Rio diz que “o Chega até pode desaparecer” e atira culpas pelo acordo nos Açores para a esfera de Marcelo

ppdpsd / Flickr

O presidente do PSD, Rui Rio

Rui Rio, presidente do PSD, assume que concorda com o líder do Chega quanto à necessidade de acabar com a “subsídio-dependência” e diz que pode aceitar o apoio do partido de André Ventura no Parlamento nacional. Sobre o acordo nos Açores, diz que foi uma exigência do representante de Marcelo Rebelo de Sousa no Arquipélago. 

Declarações feitas por Rui Rio em entrevista à TVI, onde Rio destacou que o Chega “é uma federação de descontentes” que “vai buscar eleitorado a todos os espectros”.

“Não é um partido cimentado”, frisou ainda, considerando que “o tempo vai obrigar o Chega a ser um partido pela positiva”. “O Chega até pode desaparecer”, vaticinou mesmo, notando que “é uma forte possibilidade”.

Sobre o acordo parlamentar obtido entre os sociais-democratas e o Chega nos Açores, Rio assumiu que “do ponto de vista do interesse do PSD”, não é o ideal.

Mas foi o “ministro da República”, ou seja o representante nomeado por Marcelo Rebelo de Sousa, quem exigiu um documento escrito a garantir a estabilidade no Governo regional, revelou Rio na entrevista.

“Têm de perguntar ao dr. Pedro Catarino. Aquilo que eu sei é que ele exigiu, preto no branco, o suporte parlamentar”, salientou, atirando, assim, para a esfera de Marcelo Rebelo de Sousa parte das responsabilidades pelo acordo com o Chega.

Rio referiu que teve “conhecimento” das negociações, mas notou que não lhes deu “cobertura”. Apesar disso, realçou que concorda com os termos do acordo.

“O PSD Açores aceitou quatro reivindicações do Chega e uma dessas condições foi a redução de subsídio-dependência, um falhanço completo da governação do PS nos Açores”, salientou.

Não tenho nenhum problema com as posições do Chega sobre esta questão da subsídio-dependência, estou de acordo”, reforçou, destacando que é preciso “criar emprego” e “fiscalizar melhor quem está com o rendimento mínimo porque há pessoas que não trabalham porque não querem“.

“Estou de acordo com o combate à corrupção, vamos fazer uma proposta de redução do número de deputados e fomentar o reforço da autonomia”, acrescentou.

Sobre a possibilidade de repetir o acordo dos Açores a nível nacional, Rio admitiu apenas aceitar o apoio do Chega a maiorias no Parlamento.

“Se fosse hoje, era impossível o PSD fazer um Governo com a participação da extrema-esquerda e da extrema-direita. Não entraria o PCP, o BE nem o Chega“, atirou o líder do PSD numa farpa ao Governo de António Costa.

Rio afirmou também que “nunca” um Governo seu “se colocará nas mãos do Chega”, em mais uma crítica velada ao Executivo socialista.

Rio sente-se mais perto de ser primeiro-ministro

Na entrevista à TVI, o líder do PSD disse acreditar que a actual legislatura não chegará ao seu termo em 2023.

Reiterando o voto contra do PSD na votação final do Orçamento do Estado para 2021, Rio notou que uma gestão em duodécimos “é um problema”, mas referiu que poderia ser preferível a um documento “piorado” por PCP e BE.

Questionado então se considera preferível um cenário de eleições antecipadas, Rio fez questão de separar os planos, mas disse duvidar da estabilidade da legislatura.

“Da maneira como estou a ver, não me parece fácil que a legislatura vá até ao fim“, afirmou, apontando divisões ao nível do apoio parlamentar e até no Governo.

E à pergunta se tal significa que se considera mais próximo de vir a ser primeiro-ministro, respondeu afirmativamente “sim”.

Não quero chegar a primeiro-ministro de qualquer maneira. Se ao longo deste tempo for prometendo o impossível, quando chegar a primeiro-ministro já estou diminuído”, disse ainda.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Rui Rio não é um político de grande visão mas é seguramente um político pragmático. Ele sabe que vai precisar do Chega para chegar a PM. E isso não é tragédia nenhuma e pode até chegar mais cedo do que o previsto.
    A realidade atual é esta, os populismos tendem a crescer e os partidos institucionais demoram a acordar para a mudança e para as alterações políticas na era das redes sociais.

