Inspeção de Finanças suspeita de encobrir irregularidades na Cruz Vermelha

Tiago C Lima / FLickr

Edifício do Ministério das Finanças em Lisboa

A Inspeção-Geral de Finanças deixou na gaveta durante mais de dois anos uma auditoria que apontava para graves deficiências na Cruz Vermelha, como o facto de não estar a apresentar declarações a entidades externas, incluindo o fisco.

A Inspeção de Finanças, liderada desde 2015 por Vítor Braz, está sob os holofotes da Polícia Judiciária e do Ministério Público, numa operação em que o Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa tenta apurar a forma como ações de fiscalização do Estado lesaram os interesses financeiros públicos.

No inquérito estão a ser investigados crimes de corrupção passiva, peculato e abuso de poder, imputáveis indiciariamente, a “altos responsáveis de serviços centrais da Administração Pública do Estado”.

Ao longo de terça-feira, equipas da Polícia Judiciária e do Ministério Público fizeram buscas na sede da IGF e na Cruz Vermelha, em Lisboa, a recolher provas para apurar as responsabilidades individuais “de dirigentes da administração pública da área de serviços com a missão designadamente do controlo financeiro e fiscal do Estado”.

O inspetor-geral de Finanças, Vítor Braz, é apontado como o principal suspeito de venda de informações confidenciais para o exterior, em troca de subornos. Além disso, há suspeitas de eventual conflito de interesses, já que também presidente do conselho de auditoria da Santa Casa da Misericórdia, uma das entidades fiscalizadas pelo organismo que lidera.

A IGF concluiu em outubro de 2016 uma auditoria ao funcionamento da Cruz Vermelha e às subvenções que há décadas lhe são pagas pelo Estado, mas o documento ficou fechado na gaveta. De acordo com o Público, o relatório propunha “graves deficiências” fossem dadas a conhecer ao Ministro das Finanças, ao Tribunal de Contas e à Secretaria-Geral da Presidência do Conselho de Ministros. Mas isso não aconteceu.

A CVP, apesar de receber subsídios do Estado, “vive a insólita situação de não prestar contas a nenhuma entidade externa. Esta conduta é passível de coima a instaurar pela Comissão de Normalização”.

No meio disto, a IGF detetou ainda outra situação. O Revisor Oficial de Contas (ROC) também integrava o Conselho Fiscal. Por sua vez, a sociedade a que o ROC pertencia tinha celebrado com a Cruz Vermelha outro contrato de prestação de serviços no valor de 17 mil euros, “situação que pode configurar a violação, nomeadamente, do dever de independência”, anotaram os inspetores das Finanças.

Por fim, os auditores destaparam aquilo que classificaram como uma “fraude à lei”, quando o Ministério da Defesa “transferiu, a título de subvenção, fundos correntes, no valor de 990,0 milhares de euros, em 2014/2015, para financiar investimentos no Lar de Ponta Delgada que é propriedade do Estado”, explica a Sábado.

O documento alertava ainda para a concentração excessiva de poderes do presidente nacional da CVP, por ter nas suas mãos poderes considerados incompatíveis entre si. O relatório propunha mesmo que a CVP avançasse com uma alteração dos estatutos e pusesse em prática uma nova organização estrutural e uma nova forma de gestão financeira e contabilística.

Funcionamento da IGF será preservado

O ministro das Finanças disse na terça-feira que não foi informado, “nem tinha que ser”, sobre as buscas na IGF, afirmando que tem “plena confiança” no Ministério Público e que o funcionamento das instituições será preservado.

“O gabinete do ministro das Finanças não foi informado nem tinha que ser, portanto a informação que eu tenho para transmitir é muito escassa”, começou por dizer o ministro das Finanças, Mário Centeno.

O ministro disse ter “plena confiança na atuação do Ministério Público”, acrescentando que irá acompanhar o caso à medida em que for solicitado, garantindo que “o funcionamento das instituições, também da IGF, será totalmente preservado no contexto que se colocar nos próximos dias”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. É TUDO um BANDO de LADRÕES, VIGARISTAS. Andam atrás dos tostões em vez de controlarem e penalizarem quem desvia, rouba Milhões. Não podemos confiar em NINGUÉM, é TUDO UMA CORJA do PIOR.
    Esta gentalha devia de ser super híper penalizada p/ servirem de exemplo a outros que tenham a intenção de fazer o mesmo.

    • Plenamente de acordo!!! Só que sabemos todos, que os casos de corrupção que grassa no nosso país, dá sempre em águas de bacalhau. Enquanto tivermos a justiça que temos, devido a ser sempre os mesmos a governar-nos.

