Incêndios “zombie” adormecidos podem estar prestes a despertar no Ártico

(dr) Vadim Balakin

Os remanescentes de incêndios recordes no ano passado podem “despertar” após a primavera anormalmente quente e seca, causando novos fogos no Ártico, alertaram os cientistas.

O Ártico passou por incêndios recordes no verão do ano passado e ainda não estará fora de perigo. “Incêndios zombies” adormecidos espalhados por toda a região do Ártico podem voltar à vida.

“Vimos observações de satélite de incêndios ativos que sugerem que incêndios zombies podem ter reacendido”, disse Mark Parrington, cientista sénior e especialista em incêndios florestais do Serviço de Monitorização Atmosférica Copernicus da União Europeia, citado pelo Raw Story.

Os hotspots, que ainda não foram confirmados por medições no solo, estão particularmente concentrados em áreas que queimaram no verão passado.

O ano de 2019 foi marcado por incêndios sem precedentes em escala e duração em grandes áreas da Sibéria e do Alasca. Em junho – o mais quente já registado -, estima-se que as chamas tenham libertado 50 milhões de toneladas de dióxido de carbono na atmosfera, equivalente às emissões anuais da Suécia.

“Podemos ver um efeito cumulativo da temporada de incêndios do ano passado no Ártico, o que alimentará a próxima temporada e poderá levar a incêndios em larga escala e de longo prazo na mesma região mais uma vez”, disse Parrington.

O risco de incêndios florestais aumenta com o clima quente e a baixa humidade. A Europa, em particular, registou temperaturas recordes em março e abril deste ano.

“Houve um calor tremendo no Ártico que levou a muita secagem, deixando os solos de turfa maduros para queimar”, disse Mike Waddington, especialista em ecossistemas de bacias hidrográficas da Universidade McMaster, em declarações à AFP.

“Um incêndio zombie é um incêndio que continua a queimar no subsolo e depois reacende na superfície após um período de tempo”, explicou Waddington.

Brasas profundas em solos orgânicos, como turfa, podem incendiar-se semanas, meses e até anos depois.

Os cientistas que monitorizam o Alasca viram um fenómeno semelhante. “Observaram crescentes ocorrências em que os incêndios sobrevivem aos meses frios e húmidos do inverno boreal por combustão lenta e ressurgiram na primavera seguinte”, relatou o Alaska Fire Science Consortium no seu boletim da primavera de 2020.

Desde 2005, cientistas no Alasca identificaram 39 desses “incêndios de remanescência”. A maioria dos incêndios era muito pequena – menos de 11 hectares e, na maioria dos casos, menos de um – para ser detetada. Porém, sete deles eram visíveis do espaço.

As grandes chamas do ano passado foram alimentadas pelo calor recorde. Partes da Sibéria e do Alasca estavam até 10ºC mais quentes do que o normal durante semanas a fio.

As temperaturas na Gronelândia aceleraram o derretimento da camada de gelo com quilômetros de espessura da ilha, resultando numa perda líquida de 600 mil milhões de toneladas de massa de gelo no ano – representando cerca de 40% do aumento total do nível do mar em 2019.

ZAP //

 

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

"Vacina deve ser um bem global de saúde pública". OMS critica "nacionalismo de vacinas"

A Organização Mundial de Saúde (OMS) criticou na quinta-feira o "nacionalismo de vacinas" para a covid-19, afirmando que qualquer país terá benefícios económicos e de saúde se o resto do mundo recuperar da pandemia. "O nacionalismo …

Depois da explosão, os protestos em Beirute. Manifestantes anti-Governo pedem mudança política urgente

Esta quinta-feira, dezenas de manifestantes foram dispersos com gás lacrimogéneo quando protestavam na sequência da explosão em Beirute, capital do Líbano, que provocou pelo menos 149 mortos, cinco mil feridos e a destruição de casas …

Em vez de flores, família de Fernanda Lapa pede donativos por Bruno Candé

A família da atriz, que faleceu esta quinta-feira, apela a que quem queira oferecer flores para o funeral faça antes um donativo para os herdeiros do ator Bruno Candé, que foi assassinado, em Lisboa. "A Família …

Orbán diz que todos os migrantes ilegais são potenciais "bombas biológicas"

O primeiro-ministro da Hungria, o ultranacionalista Viktor Orbán, defendeu esta sexta-feira que se deve impedir a chegada de imigrantes ilegais ao país porque estes são potenciais "bombas biológicas" devido à covid-19. Conhecido pelos seus discursos contra …

Donald Trump proíbe transações com empresa chinesa detentora do TikTok

Donald Trump assinou uma ordem executiva que proíbe as transações com a ByteDance no prazo de 45 dias e o Senado já aprovou o projeto de lei que proíbe o descarregamento e utilização da aplicação. …

Preocupado com os incêndios, Marcelo admite interromper férias. Ontem foi o pior dia

O Presidente da Repúblic disse esta quinta-feira que está a acompanhar a vaga de incêndios que assola o território continental e admitiu a possibilidade de interromper as férias no Porto Santo se a situação piorar. "É …

Portugal foi o "patinho feio", mas volta a estar em contraciclo com a Europa (por bons motivos)

Portugal destaca-se agora por apresentar uma tendência de redução de novos casos de infeção pelo novo coronavírus, ao contrário de outros países europeus. Quando o novo coronavírus começou a ganhar terreno no continente europeu, Portugal foi …

Kim Jong-un insiste que a Coreia do Norte travou o vírus, mas intensifica combate à covid-19

Kim Jong-un tem repetido várias vezes que a Coreia do norte "travou o vírus maligno", mas o reforço das medidas de combate à covid-19 e a canalização urgente de material médico e alimentos para Kaesong …

Novo Banco tinha autorização de Bruxelas para financiar venda de imóveis

A DG Comp da Comissão Europeia autorizou o Novo Banco a conceder crédito aos compradores do imobiliário vendido pela instituição. Quando o Novo Banco foi constituído, o acordo assinado entre a Direção Geral da Concorrência europeia …

Quase cinco meses depois, a Champions está de volta

A Liga dos Campeões é retomada esta sexta-feira, quase cinco meses depois da suspensão devido à pandemia de covid-19. Suspensa logo depois do jogo Leipzig-Tottenham, disputado a 11 de março, a prova milionária está de regresso …