, alguns veículos ficaram disponíveis para compra. O mais recente brinquedo da …

50 anos de monarquia e uma guerra de dias. A pandemia "matou" a micronação mais antiga da Austrália

O reinado de 50 anos de uma micronação na Austrália chegou ao fim devido ao impacto económico da pandemia de covid-19, que fez com que o autodeclarado principado se rendesse ao país. Hutt River, um principado …

NASA vai rebatizar planetas e outros corpos celestes com nomes ofensivos

A agência espacial norte-americana (NASA) anunciou que vai rebatizar alguns planetas, galáxias e outros corpos celestes que possuem nomes "ofensivos". Em comunicado publicado esta quinta-feira, a NASA explica que vai abandonar os nomes "não-oficiais" a …

O maior parque de crocodilos da Índia está à beira da falência. Abriga mais de 2.000 animais

O maior parque de crocodilos da Índia, localizado perto da cidade de Chennai, no sul do país asiático, encontra-se à beira da falência depois de a pandemia de covid-19 ter obrigado a fechar o espaço …

Campanha científica acrescenta mais de 37 mil quilómetros quadrados ao mapa do mar português

A campanha científica que o navio hidro-oceanográfico D. Carlos I da Marinha Portuguesa realizou durante nove semanas nos Açores, para levantamentos hidrográficos, permitiu “acrescentar cerca de 37.500 quilómetros quadrados sondados ao mapeamento do mar português”. Numa …

Apesar dos alertas, houve quem plantasse as sementes misteriosas da China (e já começaram a crescer)

Durante as últimas semanas, pessoas em todo o mundo têm recebido, sem ter encomendado, nas suas caixas de correio sementes com origem na China. Apesar dos avisos em contrário, houve quem plantasse os misteriosos presentes. As …

Marcelo veta redução de debates sobre a Europa. Não foi uma "solução feliz"

O Presidente da República vetou esta segunda-feira a redução do número de debates em plenário para o acompanhamento do processo de construção europeia de seis para dois por ano, defendendo que não foi uma “solução …

Boris Johnson admite alargar quarentena a mais países

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, admitiu esta segunda-feira alargar o sistema de quarentena a pessoas que cheguem de países atualmente isentos para reduzir o risco de infeção com a doença covid-19 no Reino Unido. "No contexto …

Novo lay-off. Ajuda da Segurança Social para pagar subsídios de Natal pode chegar só em 2021

O apoio ao pagamento do subsídio de Natal previsto pelo Governo para apoiar as empresas no âmbito do novo regime de lay-off, que entrou em vigor em agosto, poderá só ser pago pela Segurança Social …