//

Hitler abraçou uma menina judia. 85 anos depois, a foto foi a leilão

10

(dr) Alexander Historical Auctions

Adolf Hitler abraça Rosa Bernile Nienau, então com 6 anos

Uma foto de 1933 mostra o ditador nazi ao lado de uma menina de seis anos de idade cuja avó era judia. A imagem, com uma dedicatória assinada por Hitler, foi arrematada em leilão por mais de 10 mil euros.

Uma fotografia de Adolf Hitler a abraçar uma menina de origem judaica foi esta semana vendida em leilão por 11.520 dólares — cerca de 10 mil euros.

Segundo o The Washington Post, a imagem a preto e branco, feita pelo fotógrafo pessoal do ditador, Heinrich Hoffmann, tem uma dedicatória de Hitler, em tinta azul escura. A imagem retrata-o a sorrir enquanto abraça Rosa Bernile Nienau, então com 6 anos, em 1933 em Berghof, o seu retiro nas montanhas. “À querida e apreciada Rosa Nienau. Adolf Hitler, Munique, 16 de junho de 1933“, diz a inscrição.

O jornal explica que a imagem foi usada como propaganda, numa altura em que o líder nazi era apresentado ao mundo como uma figura gentil e simpática.

Na passada terça-feira, a casa de leilões Alexander Historical Auctions, da cidade de Chesapeake, no estado norte-americano de Maryland, leiloou a foto. Ninguém sabe de que forma a imagem chegou à posse da casa de leilões, nem a identidade do seu comprador  foi revelada.

A casa de leilões revelou que, segundo as suas pesquisas, Hitler soube da origem judaica da menina, mas optou por ignorá-la. A menina, que tinha cerca de 6 anos de idade quando a foto foi tirada, tinha uma avó judia — o que, segundo as leis nazis, fazia com que a menina fosse “um quarto judia”.

Segundo a casa de leilões, Rosa terá visitado Hitler com a mãe, para celebrar o aniversário do ditador, e provavelmente terá sido escolhida para o conhecer por terem nascido no mesmo dia, 20 de abril. Hitler e a menina terão criado uma ligação, tendo-se encontrado várias vezes e trocado correspondência durante cinco anos, até 1938.

De acordo com o livro Hitler’s Alpine Headquarters, de James Wilson, um dos assistentes de Hitler descobriu as raízes judias da jovem e proibiu-a de visitar o retiro.

Após algum tempo, Hitler, que não tinha sido informado desta proibição, perguntou o que tinha acontecido à sua criança favorita – descobrindo que Rosa tinha sido proibida de  o visitar. Segundo o livro, Hitler não ficou nada satisfeito com o facto.

Após a ascensão de Hitler e dos nazis ao poder, os judeus começaram a ser perseguidos. A chamada “Noite dos Cristais”, em 1938, marcou o início do Holocausto, que resultou na morte de seis milhões de judeus. Rosa Nienau morreu de poliomelite em 1943, dez anos depois do encontro com o ditador nazi.

Esta não foi a primeira vez que a casa de leilões de Maryland negociou objectos ligados a Adof Hitler. Em fevereiro de 2017, o telefone vermelho do ditador nazi, apresentado como a “arma mais destrutiva” da história, foi vendido em leilão por 243 mil dólares.

  ZAP // Deutsche Welle

10 Comments

  1. Qualquer um que saiba de história sabe que Hitler foi atrás dos judeus porque eram a desculpa fácil para justificar a pobreza e desemprego. Os judeus eram o top 1% que detinham a riqueza e o controlo do poder financeiro, os socialistas nazis foram atrás do dinheiro dos mesmos. Caso fossem pobres os judeus tinham sido deixados em paz

    • Não, não é “nem mais”. O Nazismo xenófobo de socialista só tinha o nome porque estava na moda tudo o que soasse a Marx, mas que nunca nada fez no sentido de redistribuição de riqueza ou da eliminação das classes sociais. Mas na realidade o Nazismo foi desde o início inspirado no Fascismo Italiano e Hitler era grande admirador de Mussolini. Dois palhaços que na sua linguagem corporal e discurso de louco furioso, só lembram o Trump.

      Claro que pode ter dado muito jeito ficar com a riqueza dos Judeus. A Suiça que o diga! Mas Hitler perseguiu e chacinou inúmeras outras raças: Ciganos, Polacos, Afro-Germânicos, homossexuais, testemunhas de jeová, prisioneiros de guerra soviéticos e quaisquer pessoas com invalidez ou deficiência.

      A motivação do genocídio Nazi, está longe de ter sido só económico-financeira. Aliás isso era apenas uma consequência bem-vinda. Um juntar do útil ao agradável, por assim dizer.

      • Entre os 25 pontos do Programa Nacional-Socialista adoptado em 1920 encontrava-se a reforma agrária e a nacionalização de alguns indústrias.

        Dentro do Partido Nazi havia uma corrente mais pró-capitalista (Hermann Göring e Heinrich Himmler, por ex.) e outra mais pró-socialista (Joseph Goebbels, por ex.). Otto Strasser foi um membro destacado que abandonou o partido porque acreditava que Hitler tinha traído os objectivos socialistas ao abraçar o capitalismo.

        Por isso, não é descabido apelidar de “socialista” o Partido Nazi.

        • Ou, dito de outra forma, o Partido Nazi viria, com o tempo, a afastar-se do socialismo tanto quanto o português Partido Socialista viria também a afastar-se do socialismo (tendo este tornado-se num partido social-democrata).

          Isto para dizer que os nomes frequentemente não correspondem à prática real. Quem não se lembra da República “Democrática” Alemã, ou a República “Democrática” Popular da Coreia do Norte…

  2. Com vários comentários acerca de democracia e socialismo e bla bla bla, qual é a democracia que seja verdadeiramente democrática, que tipo de democracia nos é imposta? Quais as opções que temos no nosso país à excepção de pagarmos eternamente por tudo o que supostamente é “nosso”? Tudo fica muito lindo e floreado na teoria, na prática dói mais!

  3. Que notícia tão conveniente para alguns descendentes ideológicos da besta…
    Ele tão depressa dava um beijo nojento e cínico como de imediato a mandava para a câmara de gás!!!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.