Holandesa abandona vida de luxo para viver na selva com homem 30 anos mais velho

Imagine viver sem telemóvel, luz eléctrica, banho quente e todos os confortos da vida moderna. Para um casal, a vida assim é perfeita. Miriam e Peter deixaram a vida de luxo na cidade e há sete anos que vivem numa floresta na Nova Zelândia.

A holandesa Miriam Lancewood, de 33 anos, e o marido, o neozelandês Peter, de 63, tinham a ideia de passar apenas um ano na natureza. Mas nunca mais quiseram voltar.

Sete anos depois, Miriam conta a sua experiência no livro Woman in the Wilderness, Mulher na Selva, e, numa entrevista ao jornal britânico Daily Mail, diz que os dois não têm planos de algum dia voltar definitivamente para a civilização.

Miriam e Peter Lancewood tiveram inicialmente a ideia de ir viver em South Marlborough, depois de fazerem uma caminhada na Holanda. “Queríamos ser parte da natureza, em vez de apenas observá-la”, conta.

A preparação incluiu longas caminhadas de dez dias pelo mato, treinos de arco e flecha num alvo e leituras sobre plantas comestíveis. “Arrumamos duas mochilas de 85 litros com tudo o que precisávamos, desde aveia laminada até leite em pó, farinha, mel, arroz e legumes. Contámos tudo, até os saquinhos de chá”, contou Miriam.

Miriam e Peter mudaram-se para South Marlborough, na Nova Zelândia, no fim de 2010, onde passaram o inverno, foram depois para Nelson Lakes, e mais tarde para West Coast, uma das mais remotas e menos povoadas regiões do país.

Miriam caçou o seu primeiro animal, um gambá da Virgínia, nesse mesmo ano. Ela tinha sido vegetariana durante a maior parte da sua vida, mas rapidamente percebeu que teria que caçar para se manter aquecida.

Mais tarde, Miriam matou a sua primeira cabra, com um arco e flecha. “Lembro-me que na altura, pensei isto é terrível, e chorei, mas depois também me senti muito orgulhosa de mim mesmo”, disse ela à publicação.

O casal passa o dia entre a caça, a cozinha, a exploração e o sono, e só vão à cidade quando precisam de mais alimentos.

“Não temos necessidade de dinheiro na natureza. Quando vamos para as cidades, obviamente, temos de comprar mais aveia, mel, arroz, etc, e tiro dinheiro do banco”, conta Miriam, que toca violão nos shopping centers para ganhar dinheiro.

“É incrível, quando deixamos a vida moderna, como nos sentimos bem. Adormecemos muito facilmente, quando a mente está calma. Nunca mais poderei dormir nas cidades”.

Para comunicar com a família, Miriam criou um sistema: escreve cartas aos pais entrega-as a caçadores, que as enviam quando chegam à cidade. “Os meus pais, então, respondem-me por e-mail, que consulto de dois em dois meses, quando vou a uma aldeia”, disse ela.

Segundo Miriam, “a paz de espírito que se encontra na natureza é indescritível”.

Aprendi quão pequenos são os nossos problemas, e as minhas preocupações pessoais agora parecem minúsculas e patéticas. Esta experiência tem sido uma grande ajuda para a minha ansiedade. Sinto-me feliz, saudável, e explorar a Natureza dá-me alegria e energia”, conclui Miriam Lancewood.

13 COMENTÁRIOS

  1. A vida é tão fácil assim…quando se sabe que se tem sempre um fundo de maneio por detrás caso dê para o torto e.O que era de louvar seria distribuirem toda a riqueza por instituições e pessoas carenciadas e depois sim começarem este novo estilo de vida.Isso sim, agora desta maneira não vejo qualquer noticia de extraordinário.Tudo hipócresia de riquinho(a)

      • Nunca disse que fazia mal nem fazia bem,cada um(a) tem direito de escolha.Apenas manifestei uma realidade,que qualquer um(a) de nós o poderia fazer se tivesse na situação deles,afinal,a zona de conforto manteve-se nem que seja,caso algo corra mal,pode ser voltar à vidinha de luxo.Não tenho nada contra quem tem até pelo contrário,fico muito contente por quem a pode ter,sinal de que alguns têm essa sorte.Só não percebo é o porquê de tanto destaque nesta notícia,pois até parece que fez algo de extraordinário quando na realidade qualquer mortal o poderia fazer se tivessem tão boas condições,nem que fosse por estarem livres de preocupações monetarias.Mas claro,tinham que fazer algo…Enfim!

