/

Divulgadas imagens de videovigilância do “maior assalto da história”

4

A polícia local divulgou imagens da joias roubadas e dos ladrões dentro do museu. As autoridades estão agora a trabalhar para identificar possíveis suspeitos.

Três conjuntos com diamantes e rubis de “valor inestimável” foram roubados esta segunda-feira do museu Grünes Gewölbe, na cidade de Dresden, na Alemanha. Agora, foram divulgadas imagens de videovigilância dos ladrões naquele que poderá ser um dos maiores assaltos da história, com peças roubadas no valor de mil milhões de euros.

Pelo menos dois ladrões conseguiram entrar no museu pouco antes das 05:00 locais (04:00 em Lisboa) para roubar esses três conjuntos do século XVIII, antes de fugirem, explicaram os investigadores em conferência de imprensa.

As imagens de videovigilância mostram os criminosos, equipados com lanternas e martelos, a entrarem no museu e a partirem as vitrinas protetoras onde estavam expostas as joias.

Segundo o jornal Público, as autoridades de Dresden também divulgaram imagens da joias roubadas. “O Departamento de Polícia de Dresden publicou fotos de algumas das jóias roubadas do museu Grünes Gewölbe”, divulgou a Polícia da Saxónia através do Twitter.

Os assaltantes partiram um dos vidros do edifício para conseguirem entrar. “No final, roubaram várias jóias. No total, o ato demorou meros minutos“, lê-se no comunicado da polícia. As autoridades estão agora a investigar as imagens conseguidas e tentam arranjar testemunhas que possivelmente tenham visto pessoas suspeitas nas redondezas do museu.

“De acordo com as provas, os ladrões escaparam do local num Audi A6. Um veículo idêntico foi incendiado num parque de estacionamento subterrâneo na rua Kötzschenbroder”, explica a nota divulgada.

Pouco antes do assalto, um incêndio, perto do museu, destruiu um transformador elétrico, interrompendo o sistema de alarme. No entanto, os investigadores recusaram-se, nesta fase, a estabelecer uma ligação entre os dois acontecimentos. A diretora, Marion Ackermann, não pôde fornecer o valor estimado do prejuízo.

De acordo com o jornal germânico Bild, o valor das joias roubadas pode chegar a mil milhões de euros, assumindo-se, potencialmente, como um dos maiores roubos da história. “Estamos a falar de objetos de valor cultural inestimável”, disse Dirk Syndram, diretor do museu, em conferência de imprensa.

Construído no século XVI, o museu é conhecido por ter uma das coleções mais importantes de joias antigas da Europa. Possui peças únicas de ourivesaria, pedras preciosas, porcelanas, esculturas de marfim ou âmbar, bronzes ou recipientes com pedras preciosas.

Uma parte do museu, um dos mais antigos da Europa, foi destruída durante a Segunda Guerra Mundial no bombardeamento dos aliados de 13 de fevereiro de 1945, sendo posteriormente reconstruida.

O Exército Vermelho apropriou-se de uma parte das obras, levadas para a União Soviética, antes de ser repatriado em 1958, para Dresden, uma das principais cidades da República Democrática Alemã (RDA).

  ZAP //

4 Comments

  1. Pouco antes do assalto, um incêndio, perto do museu, destruiu um transformador elétrico, interrompendo o sistema de alarme…
    Isto não é o roubo do século, isto é a ANEDOTA do século.
    Alguém que informe aquela gente, que a muito tempo, que há alarmes que não dependem da
    rede eléctrica!!!
    Já inventaram as baterias, geradores, sistemas paralelos subterrâneos, etc, etc…!!!

  2. Um museu com peças inestimáveis guardado por câmaras sem luz nocturna. Os responsáveis pela segurança é que deviam ser incriminados. As imagens não têm valor nenhum para investigação

  3. Houve um assalto a uns anos, onde desapareceram umas jóias emprestadas, que eram do estado. Não me lembro em que país foi, nem qual foi o resultado final. Deve ter havido um branqueamento informativo.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE