A imponência do Titanic pode ter acelerado o fim da sua história

Wikimedia

O Titanic no porto de Southampton, em Inglaterra

Com quase 269 metros de comprimento, o tamanho do Titanic – considerado o maior navio do mundo em 1912 – pode mesmo ter acelerado o fim da sua história.

O Titanic media quase 269 metros de comprimento, 28 metros de largura e pesava mais de 46 mil toneladas. Em 1912, quando foi dado a conhecer ao mundo, era considerado o maior navio do mundo e simbolizou um empolgante avanço na indústria naval.

Segundo o All That’s Interesting, o negócio do transporte marítimo no início do século XX era dominado por um punhado de empresas, entre as quais a White Star Line. Para superar os rivais, que tinham acabado de lançar o Lusitânia, a White Star começou a construir a sua embarcação mais ambiciosa: o RMS Titanic.

Batizado em homenagem aos gigantescos Deuses da mitologia grega conhecidos como Titãs, o Titanic foi projetado para ser um gigante flutuante. Quando comparado com os navios de cruzeiro atuais, parece pequeno, mas bateu recordes na sua época.

A imponência do navio, que parecia ser um motivo de vitória, não entusiasmou toda a gente. Alguns especialistas em construção naval alertaram que os novos navios podiam ser demasiado grandes para serem atracados e as autoridades chegaram até a sugerir que o Titanic e o seu irmão – o Olympic – teriam que descarregar passageiros e carga no mar.

Independentemente dos avisos, o Titanic ficou pronto no dia 31 de março de 1912 e, alguns dias depois, partiu para a sua viagem inaugural. O tamanho despertou curiosidade e o navio chegou a ser rotulado de “inafundável“.

“Não há perigo de o Titanic afundar”, gabou-se Phillip Frank, vice-presidente da White Star Line. “O barco é inafundável.”

Mas quatro dias depois de zarpar, a 10 de abril de 1912, do porto de Southampton, na Inglaterra, o Titanic embateu contra um icebergue.

Especialistas modernos acreditam que o navio afundou mais rápido do que seria suposto devido, em parte, ao seu tamanho.

Reduzir e redirecionar um navio desta massa exigia muito mais distância e tempo do que a tripulação dispunha quando percebeu que corria o risco de atingir um icebergue. Além disso, apesar de ter sido construído com vários compartimentos abaixo do convés, esses compartimentos não eram à prova de água.

Quando o Titanic embateu, começou a entrar água na parte da frente do navio. A parte de trás, mais pesada, puxou para baixo a embarcação, que quase partiu ao meio.

Depois do naufrágio do Titanic, os fabricantes Harland e Wolff fizeram mudanças drásticas nos seus dois navios irmãos, o HMHS Britannic e o RMS Olympic. As embarcações foram modificadas e atualizadas com anteparas mais altas, um segundo casco interno, materiais à prova de fogo e, o mais importante, mais barcos salva-vidas.

Atualmente, os navios modernos estão também equipados com recursos e protocolos de segurança rígidos para evitar outros desastres marítimos, como o do Titanic.

Liliana Malainho Liliana Malainho, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Juventus quer Zidane para o lugar de Pirlo

O insucesso desportivo da Juventus esta temporada deve fazer com que Pirlo saia do clube. Zidane, que também estará de saída do Real Madrid, é o favorito da vecchia signora. Zinédine Zidane estará a pensar seriamente …

“Incompetência e arrogância”. Cabrita está (novamente) debaixo de fogo. Partidos pedem a sua demissão

Eduardo Cabrita, ministro da Administração Interna, está mais uma vez no centro da polémica. Depois de ter avançado com uma requisição civil para que mais de 20 imigrantes fossem transportados para o Zmar, durante a …

Fernando José é o candidato do PS a Setúbal. Ana Catarina Mendes concorre à Assembleia Municipal

O deputado e vereador socialista Fernando José é o cabeça de lista do PS às próximas eleições autárquicas para a Câmara de Setúbal e Ana Catarina Mendes à Assembleia Municipal, revelou fonte oficial do Partido …

Portugal na zona de queda dos restos do foguetão chinês

O foguete de Longa Marcha chinês que foi lançado a 29 de abril, e agora está a preocupar o mundo. As previsões é que a reentrada na atmosfera se dê até ao próximo dia 9 …

CIP propõe "almofada" pública de 8.000 milhões para resolver moratórias

A Confederação Empresarial de Portugal (CIP) propôs ao Governo criar uma "almofada" de garantias públicas no valor de oito mil milhões de euros para dar poder às empresas e levar a banca a renegociar os …

Reino Unido. Variante indiana é “preocupante“ e já infetou idosos vacinados

No Reino Unido, já foram encontradas 48 cadeias de transmissão da variante indiana e sabe-se que há transmissão comunitária. A Public Health England classifica esta variante como “preocupante”. A direção geral de saúde de Inglaterra (PHE …

Petição para cancelar Jogos Olímpicos conta já com 200 mil assinaturas

Uma petição 'online' a pedir o cancelamento dos Jogos Olímpicos Tóquio2020 devido à pandemia da covid-19 ultrapassou esta sexta-feira as 200 mil assinaturas, avançou a agência Lusa. A campanha, lançada na quarta-feira pelo advogado e ativista …

“Não queremos estragar a nossa joia da coroa“. Governo pode limitar acesso da Peneda-Gerês

O Secretário de Estado da Conservação da Natureza concorda com os autarcas, sobre o impacto positivo do turismo para as populações, mas nota que o sucesso do PNPG não pode pôr em causa os valores …

Fome e seca levam milhares de angolanos a fugirem para a Namíbia

A fome provocada pela seca extrema na província de Cunene, no sul de Angola, está a levar milhares de pessoas a fugir para a Namíbia. "A estiagem provocou a rutura de 'stocks' alimentares das comunidades e …

Governo britânico confirma Portugal na “lista verde” de viagens. Preço das viagens disparou

Portugal vai estar na “lista verde” de países considerados seguros para viajar e isentos de quarentena na chegada a Inglaterra a partir de 17 de maio, anunciou hoje o ministro dos Transportes britânico, Grant Shapps. Portugal …