O homem que “quebrou” o Banco de Inglaterra, quer “quebrar” o Brexit

FMI / Flickr

O investidor George Soros

É conhecido por ter feito fortuna a especular contra a libra na “Quarta-feira negra” e por ser um dos 30 homens mais ricos do mundo. Agora, George Soros confirma ter feito um donativo para uma campanha contra o Brexit.

George Soros já confirmou ter feito um donativo para a campanha “Best for Britain”, que visa impedir que o Brexit aconteça.

O donativo já tinha sido avançado pelo The Telegraph na semana passada, mas agora, para se defender de críticas e insinuações, o multimilionário de 87 anos escreveu um carta aberta para o Daily Mail.

Na carta, Soros confirma ter entregue 400 mil libras à organização (mais de 450 mil euros), por considerar o Brexit “um erro de proporções trágicas”.

Segundo o próprio, tudo foi feito por amor ao Reino Unido e pela importância de viver numa “sociedade aberta” e não numa “sociedade fechada, onde os donos do poder exploram as pessoas”. E isto, George Soros sabe melhor que ninguém, tendo em conta que viveu a infância na Hungria comunista.

É por isso que soros criou a “Open Society“, através da qual doa enormes somas de dinheiro a entidades políticas e ativistas, apoiando causa progressistas e liberais.

George Soros lamenta o Brexit, um processo que vai “transformar o Reino Unido de amigos em inimigos, pelo menos durante o período transitório”. “Antes do referendo, o Reino Unido estava a ter maiores sucesso económico do que o resto da Europa. Mas agora isso inverteu-se, com as economias continentais a crescerem de forma robusta, enquanto que o Reino Unido fica para trás”.

Numa reflexão sobre o referendo que levou ao momento europeu atual, George Soros classifica-o como um “um erro fatal”: “A experiência mostra que os referendos levam, muitas vezes, a decisões erradas. Incentivadas por agitadores sem escrúpulos, as pessoas usam os referendos para expressar insatisfação em relação ao atual estado de coisas, em vez de pensarem sobre as consequências. Só porque a situação atual não é satisfatória não quer dizer que não pode piorar. E isto está a acontecer no Reino Unido”.

E George Soros antecipa ainda que “à medida que o divórcio entrar na fase de maior confronto”, a economia britânica vai sofrer cada vez mais, num sofrimento que classifica como “cada vez mais dolorosamente óbvio”.

Além disso, o multimilionário avisa ainda que as verdadeiras preocupações da Europa deveriam ser os inimigos externos, como a Rússia de Putin.

Segundo o Observador, no que diz respeito à sociedade britânica, Soros pensa muito nos “jovens que vão viver num futuro que nunca verei”.

Isto porque “as pessoas com menos de 35 anos votaram de forma esmagadora para ficar na União Europeia, e só nas pessoas com mais de 55 anos é que houve uma maioria de votantes pelo Brexit”.

Na leitura de Soros, “os velhos sobrepuseram-se aos jovens, que terão de viver com as consequências do Brexit nas próximas décadas”. Este é um fator que “alimenta a deceção dos jovens em relação à democracia”, não obstante, acredita o filantropo, um dia o Reino Unido voltar a candidatar-se para regressar à União Europeia.

Ainda assim, na opinião de Soros, a opinião pública está cada vez mais a mover-se no sentido da permanência, pelo que é preciso “acelerar” o processo e chegar a um “ponto de inversão” nos próximos seis a nove meses.

“O eleitorado precisa de obrigar os seus deputados a dar-lhes a coragem de revoltar-se contra a liderança dos partidos, e o eleitorado precisa de estar motivado não apenas para votar mas, também, para tomar um papel ativo na política“, pede Soros.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Errado, George Soros, nao viveu na Hungria Comunista. Ele é Judeu, viveu a Hungria durante a tomada desta pelas forcas alemães durante a Segunda Guerra Mundial. E salvou-se do Holocausto, por ter passado por Cristão e foi protegido por um oficial Alemão Nazi. A suas interferências na economia Mundial e políticas, são por dinheiro e só por este. Homem demagogo e perigoso, que julga dominar o mundo conforme os seus interesses.

  2. O Brexit foi uma decisão da gerontocracia britânica. Deixar a decisão em pessoas que têm saudades do colonialismo e do Império é o que dá!

RESPONDER

Chefe do Estado-Maior do Exército demite-se

O chefe do Estado Maior do Exército (CEME), o general Rovisco Duarte, demitiu-se nesta quarta-feira, dois dias após a tomada de posse do novo ministro da Defesa A notícia, inicialmente avançada pela TVI24, é agora confirmada …

"Biscoitos Ronaldo" geram polémica em café português no Reino Unido

Café em Worcester, Reino Unido, vendeu cerca de 60 bolachas. Dono alega que se tratava de uma brincadeira. Um português que vive no Reino Unido gerou polémica ao vender, no seu café, bolachas alusivas às acusações …

Macron segue os passos de Portugal e remodela o Governo francês

Depois de Portugal, foi a vez da França fazer uma remodelação governamental. Quatro ministros estão de saída, entram oito e seis mudam de pasta. A remodelação do Governo francês foi anunciada na terça-feira, duas semanas depois …

Governo quer vender fardas da PSP e GNR na Internet

A criação de uma plataforma online para a venda das fardas dos militares da GNR e dos agentes da PSP é uma das medidas que consta do Orçamento do Estado para 2019, com o objectivo …

Explosão em escola na Crimeia faz 10 mortos e centenas de feridos

Pelo menos 10 pessoas morreram e outras 50 ficaram feridas numa explosão no Instituto Politécnico da cidade de Kerch, no leste da Crimeia, de acordo com fontes médicas russas. "Como resultado de uma explosão no Instituto …

Relação confirma pena de prisão máxima para Pedro Dias

O Tribunal da Relação de Coimbra confirmou esta quarta-feira a decisão da primeira instância de condenar Pedro Dias a 25 anos de prisão por vários crimes cometidos em Aguiar da Beira, a 11 de outubro …

Benefícios fiscais só para novos contratos podem acelerar despejos

Depois de analisar as propostas do pacote de habitação, a UTAO avisa para as possíveis consequências das medidas de alívio fiscal no arrendamento, por apenas se aplicarem a novos contratos.   A Unidade Técnica de Apoio …

Subvenções vitalícias a políticos custam 7,17 milhões (e a lista continua em segredo)

O Orçamento de Estado para 2019 prevê um gasto de 7,17 milhões de euros com as subvenções vitalícias atribuídas a políticos. Um valor que desce apenas 90 mil euros, relativamente a 2018, numa altura em …

Afinal, a Google cedeu dados de bloggers ao Benfica

O Benfica chegou a acordo com a Google para a obtenção da identidade dos autores de blogues que divulgaram emails roubados ao clube. Os encarnados terão desistido da acção contra a gigante tecnológica. O Jornal de …

Centeno contraria Marcelo: “O único orçamento eleitoralista foi o de 2016”

Na sua primeira entrevista após a entrega do Orçamento de Estado para 2019, Mário Centeno rejeitou que a proposta seja eleitoralista, afirmando que o único orçamento eleitoralista nesta legislatura foi o de 2016. Ao contrário das …