Holanda investiga morte de milhares de doentes mentais na II Guerra Mundial

A Holanda vai investigar as circunstâncias em que milhares de pessoas com incapacidades e doenças mentais morreram nos hospitais psiquiátricos do país na II Guerra Mundial, um número que é desconhecido, divulgou a imprensa local.

“Não se sabe ao certo quantas pessoas morreram nos hospitais psiquiátricos, mas temos que pensar na instituição de Den Dolder (Utrecht), por exemplo, um camião carregado de cadáveres deslocava-se ao cemitério todas as semanas. Eram enterrados de forma anónima e em valas comuns”, declarou à imprensa o presidente da Fundação para as Vítimas Esquecidas da Segunda Grande Guerra Mundial, Armand Hoppener.

As instituições psiquiátricas não foram um local seguro durante esta guerra e desconhece-se o papel exato que desempenharam, de acordo com o Instituto de Estudos da Guerra, Holocausto e Genocídio, organismo que recebeu esta semana autorização oficial para iniciar a investigação.

A título de exemplo, na noite de 21 para 22 de janeiro de 1943, os nazis evacuaram a instituição psiquiátrica judicia Het Apeldoorrnsche Bosch, em Apeldoorn, a 100 quilómetros de Amesterdão, e levaram quase 1.200 pacientes e 50 empregados, todos pessoal da enfermaria, para o campo de concentração de Auschwitz, onde foram assassinados.

Atualmente, só restam monumentos comemorativos no edifício hospitalar para recordar o ocorrido e explicar os cuidados oferecidos a nível psiquiátrico entre 1909 e 1943. “Foi um autêntico inferno. No inverno fazia tanto frio que os pacientes morriam congelados, os funcionários tentaram fazer algo, mas não lhes foi permitido”, relatou Hoppener.

Em determinados hospitais psiquiátricos os pacientes que não eram judeus não foram assassinados, mas foram privados de atenção. As instituições do interior do país viram duplicar o número de pacientes porque tiveram que atender os doentes dos hospitais psiquiátricos da zona costeira, cujas instalações foram ocupadas pelos nazis e convertidos em “bunkers” e armazéns de armas do Muro do Atlântico.

A falta de comida e a sobrelotação dos hospitais psiquiátricos provocou também a morte em massa de pacientes por desnutrição e doenças infecciosas.

Poucas semanas antes da libertação da Holanda, os pacientes de uma instituição em Goringen foram deportados repentinamente para Harlingen, apesar de as condições de saúde não o permitirem, tendo muita gente morrido durante a viagem.

“A situação em alguns hospitais psiquiátricos era tão má como nos campos de concentração”, conclui Hoppener.

Também no resto da Europa o balanço foi trágico, tendo mais de 40 mil pacientes psiquiátricos morrido devido à fome e privação de atenção sanitária e psicológica em instituições similares em França, mas não existem provas claras de que a ocupação do país pela Alemanha nazi em 1940 tenha tido o mesmo impacto que teve na Holanda.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Sem Joacine, nova direção do Livre foi eleita com 95 votos a favor e 15 brancos

Este domingo, no segundo dia do IX congresso do Livre, a nova direção do partido foi eleita com 95 votos a favor e 15 brancos (e não conta com a deputada Joacine Katar Moreira). No final …

Juiz pede escusa do caso dos emails por ser adepto do Benfica

O juiz desembargador apresenta vários motivos para pedir escusa do processo, nomeadamente por ser "sócio do Benfica desde 1968". De acordo com o jornal Público, Eduardo Pires, juiz desembargador do Tribunal da Relação do Porto (TRP), …

Afinal, Irão já não vai pedir ajuda para analisar caixas negras do avião

O Irão recuou na intenção de enviar para análise as gravações da caixa negra do avião ucraniano, que abateu acidentalmente na semana passada, para que sejam sujeitas a análises adicionais, revelou a agência noticiosa iraniana. Citado …

Bruno Fialho sucede a Marinho e Pinto na liderança do PDR

Bruno Fialho é o novo presidente do Partido Democrático Republicano (PDR), ao obter 75% dos votos na eleição deste sábado para escolher o sucessor de António Marinho e Pinto, que anunciou o abandono do cargo …

Legislador russo culpa "arma climática" dos EUA pelo inverno quente de Moscovo

Alexei Zhuravlyov, membro da câmara baixa do Parlamento da Rússia (Duma), culpou uma alegada "arma climática" secreta dos Estados Unidos pelas anómalas temperaturas que se fizeram sentir este inverno em Moscovo.  Em declarações à estação de …

Nova espécie de louva-a-deus empala as suas presas como se fossem fondue

O Carrikerella simpira, uma nova espécie de louva-a-deus, caça as suas presas perfurando-as de um lado ao outro com as suas patas em forma de tridente. Cientistas descobriram uma nova espécie de louva-a-deus com uma característica …

Astrónomos descobrem que o fósforo foi gerado na formação de estrelas

Astrónomos descobriram que o fósforo, elemento químico essencial à vida, se constituiu durante a formação de estrelas e sugerem que chegou à Terra através de cometas. Uma equipa de astrónomos detetou monóxido de fósforo na região …

Nova máquina repara e mantém fígados vivos fora do corpo humano durante uma semana

Um novo sistema consegue manter um fígado humano vivo fora do corpo durante sete dias, período no qual o órgão danificado pode ser reparado e preparado para o transplante. As tecnologias convencionais conseguem sustentar um fígado …

Rui Rio vence segunda volta. Líder reeleito quer "estabilidade, lealdade e unidade"

O presidente social-democrata, Rui Rio, afirmou hoje que espera poder “trabalhar com estabilidade e lealdade”, recusou que o PSD esteja “partido” e vincou estar “a iniciar o momento para marcar a unidade” no partido. O líder …

Gatos não se importam de comer pessoas mortas (e há um estudo que mostra como o fazem)

Uma nova investigação analisou como é que dois gatos selvagens se alimentaram de cadáveres humanos. Os animais mostraram preferência por corpos específicos ao longo de vários dias. No Forensic Investigation Research Station, no estado norte-americano do …