Inquérito gera polémica. Assunção Cristas atira-se ao Governo de Costa

Estela Silva / Lusa

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas

A presidente do CDS-PP defendeu que António Costa “governa para a imagem”, fazendo lembrar “o tempo das crianças figurantes”, e questionou apelos a consensos quando o executivo dinamita “pontes de diálogo” e revela sectarismo na recusa das propostas centristas.

“Venham-me cá falar de consensos”, afirmou Assunção Cristas, argumentando que o executivo “é o primeiro a quebrar consensos alcançados – como no IRC -, é o primeiro a dinamitar quaisquer pontes de diálogo quando falta à verdade, quando revela sectarismo” na recusa de propostas de alteração ao Orçamento do Estado.

Na intervenção de encerramento da ‘escola de quadros’ da Juventude Popular, em Peniche (distrito de Leiria), a líder centrista procurou colar o Governo de António Costa ao de José Sócrates, sem nunca nomear o antigo primeiro-ministro socialista, em dois traços: o “governar para a imagem” e a má reação à crítica.

“É o Governo que governa para a imagem, para a fotografia, para a propaganda, custe o que custar”, acusou, dizendo que o executivo que cumpre dois anos de legislatura “paga com dinheiro dos contribuintes, parece que agora sob a forma de vales de compras, avaliações sobre a sua performance e perguntas ao Governo, fazendo lembrar os tempos das crianças contratadas como figurantes”.

Cristas referia-se ao inquérito quantitativo de avaliação ao segundo ano do Governo, organizado pela Universidade de Aveiro, sob coordenação do professor Carlos Jalali, para o qual os participantes terão sido pagos, conforme revelou o semanário Sol. O jornal online Observador noticiou, entretanto, que o pagamento foi feito em vales de compras.

Para Assunção Cristas, o executivo de António Costa também “não sabe reagir na dificuldade e na tragédia, é o Governo que convive mal com a crítica”. “Onde há política, vê ataque numa de ‘quem não está connosco está contra o país’. Onde é que já vimos isto? O que é que isto nos faz lembrar?”, interrogou-se.

A líder centrista acusou o Governo de “falta de seriedade e honestidade política”, ao chamar a si “tudo o que corre bem”, como a onda de turismo e a ‘Websummit’, enquanto “descarta para outros o que corre mal”. “Veja-se o caso do jantar no Panteão Nacional, que mais uma vez revelou a falta de caráter do primeiro-ministro”, disse.

Assunção Cristas argumentou que o Governo está “refém da estratégia umbiguista do primeiro-ministro” – uma “estratégia de vistas curtas, baseada no poder pelo poder” -, revelando “sinais de arrogância democrática e desorientação política”.

A presidente do CDS anunciou que, à semelhança do que fez na campanha em Lisboa, irá pedir contributos aos portugueses para construir o programa eleitoral do CDS para as próximas eleições legislativas.

Depois da carta enviada aos lisboetas, desta vez a missiva será entregue em mão e para tal pediu a colaboração do partido e da Juventude Popular, a quem agradeceu o contributo na campanha de Lisboa, da qual aproveitou também o ciclo de conferências com independentes “Ouvir Lisboa”, agora transformadas em “Ouvir Portugal”.

No encerramento da ‘escola de quadros’ dos jovens do CDS, o seu diretor, Diogo Feio, criticou igualmente o pagamento aos cidadãos que participam no estudo da Universidade de Aveiro: “Este Governo disse que não há dinheiro para vales em educação, mas há dinheiro para vales de compras”.

O líder da JP, Francisco Rodrigues dos Santos, anunciou que a estrutura ultrapassou a “marca dos 20 mil filiados” e comprometeu-se a colaborar na “consagração do CDS como partido autónomo de Governo, com a Assunção Cristas a liderar”.

A referência à procura de consensos por parte do Governo feita por Assunção Cristas acontece no dia em que o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Pedro Nuno Santos, afirmou, numa entrevista ao Público, que o executivo não se fecha na atual maioria de esquerda e “em matérias estruturantes” vai procurar o PSD e o CDS.

“Não temos nas nossas posições conjuntas nenhuma norma que diga ‘o PS está proibido de falar com o PSD e o CDS’. Não está e tem essa vontade em matérias estruturantes”, defendeu Pedro Nuno Santos.

Lusa // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. O Sol e o Observador dizem que foi… É porque é verdade! Alguém aqui põe em causa a seriedade e credibilidade de jornais com uma qualidade e profissionalismo inegualável?

RESPONDER

Um milhão de pessoas já foram imunizadas. Faixa etária dos 50 anos começou a ser vacinada em alguns locais

Em alguns locais do país, já há pessoas na faixa etária dos 50 anos a receber a primeira dose da vacina contra a covid-19. Fonte da task force responsável pelo plano nacional de vacinação disse, este …

GNR inicia operação para dar segurança nas celebrações e peregrinação a Fátima

A GNR promove a partir de hoje uma operação de segurança em todo o território nacional, com maior incidência em Fátima e nas principais vias de acesso, para garantir segurança durante o deslocamento dos peregrinos …

UEFA anuncia sanções para nove dos 12 fundadores da Superliga. Real Madrid, Barcelona e Juventus denunciam "pressões e ameaças"

O Real Madrid, o Barcelona e a Juventus - os clubes fundadores da Superliga que ainda resistem - emitiram um comunicado conjunto em que reafirmam a necessidade da prova, assegurando que os clubes "receberam - …

Arqueólogos encontraram o enterro mais antigo de África. Era um menino de três anos

Uma equipa de investigadores revelou a sepultura de um menino encontrado em Panga ya Saidi, no Quénia. Esta descoberta, datada de 78 mil anos, é mais uma evidência sobre os primeiros comportamentos sociais complexos do …

Conselho Europeu admite debater “proposta concreta” de suspensão de patentes. Farmacêuticas já perdem na bolsa

O valor das empresas farmacêuticas, cotadas em bolsa, que fabricam vacinas contra a covid-19 aprovadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) caiu entre quarta e quinta-feira.  De acordo com o Expresso, o valor das empresas farmacêuticas …

Entradas e saídas para trabalhar nas freguesias de Odemira sob cerca sujeitas a teste negativo

As entradas e saídas para trabalhar ou apoiar idosos nas freguesias de Odemira sob cerca sanitária passam a ser permitidas, mas ficam dependentes de teste negativo à covid-19, medida em vigor a partir das 8 …

Consumo excessivo de sal pode afetar as células imunitárias

Um novo estudo mostra que comer demasiado sal pode reduzir a quantidade de energia que as células do nosso sistema imunitário podem produzir, impedindo-as de funcionar normalmente. Há muito tempo que o consumo excessivo de sal …

Cimeira Social. Conselho informal e Cimeira UE-Índia marcam agenda deste sábado

Os chefes de Estado e de Governo da União Europeia reúnem-se este sábado no Palácio de Cristal, no Porto, para um Conselho informal com o Pilar Social na agenda e para uma Reunião de Líderes …

Aluna descreve ensino à distância: "Muito mau: dormir 1h, magoar a mim própria..."

Entre muitas mudanças, o coronavírus afetou o ensino. A pandemia interrompeu as aulas presenciais, mais do que uma vez, e trouxe novas rotinas. A aluna do ensino superior, Lúcia Gonçalves, conta ao ZAP as dificuldades …

Turismo de Portugal congratula-se com inclusão na “lista verde” do Reino Unido

O Turismo de Portugal congratulou-se hoje com a decisão do Reino Unido de incluir o país na “lista verde” dos destinos de baixo risco de infeção por covid-19, que considerou “boas notícias para o turismo …