  2. No que toca à “federação de descontentes” estou inteiramente de acordo com o Rui Rio. A federação “engrossa” com a incompetência transversal dos “profissionais da política” em todos os sectores de actividade e maioritariamente na administração do estado. O Chega ainda não é um partido político porque o André Ventura que quer ser o líder da direita, ainda não percebeu que espécie de coisa é a direita portuguesa o que não é grande mal porque o Paulo Portas entrou e saiu como candidato a esse lugar e também nunca chegou a perceber. A direita portuguesa tem três características fundamentais que têm de ser respeitadas a todo o custo, é transnacional, é multiracial e é pluricontinental. Diz respeito a um conjunto de cidadãos do mundo, de todas as raças, credos e religiões que falam o Português e que se encontram intelectualmente nesta língua, com o mesmo tipo de cultura.

    • Em Portugal tem várias direitas. Tem conservadores e liberais. Tem católicos e laicos. Tem xenófobos e multiraciais. A direita não é só uma. E o antigo CDS era um albergue Espanhol onde tudo cabia. Agora há a IL, o CHEGA, o PSD (virou ao centro e perdeu sobretudo os liberais do Passos Coelho) e o CDS que tera ficado com a direita mais católica, mais conservadora. E depois ainda tem os monárquicos.

  3. Para que fique claro, não me referi, intencionalmente à “direita mimética”, isto é, áquela que resulta de uma cópia directa de clichés importados. Estou a referir a direita genuína, nacionalista, a tal direita de “a cada braço uma enxada, a cada família um lar, a cada boca o seu pão!”. Quer pensamento mais genuínamente transversal e socialista do que este? Porque é que pensa que este propósito durou o tempo que durou?

  4. Senhor Ruim Rio poupe me a paciência, então o PPD é que fez o acordo e a culpa é do Marcelo? Então sendo assim a culpa da Geringonça Nacional é culpa do Cavaco? Era o Cavaco que era P.R. lembra-se? Não atire culpas nem areia aos nossos olhos.

RESPONDER

Terceira dose da vacina da Pfizer aumenta "fortemente" a proteção contra a variante Delta

Farmacêutica norte-americana pretende submeter um novo pedido de autorização de emergência para a administração da terceira dose ao regulador, depois de já ter visto um pedido anterior ser recusado por falta de evidências científicas. Depois de …

Estabelecimentos abertos até às 02h00. Máscaras na rua acabam em setembro

O primeiro-ministro anunciou, esta quinta-feira, a partir do Palácio Nacional da Ajuda, as novas medidas de desconfinamento decididas no Conselho de Ministros. António Costa começou por referir que, graças às medidas restritivas dos últimos tempos, é …

Surpresa na Liga dos Campeões: Celtic é uma equipa de "terceira divisão"

Críticas à qualidade do plantel do gigante escocês, que nem passou da segunda pré-eliminatória de acesso à Liga dos Campeões. O Midtjylland fez a festa. Há uns tempos seria uma surpresa mas, nos anos mais recentes, …

Corrida à Câmara de Lisboa divide CDS. Mesquita Nunes junta-se aos críticos

A escolha de Filipe Anacoreta Correia, em vez de João Gonçalves Pereira, para número dois da lista à Câmara de Lisboa está a gerar uma guerra interna no CDS. A escolha de Filipe Anacoreta Correia para …

Tragédia Hillsborough: morreu uma vítima, depois de 32 anos em estado vegetativo

Andrew Devine faleceu aos 55 anos. É oficialmente a 97.ª pessoa a morrer por causa do desastre em 1989, em Sheffield. De 15 de abril de 1989 até 27 de julho de 2021 passaram mais de …

Trabalhadores da Google só regressam aos escritórios em outubro e todos vacinados

A maioria dos trabalhadores da Google só regressará aos escritórios em meados de outubro, depois de ser totalmente vacinada, numa tentativa de combater a disseminação da variante Delta do novo coronavírus SARS-COV-2, anunciou esta quarta-feira …

Primeiro-ministro tunisino terá sido agredido antes de concordar em renunciar

O primeiro-ministro da Tunísia, Hichem Mechichi, terá sido alegadamente agredido dentro do palácio presidencial antes de ser afastado de cargo pelo chefe de Estado do país, Kais Saied. Mechichi e o restante governo foram demitidos na …

Comissão Europeia envia primeiro “cheque” do PRR na próxima semana

A Comissão Europeia irá fazer o pagamento da primeira verba do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) no decorrer da próxima semana. Na sessão de assinatura dos contratos do Mecanismo de Recuperação e Resiliência da União …

Marcelo pede ao TC fiscalização do artigo 6.º da Carta de Direitos na Era Digital

O Presidente da República pediu, esta quinta-feira, ao Tribunal Constitucional a fiscalização sucessiva do artigo 6.º da Carta Portuguesa de Direitos Humanos na Era Digital em vigor, tendo em conta o "importante debate público" sobre …

Portugal regista mais 10 mortes e 3009 casos de covid-19

Portugal registou, esta quinta-feira, mais 10 mortes e 3009 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 3009 novos …