  2. Associações, fundações e similares … para mim um mundo de ganhar imenso dinheiro ha custa do lobi da pobreza e da solidariedade.

  3. quando começa no topo da pirâmide (a personagem que é presidente da AR) a tentarem esconder o que lhes nao agrada que se saiba, é natural que o resto não seja melhor.

    enquanto isso os idiotas, eu e todos os outros, vão pagando…

  4. Há muita gentinha a enriquecer as custas dos outros…Mais uma vergonha para esta instituição de grande valor para o país e o mundo. Só tenho revolva de algumas pessoas que utilizem esta instituições para enriquecerem…

  5. E VOLTA TUDO AO MESMO iiiii completamente de acordo com os comentarios e a CRUZ VERMELHA volta a ATACAR ,foi a anos atras com o peditorio da CRUZ VERMELHA onde figuras publicas ficaram com aparelhos de som etcetc e os escuteiros-escoteiros carregaram para as casas dessas figuras publicas DESDE TELEVISOES GRAVADORES etcetc raul solnado , carlos cruz etcetc e assim volta tudo ao mesmo e continua o GAMANSO, e pelos visto nada a fazer etcetcetc ate as BARRACAS CUBATAS ABANAMZZZZZZiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii…………..
    agp

"É preciso reduzir os impostos às pessoas, nomeadamente aos salários, e taxar o carbono"

Para António Guterres, a "vontade política esmoreceu" depois do Acordo de Paris aprovado em 2015. Entre medidas propostas em prol do clima, o Secretário-Geral das Nações Unidas fala em "acabar com subsídios aos combustíveis fósseis". António …

Costa: Marcelo não se recandidatar seria "incompreensível para 80% dos portugueses"

O secretário-geral do PS, António Costa, declarou esta sexta-feira que uma eventual não recandidatura presidencial de Marcelo Rebelo de Sousa seria "incompreensível para 80% dos portugueses" e adiantou que Eduardo Ferro Rodrigues voltará a ser …

Há mais de 600 edifícios condenados à demolição (e trazem custos para o cidadão)

Nos últimos dez anos, centenas de construções de todo o país foram listadas para demolir. Destas, faltam destruir atualmente mais de 600, segundo um levantamento citado esta sexta-feira pelo Correio da Manhã. Questões de segurança, ilegalidades …

Nepotismo e "filé mignon". Bolsonaro admite beneficiar filho para cargo diplomático

O presidente brasileiro admitiu, na quinta-feira, que "pretende beneficiar" o terceiro filho, o deputado Eduardo Bolsonaro, indicado para embaixador nos Estados Unidos, mas garantiu tratar-se apenas de uma estratégia de política externa. "Pretendo beneficiar um filho …

Ministério Público investiga ajustes diretos da Câmara do Porto a sociedade de advogados

A Câmara Municipal do Porto (CMP) diz que o valor dos contratos com a sociedade de advogados é de apenas 218 mil euros, e não meio milhão de euros como foi noticiado esta semana. O Ministério …

Lista de grande devedores. Deputados de mãos atadas pelo sigilo bancário

Depois de um esforço hercúleo para conseguir acesso à lista dos grandes devedores da banca, os deputados veem-se agora incapacitados devido ao sigilo bancário e ao fim da legislatura. A lista dos grandes devedores em incumprimento …

Costa promete baixar impostos à classe média (e prefere que Centeno não vá para o FMI)

Mais deduções e mais escalões de IRS para baixar os impostos para as famílias com os filhos e a classe média. Eis o que António Costa promete na antecâmara das eleições legislativas, numa entrevista onde …

Contadores de luz inteligentes acabam com leitura por estimativa

A EDP quer generalizar a instalação de contadores de eletricidade inteligentes. Esta tecnologia vai pôr fim à leitura por estimativa, que era razão de queixa de vários clientes. Os contadores inteligentes vão permitir pôr um fim …

Contas do Metro de Lisboa podem ter “buraco” de três mil milhões, alerta auditoria

As contas do Metropolitano de Lisboa (ML) referentes a 2018, enviadas esta quinta-feira pela empresa pública à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), podem evidenciar um eventual "buraco" de quase três mil milhões de …

Rackete fica em liberdade e apela em tribunal para a ação da UE

A capitã do navio humanitário Sea Watch 3 Carola Rackete, suspeita em Itália de ajuda à imigração ilegal, regressou esta quinta-feira a um tribunal na Sicília para ser ouvida pela justiça italiana. Carola Rackete, a capitã …