João Leão prevê para este ano défice de 4,5%. Ministro afasta aumento de impostos e austeridade

A terceira vaga da pandemia forçou o Governo a rever em baixa a previsão de crescimento da economia portuguesa para este ano. Assim, o ministro das Finanças antecipa um défice de 4,5% e crescimento de 4% este ano.

As metas foram reveladas esta quinta-feira num briefing realizado no Centro Cultural de Belém, antes de se conhecer o documento que será entregue na tarde desta quinta-feira à Comissão Europeia e na Assembleia da República.

João Leão antecipa um défice de 4,5% do PIB este ano. Em relação ao crescimento, há uma revisão em baixa: o PIB português deverá subir 4% e 4,9% no próximo.

De recordar que nas previsões inscritas no Orçamento do Estado para 2021, o Executivo estimava que a economia portuguesa crescesse 5,4% em 2021 e 3,4% em 2022.

O ministro das Finanças explicou que a revisão de duas décimas no défice deste ano se deve ao “efeito da terceira vaga da pandemia e às medidas de confinamento que obrigaram a aumentar muito os apoios” às famílias e às empresas.

O Governo prevê ainda que o défice atinja 2,2% em 2023; 1,6% em 2024; e 1,1% 2025.

Já a taxa de desemprego deverá situar-se nos 7,3% este ano, reduzindo depois nos anos seguintes para 6,7% em 2022, 6,4% em 2023, 6% em 2024, e 5,8% em 2025.

Leão revelou ainda que o Plano de Recuperação e Resiliência deverá ter um impacto de 22 mil milhões de euros na economia portuguesa ao longo dos próximos cinco anos, ajudando a manter o crescimento acima dos 2% até 2025.

O ministro destaca ainda o “conjunto robusto de investimentos do Governo” antes do PRR, exemplificando com a consignação das obras do Metro de Lisboa esta semana. O Executivo espera também “uma recuperação de outras variáveis como o consumo privado”.

O Governo conta ainda que a balança externa volte a ser positiva em 2021. E que a dívida pública atinja os níveis pré-pandemia, abaixo dos 120% do PIB, em 2024.

As novas previsões aproximam-se das perspetivas de várias instituições nacionais e internacionais, escreve o Observador.

O Banco de Portugal, acredita num crescimento de 3,9% para a economia portuguesa em 2021 e 5,2% em 2022.

Por sua vez, o Conselho das Finanças Públicas apontou recentemente que a economia deverá atrasar a retoma, com crescimento de 3,3% este ano e 4,9% no próximo. Antecipou ainda um défice de 4,1% em 2021 e 2,1% em 2022.

Já o Fundo Monetário Internacional acredita que o crescimento atinja os 3,9% este ano e os 4,8% no próximo.

“Sem receio de austeridade“

Durante o briefing, João Leão, afastou qualquer necessidade de aumentar os impostos ou implementar medidas de austeridade para sair da crise pandémica.

“Estamos em condições de enfrentar esta crise de forma muito diferente daquela com que o país enfrentou crises anteriores. Sem receio de austeridade, sem receio de ter de aumentar os impostos para pagar os efeitos da crise”, disse aos jornalistas à saída do conselho de ministros.

O governante espera uma “forte recuperação” da economia portuguesa graças ao “forte impulso” dos fundos europeus do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

“O governo estará apostado no relançamento do investimento público e do investimento privado e não terá preocupação de implementar austeridade porque não tem essa necessidade”, conclui João Leão.

Ana Isabel Moura Ana Isabel Moura, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Presidente da República promulga Carta de Direitos Humanos na Era Digital

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, promulgou este sábado a Carta de Direitos Humanos na Era Digital, aprovada em abril na Assembleia da República, segundo uma nota divulgada no site da Presidência. A lei, …

Depois de 17 anos no subsolo, biliões de cigarras vão emergir nos Estados Unidos

Biliões de cigarras vão emergir nos Estados Unidos. O aviso é de um grupo de cientistas que alerta que, dentro de alguns dias ou semanas, as cigarras da Ninhada X vão surgir depois de 17 …

Foguetão chinês regressou à Terra (e a maior parte desintegrou-se)

Um importante segmento do foguetão chinês desintegrou-se este domingo ao reentrar na atmosfera terrestre e caiu no oceano Índico, perto das Maldivas, anunciou a agência espacial da China. "De acordo com o percurso e análise, pelas …

"Se eu encaixar, eu sento-me." Os gatos adoram caixas ilusórias

Qualquer amante de gatos sabe que estes animais têm uma predileção inata por se sentarem em espaços fechados, mesmo que o espaço seja apenas um contorno bidimensional de um quadrado no chão.  Os cientistas analisaram esta …

Jet pack da Marinha britânica. Fuzileiros navais testam macacão Gravity em exercício de embarque

Quem melhor do que as organizações militares para testar e usufruir dos jet packs? A Marinha Real Britânica e os Fuzileiros Navais reais testaram um macacão a jato, desenvolvido pela empresa Gravity Industries. Esta semana, a …

Marés de Júpiter podem ajudar a perceber a história do Sistema Solar

Uma equipa de investigadores detetou uma pequena perturbação gravitacional em Júpiter. A descoberta pode ajudar a investigar o interior do planeta e perceber melhor a história do Sistema Solar. "Se você tentasse mergulhar em Júpiter, nunca …

Em 1925, "O Isolador" prometia bloquear qualquer tipo de distração

Procrastinar foi, é e sempre será um passatempo irresistível. Por isso, nos anos 20, houve quem apresentasse uma solução radical para evitar este problema: "O Isolador". De acordo com o site IFLScience, o chamado "Isolador" foi …

Seca no México revela uma igreja submersa há 40 anos

Uma igreja no estado de Guanajuato, no México, sobrevive entre a água e os peixes, como única testemunha de um povoado inundado por uma barragem há mais de 40 anos. Agora, devido à seca que …

Neymar prolonga contrato com o Paris Saint-Germain até 2025

O avançado internacional brasileiro Neymar renovou contrato com o Paris Saint-Germain até 30 de junho de 2025, informou hoje o tricampeão francês e vice-campeão europeu de futebol. “O Paris Saint-Germain tem o prazer de anunciar que …

Países usaram modelo do queijo suíço para conter a covid-19. Na Índia, alguns "buracos" eram demasiado grandes

A grande maioria dos países adotou a estratégia do queijo suíço para responder à pandemia. Na Índia, os "buracos" eram demasiado grandes em três das camadas mais importantes. Para responder à crise sanitária desencadeada pela covid-19, …