Há idosos que matam a mulher por compaixão

O psicólogo forense Mauro Paulino afirmou que há casos de “homicídio por compaixão” em que o idoso mata a mulher porque acredita que está a pôr fim ao seu sofrimento provocado por uma doença.

Um homem de 73 anos matou na sexta-feira, em Matosinhos, a mulher, que se encontrava em fase terminal de doença, tendo tentado depois suicidar-se com a mesma arma de fogo que usou contra a vítima, disse à agência Lusa uma fonte da PSP do Porto.

Mauro Paulino explicou que nestes casos é necessário perceber se já existe um historial de violência doméstica: “Se isso acontece estamos a falar de um homicídio conjugal que ocorre numa sequência de violência doméstica”.

Mas se não há qualquer indício de violência doméstica (física ou psicológica) o que acontece é que “o idoso se sente impotente para continuar a cuidar da sua esposa” que “está a ficar idosa, dependente e tem uma patologia muito específica que requer alguns cuidados” ou ele próprio está a ficar doente.

“Entramos aqui numa situação que tem sido chamada de homicídio por compaixão”, disse o psicólogo, explicando que o idoso, perante a situação de não conseguir ajudar a mulher, “tenta acabar com o seu sofrimento“, pondo termo à sua vida.

Mas, apesar das razões do homicídio de compaixão poderem ser compreensivas, “não justificam, nem desculpabilizam o acontecimento”, frisou.

“Até porque esse acontecimento tem na ideia algumas desigualdades de género, ou seja o homem acredita que quando morrer a mulher não vai conseguir subsistir sem ele“, acrescentou.

Para o psicólogo, é preciso “avaliar de uma forma muito mais coerente e cuidada as histórias e tentar perceber se caem numa categoria de homicídio conjugal ou de homicídio por compaixão“.

Questionado pela Lusa sobre se a idade pode tornar a pessoa mais violenta, Mauro Paulino explicou que apenas poderá acontecer se houver um estado senil e a pessoa desenvolva um comportamento mais agressivo.

“Mas de um comportamento agressivo a um comportamento homicida ainda vai muito“, comentou, sublinhando que a investigação mostra que a maioria dos homicídios conjugais tem na sua génese histórias de violência doméstica.

“Muitas vezes acontece no limite de exaustão”, disse, adiantando que as vítimas também ficam “muito tempo” na relação pela dependência e pelo isolamento social.

“Há uma série de circunstâncias que fazem com que as vítimas fiquem durante muitos anos na relação até conseguirem ter a coragem de assumir a decisão de sair e da separação”, disse, advertindo que estes “momentos são de risco acrescido”.

Nos casos de violência doméstica é preciso perceber se há agressão do ponto de vista psicológico e não olhar apenas para o que “deixa uma marca física”, defendeu.

“Os estudos indicam que quando perguntamos às vítimas o que lhes causa maior sofrimento elas atribuem o maior nível de sofrimento à violência psicológica ao contrário da física e da sexual”, adiantou.

Para prevenir estes casos, o psicólogo defendeu uma aposta na formação cívica que “terá ganhos a longo prazo”: “temos que ir para os bancos da escola mostrar às crianças o que é uma relação saudável e o que acontece na violência doméstica e na violência no namoro” e que a “ideia tonta de que ‘entre marido e mulher não se mete a colher’ já não faz sentido porque isso permitiu que muitas mulheres morressem ao longo dos anos”.

“A sociedade e a própria vítima têm uma série de crenças que legitimam e banalizam a manutenção das relações violentas”, lamentou.

/Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Correndo o risco de poder ser mal interpretado ou parecer ambíguo, é verdade que nada desculpabiliza o homicídio, seja ele qual for, mas por outro lado também há situações que podem não o culpabilizar. Sugiro verem o filme «Amour» de Michael Haneke de 2012.

A brilhar na seleção e sem lugar no Sporting, Plata é pretendido pelo Leicester

Depois de somar um par de boas exibições ao serviço da seleção equatoriana, Gonzalo Plata está a ser sondado pelo Leicester. O jovem de 20 anos não tem sido opção no Sporting. Gonzalo Plata tem atraído …

"É impensável um relaxamento". Entre novas medidas, Itália impõe quarentena a turistas nacionais e estrangeiros no Natal

O governo de Itália aprovou a quarentena obrigatória para cidadãos italianos que estejam no estrangeiro entre 21 de dezembro e 6 de janeiro e regressem ao país e para turistas, para prevenir uma "terceira vaga" …

Esta à porta mais um fim de semana de restrições. Concelhos “fecham” a partir das 23h

Entre as 23h00 desta sexta-feira e as 23h59 de terça-feira estão proibidas as deslocações para fora do concelho de residência habitual, salvo algumas exceções previstas na lei. Nesta sexta-feira, o Parlamento prepara-se para dar “luz verde” …

Lucas Veríssimo tem dado dores de cabeça ao Benfica, mas "poderá sair de graça em janeiro"

O presidente do Santos, Orlando Rollo, avisa que há o sério risco de Lucas Veríssimo sair a custo zero já em janeiro. O SL Benfica está ainda a estudar a sua contratação. O negócio de Lucas …

Tabelas do IRS podem significar aumento do salário mínimo até 685 euros

A divulgação das novas tabelas de retenção na fonte de IRS sugere que o salário mínimo nacional possa aumentar até aos 685 euros. O valor a partir do qual salários e pensões passam a descontar IRS …

Arquipélago na "Atlântida britânica" sobreviveu a tsunami há 8 mil anos

Cientistas acreditam que uma parte de Doggerland, uma antiga civilização conhecida como a "Atlântida britânica", tenha sobrevivido ao tsunami que inundou a região há 8 mil anos. Doggerland foi uma civilização antiga no Mar do Norte, …

Plano de vacinação pode prolongar-se até março de 2022. Normalidade pode regressar já no próximo verão

Portugal vai receber 22,8 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 que chegam para imunizar toda a população, mas o processo vai decorrer em três fases, a última das quais poderá prolongar-se até ao …

Partidos concordam com o alívio no Natal (mas plano de vacinação não satisfaz Marcelo)

Com o voto favorável do PSD assegurado, o Parlamento vai aprovar, esta sexta-feira, o decreto presidencial com a segunda renovação do estado de emergência desta segunda fase da pandemia. Depois da reunião no Infarmed, Marcelo Rebelo …

Vespas "buraco de fechadura" conseguem fazer um avião despenhar-se

Conhecidas como vespas "buraco de fechadura", estes insetos constroem os seus ninhos em sítios minúsculos. Em alguns casos raros, podem mesmo levar a que um avião se despenhe. As Pachodynerus nasidens, mais conhecidas por vespas "buraco …

Estado de emergência até 7 de janeiro será idêntico ao que está em vigor. Marcelo só mudou introdução

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, já enviou à Assembleia da República a proposta de renovação do estado de emergência que deverá ficar em vigor até 7 de janeiro. “Depois de ouvido o Governo, …