“Incapaz de levar o cargo a sério”. Obama entra na campanha de Biden e ataca Trump

Patrick Hamilton / G20 Australia

O antigo Presidente dos Estados Unidos, o democrata Barack Obama, acusou esta quarta-feira o sucessor, o republicano Donald Trump, de nunca ter levado o cargo “a sério”, e apelou à mobilização em favor do candidato democrata, Joe Biden.

“Não é um reality show, é a realidade”, vincou Obama, durante um discurso em Filadélfia, citado pela agência France-Presse (AFP), acrescentando que os norte-americanos têm de “viver com as consequências” das decisões de Trump, que foi “incapaz de levar o cargo a sério”.

“Perderam-se milhões de empregos, a nossa orgulhosa reputação mundial está em farrapos“, disse Obama.

“‘Tweetar’ enquanto se vê televisão não resolve os problemas” do país, criticou o ex-chefe de Estado norte-americano.

Obama falou ainda dos negócios de Donald Trump com a China. Em relação à conta secreta do Presidente dos Estados Unidos, o ex-chefe de Estado disse: “Imaginam o que seria se eu tivesse uma conta secreta num banco chinês quando estava a concorrer para a reeleição? Não acham que a Fox News teria ficado preocupada com isso? Iam chamar-me Beijing Berry”.

No seu discurso, Obama aproveitou para elogiar Biden: “Passei a admirar o Joe como um homem que aprendeu desde cedo a tratar todos os que encontra com dignidade e respeito. Nunca chamaria os homens e mulheres, nossos militares, de tolos e perdedores”.

Esta foi a primeira vez que Obama faz uma aparição pública ao vivo na campanha para as presidenciais. O ex-presidente norte-americano discursou no Citizens Bank Park, num modelo “drive-in” em que os apoiantes o ouviram através dos rádios nos automóveis.

Fontes oficiais da campanha de Joe Biden já tinham avançado que o discurso de Obama era principalmente dirigido aos eleitores negros, sobretudo do sexo masculino.

Mel Brooks apoia Biden no primeiro vídeo político

Aos 94 anos, Mel Brooks decidiu entrar na campanha eleitoral dos Estados Unidos com o primeiro vídeo político da sua vida, em que ataca violentamente Donald Trump pela sua passividade perante a pandemia, e apoia o candidato democrata, Joe Biden.

“Nunca tinha feito um vídeo político. Até agora”, escreveu esta quarta-feira na rede social Twitter o filho desta lendária figura do mundo do cinema Max Brooks, ao publicar o clip.

“Olá, amigos. Sou Mel Brooks. Atrás de mim (fora de casa e com uma janela a separá-los) estão o meu filho e o meu neto. E não podem estar comigo aqui. Porquê? Por causa deste coronavirus”, disse.

“E Donald Trump não está a fazer nada sobre isto”, acrescentou. “Já morreu muita gente. Quando estás morto não podes fazer demasiadas coisas”, ironizou, antes de assegurar que vai votar em Joe Biden.

“Porque é que gosto do Joe? Porque o Joe gosta dos factos, gosta da ciência. Joe vai manter-nos a olhar para a frente. Escutem o meu conselho: votem no Joe“, recomendou.

As eleições presidenciais estão agendadas para 3 de novembro. Na corrida estão o atual Presidente e Joe Biden, que a pouco mais de duas semanas do sufrágio está à frente de Trump nas sondagens.

Depois do primeiro debate, que foi considerado caótico e pouco esclarecedor para os eleitores indecisos, e do cancelamento do segundo frente-a-frente por causa de Trump ter contraído a covid-19 – que foi substituído por outro formato -, o terceiro e último debate está agendado para quinta-feira.

Desta vez, até os microfones dos dois candidatos vão estar silenciados, até que seja necessário haver discussão entre ambos.

  ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Os Dems estão mesmo desesperados — interessante como nada dizem sobre toda a informação divulgada pelo NYT (que dizem ser teoria da conspiração, quando existem documentos de suporte) contra Biden.

    Interessante como o Twitter continua a “censura” e com o estatuto do art. 230.