  2. Tanta gente que não faz ideia o que é o amor, Tanta gente tão mal amada… enfim. Parabéns a ela que ja atingiu patamares elevados, sem conceitos, apenas amando.

  3. A rapariga viu a luz e decidiu ir para o campo/selva/selva watever. Mas antes disso teve a preparar se num ginásio pago com dinheiro dos “concertos de violão” ou por outro meio, porque aqueles abdominais e pele sequinha não é da selva com certeza.

  4. Ainda está na fase da “descoberta”. No dia que ficar doente e vir a vida por um fio sabendo que na civilização seria salva num hospital, nessa altura ela volta !

  5. Se tivessem que viver nestas condições por necessidade certamente não estariam tão felizes.
    Agora viver nestas condições e saber que têm uma boa conta bancária…é como se tivessem a passar umas férias diferentes. Não acredito que estejam a viver esta aventura sem telemóvel, luz eléctrica, banho quente, etc… Pelo menos alguém tem que tirar as fotos 😉

RESPONDER

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho

Passos não metia "uma rolha na boca" a quem o criticava

"É esta a Democracia praticada por quem está este domingo no Governo, uma Democracia limitada e mais pobre", salientou o ex-primeiro-ministro. O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, afirmou este domingo que quando estava no Governo …

-

SpaceX aborta lançamento de foguete Falcon 9 no último instante

A empresa aeroespacial norte-american SpaceX suspendeu este domingo, no último minuto, o lançamento de um foguete na estação espacial Kennedy, da agência espacial norte-americana NASA, devido a "um problema no sensor". O lançamento do foguete Falcon …

O alpinista suíço Ueli Steck

Alpinista suíço Ueli Steck morre em acidente no Evereste

O alpinista suíço Ueli Steck, de 40 anos, morreu hoje num acidente de alpinismo perto do Monte Evereste, no Nepal, informaram os organizadores da expedição. O alpinista Ueli Steck morreu no campo 1 do Monte Nuptse. …

O presidente dos EUA, Donald Trump

Trump vai tomar “grande decisão” sobre Acordo de Paris nas próximas duas semanas

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou este sábado, ao cumprir 100 dias na Casa Branca, que vai tomar “uma grande decisão” sobre o Acordo de Paris relativo às alterações climáticas “nas próximas duas …

goalpoint-braga-sporting-liga-nos-201617-1068x522

Braga vs Sporting | Bas Dost arrasa em jogo de loucos

O Sporting levou a melhor sobre o Sp. Braga, ao vencer por 3-2 na Pedreira, num jogo com uma segunda parte de loucos e quatro golos, num total de cinco. Os “leões” dominaram na posse …

-

"Logan" vai ter uma versão a preto e branco

James Mangold, o realizador de Logan, anunciou esta sexta-feira que o filme vai ter uma versão especial a preto e branco. Recorrendo à rede social Twitter para dar a novidade, Mangold indicou o dia 16 de …

Mergulhadores das forças especiais Navy Seals nadam de regresso ao submarino USS Michigan após uma operação

Coreia promete destruir em "pedaços de metal fundido" o submarino nuclear americano

O submarino USS Michigan da Marinha dos EUA, que chegou este sábado ao porto sul-coreano de Busan, pode ter um “final triste”, se Washington tiver alguma "atitude provocatória". Num artigo para o portal norte-coreano Uriminzokkiri, "Compatriotas …

O ministro das Finanças, Mário Centeno

Regras do Fundo de Resgate não permitem redução do juro proposta por PS/BE

Uma redução da taxa de juro dos empréstimos europeus concedidos no programa de resgate, conforme propõem PS e Bloco de Esquerda, não é permitida pelas regras do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF), segundo fonte …

A ativista argentina Taty Almeida, militante da organização Madres de Plaza de Mayo

"Quem lhe falta?": Mães da Praça de Maio completam 40 anos de luta pela memória e pela vida

No dia 30 de abril de 1977, em plena ditadura militar na Argentina, 14 mulheres reuniram-se na Praça de Maio, em frente à sede do governo em Buenos Aires, para protestar pelos seus filhos desaparecidos, …

-

Afinal, os teóricos da conspiração podem ser apenas solitários

Se tivesse que descrever um teórico da conspiração, provavelmente pensaria numa pessoa maluca, que “não bate bem da cabeça”, certo? Errado. Segundo um estudo recentemente publicado no Journal of Experimental Social Psychology, os teóricos da …