Ihor Homeniuk era “agitado, violento e autodestrutivo”. Inspetores do SEF negam homicídio

Bruno Valadares Sousa, Duarte Laja e Luís Filipe Silva, os três inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) acusados da morte do cidadão ucraniano Ihor Homeniuk, começaram a ser julgados no Campus de justiça, em Lisboa.

Os três inspetores do SEF implicados no homicídio do cidadão ucraniano Ihor Homeniuk negaram esta terça-feira a acusação e disseram que se limitaram a manietar um passageiro “agitado, violento e autodestrutivo” que ficou mais calmo quando saíram da sala.

Os inspetores Bruno Valadares Sousa, Duarte Laja e Luís Filipe Silva começaram a ser julgados por, alegadamente, terem provocado a morte a Homeniuk, em 12 de março de 2020, numa sala do Centro de Instalação temporária do Aeroporto de Lisboa. Segundo o Ministério Público, a morte foi perpetrada com “comportamentos desumanos, provocando-lhe graves lesões corporais e psicológicas”.



Cada um dos três arguidos apresentou aos juízes uma versão semelhante dos factos, dizendo que, quando chegaram à sala, Homeniuk, de 40 anos, apresentava algumas marcas “na cara e nos braços”, estava sentado num colchão e que já estava “atado com fita adesiva nas pernas e nos pulsos”.

Todos disseram que encontraram o cidadão “bastante agitado”, mas que, quando foram chamados ao local, desconheciam que este já estava manietado. Nos cerca de 20 minutos que os três funcionários dizem ter estado na sala, Homeniuk tentou pontapeá-los, tendo os inspetores usado primeiro fitas médicas para os pulsos e pés e depois algemas de metal.

O inspetor Luis Silva afirmou que decidiu deixar as chaves das algemas com o vigilante dizendo-lhe para libertar o cidadão “quando este estivesse mais calmo”.

O facto de Homeniuk estar detido numa sala vazia surpreendeu os três inspetores do SEF, tendo mesmo Duarte Laja dito que esperava encontrar o passageiro “sentado numa cadeira atrás de uma secretária” e não “sentado e atado com fita cola num colchão”.

Os arguidos negaram ainda ter havido confrontos físicos com a vítima, afirmando que se limitaram a algemar Homeniuk, tal como a chefia lhes tinha pedido. Os co-arguidos por homicídio qualificado negaram a versão do MP, segundo a qual Homeniuk terá sido agredido a soco e a pontapé e atingido com um bastão extensível, objeto que, contudo, Luis Silva confirmou ter adquirido.

O mesmo arguido negou também que, ao contrário do que se lê na acusação, tenha afirmado ao vigilante “isto não é para ninguém saber” e Duarte Laja recusa ter dito outra frase que consta na acusação: “Hoje já não preciso de ir ao ginásio”.

Antes das declarações dos arguidos, logo no início da primeira sessão de julgamento, a defesa de Bruno Sousa considerou que os três inspetores foram “bodes expiatórios” e que a morte do cidadão ucraniano se deve “às condições deploráveis e inqualificáveis nas quais os cidadãos são colocados nos centros de detenção” temporários.

Para o advogado Ricardo Sá Fernandes, os três arguidos “já foram inapelavelmente condenados” na opinião pública, mas enumerou três linhas essenciais a ter em conta no julgamento para se saber o que aconteceu com Ihor Homeniuk.

O defensor, que começou por apontar “graves deficiências à autópsia“, disse que considera essencial saber se as lesões causadas ao passageiro foram acidentais ou intencionais, quem as causou e se houve dolo.

Por sua vez, o advogado Ricardo Serrano Vieira, defensor de Duarte Laja, contestou a acusação do MP e criticou o facto de as autoridades terem feito uma reconstituição do crime, sem a presença dos arguidos.

A advogada que defende o inspetor Luis Silva lamentou que não tivesse sido dado “o benefício da dúvida nem a presunção de inocência” durante o tempo em que os arguidos foram detidos e o dia do julgamento.

O julgamento dos arguidos, que estão em prisão domiciliária desde a sua detenção em 30 de março de 2020, continua esta quarta-feira já com o depoimento de testemunhas de acusação.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

  1. Tem a certeza que o homem foi assassinado?? É que se foi assassinado é provável que tenha sido, quem sabe, por uma “esfegonova”… Agora a Polícia passou a ser o bombo da festa! Eu nunca fui agredido pela Polícia. Nem sei porquê… é que não faço a mais pequena ideia…

RESPONDER

Santuário medieval recebe escultura em pedra que usa máscara contra a covid-19

Uma catedral histórica do Reino Unido renovou um santuário do século XIV, acrescentando um detalhe que coloca em evidência o momento pandémico que o mundo vive. Agora, a nova escultura está a usar uma máscara …

Aos 10 anos, Adewumi chegou à elite mundial do xadrez (e fugiu ao Boko Haram)

Tanitoluwa Adewumi foi perseguido pelo Boko Haram, fugiu da Nigéria e foi sem-abrigo nos Estados Unidos. Agora, com apenas 10 anos, chegou à elite mundial do xadrez. Grande Mestre é um dos títulos vitalícios concedidos pela …

Hegemonia económica da China cada vez mais longe. Queda demográfica coloca Pequim sob pressão

O objetivo do país é tornar-se na maior potência económica do mundo nos próximos anos, mas a corrida pela hegemonia - disputada com os EUA - pode não ser uma meta fácil de alcançar. O …

Miss Universo 2021. Concorrente da Singapura usa roupa com o slogan "Stop Asian Hate"

Bernadette Belle Ong, uma concorrente do Miss Universo 2021, vestiu uma roupa com as cores de Singapura que continha as palavras Stop Asian Hate ("parem com o ódio contra os asiáticos"). Bernadette Belle Ong aproveitou o …

A Índia está a tornar quase impossível a vacinação dos sem-abrigo

A Índia está a dificultar o processo de vacinação dos sem-abrigo, uma vez que o programa requer um número de telemóvel e uma morada residencial. Muitas pessoas não têm nem um, nem outro.  Na Índia, quase …

Violência contra as mulheres é "uma pandemia", alerta ONU

Uma década após a criação da Convenção de Istambul, o marco dos tratados de direitos humanos para acabar com a violência de género, as mulheres enfrentam um ataque global aos seus direitos e segurança, alertaram …

Já se sabe qual a ocasião mais perdida do ano devido à pandemia (e há uma campanha para compensar)

Tomar um café com um amigo ou um familiar é o momento mais perdido do último ano devido à pandemia de covid-19. Nos últimos 12 meses, e em todas as cidades europeias, estima-se ter havido …

Reino Unido quer reconhecer animais como seres com sentimentos

O Governo britânico anunciou um amplo plano de defesa dos animais que inclui medidas como o reconhecimento dos animais como seres com sentimentos, a proibição da exportação de animais vivos e da importação de troféus …

PAN rejeita "via verde" para o Governo (e admite travar próximo Orçamento "se necessário")

O PAN não pretende oferecer “uma via verde para o Governo fazer o que bem entender” e admite mesmo travar o Orçamento de Estado "se for necessário". As palavras são da presidente do Grupo Parlamentar do …

Bloco quer administração da RTP nomeada pela Assembleia da República

O Bloco de Esquerda fez várias propostas à revisão do contrato de concessão do serviço público de rádio e televisão. Do lado dos trabalhadores da RTP, a proposta foi arrasada. O Governo colocou em consulta pública, …