    Obamas e Bidens, duas famílias, muita conversa, disparar para todo o lado e nada feito.

    Cada um que julgue o que cada um fez até ao momento, em vez de entrar no mundo das “emoções.”

    • Prefere Trump ….é o seu direito. Mas neste seu comentário não acrescenta nada a nada. Em termos de “supostas” irregularidades, Trump não fica a trás !

    • O que fez cada um? O Obama criou um serviço nacional de saúde. O outro queria destruí-lo para construir um muro para proteger os americanos contra “mexicanos violadores”. É preciso dizer mais?

      Quanto à alegada informação sobre o Biden, em boa verdade são essencialmente rumores (sem documentos efetivos de suporte, ao contrário do que afirma). Até podem ser verdade ou não, quem sabe, mas o facto é que Biden tem sido o mais transparente possível, abrindo todas as suas contas e impostos para escrutínio público. O Trump não só não permite que se saiba nada, como mente com todos os dentes que tem várias vezes por dia (parece não ter noção da realidade), tem contas na China, pressiona presidentes estrangeiros para benefício pessoal, mas tá tudo bem. Se 1/100 disto fosse o Biden a fazer, ai o escândalo.

RESPONDER

Detidos três suspeitos da morte de jovem no metro das Laranjeiras

Três pessoas foram detidas por suspeita da morte de um jovem, na quarta-feira, na estação de metro das Laranjeiras, em Lisboa, informou a Polícia Judiciária (PJ). Em comunicado, a PJ adiantou que, em colaboração com a …

Mais 500 pessoas foram obrigadas a abandonar as suas casas em La Palma

500 pessoas juntaram-se, esta quinta-feira, às milhares que já foram obrigadas a abandonar as suas casas na ilha espanhola de La Palma, quando um rio de lava se aproximou de uma povoação junto à costa, …

Messi no PSG

"Messi, dá-me a tua camisola e eu dou-te a minha mãe"

Grande jogo em Paris, golo de André Silva, bis de Messi, mas uma criança também foi o centro das atenções. Os nomes das equipas já prometiam espectáculo e houve mesmo: o Paris Saint-Germain ganhou em casa …

Portugal com mais oito mortes e 865 casos de covid-19

Portugal registou, esta quinta-feira, mais oito mortes e 865 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 865 novos …

O empresário John Textor

Direcção do Benfica e John Textor em reunião

Benfica informou que houve um encontro entre o empresário e dois vice-presidentes do clube, que querem saber mais sobre as intenções do norte-americano. John Textor esteve no Estádio da Luz, nesta quinta-feira. O empresário foi recebido …

BE e PCP fazem pressão e Carlos César questiona: "Sentem-se melhor a fazer oposição ou a fazer acordos?"

O presidente do PS defendeu, esta quinta-feira, que Bloco e PCP têm de esclarecer "o que os move" nas negociações orçamentais: se preferem fazer oposição a um Governo de direita ou fazer acordos com um …

Apenas 14% das vacinas prometidas aos países mais pobres foram efetivamente entregues

Apesar das promessas deixadas por muitos dos países mais ricos e desenvolvidos, número de vacinas que chegou aos territórios é ainda muito baixo, o que pode comprometer os avanços já conseguidos. Apenas uma em sete doses …

Presidente da Coreia do Sul anuncia fracasso da colocação de satélite em órbita

O primeiro foguetão espacial fabricado pela Coreia do Sul falhou a colocação em órbita da sua carga, um satélite simulado de 1,5 toneladas, apesar de o lançamento ter tido sucesso, disse o Presidente do país. O …

Juízes recusam suspender julgamento de Ricardo Salgado

O juiz que está a julgar o ex-presidente do Banco Espírito Santo (BES), no âmbito da Operação Marquês, recusou suspender o julgamento, depois de a defesa ter alegado o facto de ter sido diagnosticado Alzheimer …

Quadro de Van Gogh, que esteve nas mãos dos nazis, vai a leilão. Deverá render 25 milhões de euros

Uma pintura de Vincent van Gogh vai ser leiloada no próximo mês, depois de mais de um século sem ser vista em público. Estima-se que o preço de venda chegue aos 25 milhões de euros. O …