/

“É um dia feliz”. IL diz que Marcelo não vai propor renovação do estado de emergência

António Cotrim / Lusa

João Cotrim de Figueiredo, Iniciativa Liberal

O deputado da Iniciativa Liberal (IL), João Cotrim Figueiredo, afirmou hoje que o Presidente da República não vai propor a renovação do estado de emergência para fazer face à pandemia de covid-19.

“Para nós, é um dia feliz porque vamos deixar de estar em estado de emergência”, afirmou Cotrim Figueiredo aos jornalistas, no parlamento, depois de ter conversado, por telefone, com Marcelo Rebelo de Sousa.

O deputado da IL disse ter tido, na conversa telefónica com o Presidente, “a grata notícia de que se prepara para propor a não renovação do estado de emergência”.

“Sujeito aos contactos com os outros partidos, do Governo, teremos chegado ao fim desta saga que tanto tem prejudicado o país”, afirmou, e daí ser “um dia feliz” porque os portugueses vão “deixar de estar em estado de emergência”.

Tendo em conta a posição do Chefe do Estado e “os resultados positivos” anunciados hoje de manhã na reunião com os especialistas no Infarmed, em Lisboa, Cotrim Figueiredo não acredita que “alguém se vá opor” ao fim do estado de emergência.

O deputado da Iniciativa Liberal disse ter alertado o Presidente da República que o Governo deve ter cuidado e “não pode ser facilitista” quando a algumas medidas em vigor, associadas ao estado de emergência, como a obrigatoriedade do uso de máscara na rua ou os horários dos estabelecimentos comerciais”.

E evitou falar nas disposições que devem estar em vigor, agora com o fim do estado de exceção, mas disse não querer “sequer admitir o estado de calamidade”.

João Cotrim Figueiredo acrescentou ser “evidente” que “não passaram todos os problemas em termos pandémicos”, a partir de agira, “será uma responsabilidade que cada um assumirá individualmente e não por imposição de um estado de emergência”.

O Presidente da República vai falar ao país hoje, pelas 20:00, depois de ouvir os partidos sobre o possível fim do estado de emergência, que já disse esperar que terminasse no fim deste mês.

  // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.