//

Iraniana condenada a 1 ano de prisão por ver um jogo de voleibol

2

Change.org

Ghoncheh Ghavami, a anglo-iraniana detida por assistir a uma partida de volei

Ghoncheh Ghavami, a anglo-iraniana detida por assistir a uma partida de volei

O tribunal condenou a um ano de prisão Ghoncheh Ghavami, uma mulher que tentou assistir a um jogo de voleibol entre as seleções masculinas do Irão e da Itália, em Teerão, revelou o seu advogado, Alizadeh Tabatabaie.

Ghoncheh Ghavami, uma jovem de 25 anos com dupla nacionalidade britânica e iraniana, foi detida no dia 20 de junho perto do estádio Azadi (liberdade, em iraniano), em Teerão.

Ghavami, licenciada em Estudos Africanos e Orientais pela Universidade de Londres, foi libertada algumas horas mais tarde, mas acabou por ser novamente detida uma semana depois e encarcerada na prisão de Evin, em Teerão, normalmente destinada a presos políticos e a jornalistas.

A prisão de Ghavami ocorreu após um aviso oficial de que as mulheres, ainda que fossem jornalistas, não seriam autorizadas a assistir ao jogo de voleibol.

As autoridades alegam que a presença simultânea de homens e mulheres em eventos desportivos “não é do interesse da sociedade”.

“As mulheres têm que ser protegidas do comportamento lascivo dos adeptos masculinos”, argumentam autoridades iranianas citadas pela BBC.

Ghavami, filha de mãe britânica e pai iraniano, nunca foi alvo de quaisquer acusações formais. Em outubro, iniciou uma greve da fome em protesto por ter sido colocada numa cela de isolamento.

Segundo a Amnistia Internacional, a jovem iraniana é “uma prisioneira de consciência”, que está sob tremenda pressão psicológica: “Disseram-lhe que não sairia viva da prisão“.

Ghavami está agora presa há 127 dias, um pouco mais de 4 meses.

Três meses após a prisão de Ghavami, o seu irmão, Iman Ghavami, lançou na ONG Change.Org uma petição online pela sua libertação, tendo conseguido mais de 700 mil assinaturas.

Indiferente à petição, o Tribunal Revolucionário de Teerão condenou Ghoncheh Ghavami  a um ano de prisão por “espalhar propaganda contra o regime”.

A notícia da sentença, contudo, espalha-se pela imprensa internacional e nas redes sociais.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

ZAP

2 Comments

  1. Essas ditaduras islâmicas estão sempre a nos brindar com sua forma patética de proceder e de enxergar o mundo. Não importa o quanto demore, irão com certeza sucumbir todas elas.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE