“Guerra preventiva”. Churchill propôs atacar a URSS com armas nucleares até à submissão

O antigo primeiro-ministro do Reino Unido, Winston Churchill, estava a planear uma guerra nuclear preventiva contra a União Soviética, mesmo depois de Moscovo ter criado as suas próprias bombas atómicas.

De acordo com o jornal britânico The Times, Winston Churchill, primeiro-ministro do Reino Unido entre 1940 e 1945, período em que o país lutou contra o nazismo, antes de regressar ao cargo entre 1951 e 1955, propôs uma guerra nuclear preventiva contra a União Soviética em 1951.

Esta informação foi encontrada num memorando escrito pelo então editor-chefe do The New York Times, Julius Ochs Adler, após uma reunião com o famoso político britânico em 29 de abril de 1951, seis meses antes de se tornar primeiro-ministro do Reino Unido pela segunda vez.

No texto, encontrado pelo historiador Richard Toye nos arquivos do jornal novaiorquino, Adler recorda a forma como o então líder da oposição britânica o recebeu na sua casa em Kent, onde bebeu champanhe com uma taça “moldada e tamanhos incomuns”.

Em certo momento, Churchill mudou o tema da conversa e falou das relações entre o Ocidente e a URSS, chamando a política conjunta Estados Unidos-Reino Unido em relação ao país euroasiático de “mais fraca do que agressiva”.

“De forma um tanto abrupta, perguntou-me o número oficial do nosso arsenal de bombas atómicas e a nossa estimativa do suprimento disponível da Rússia“, escreveu o jornalista norte-americano.

“Respondi que, felizmente, não fazia parte dos círculos internos do Governo e, portanto, não conhecia esse segredo impressionante. Depois, surpreendeu-nos uma segunda vez, afirmando que, se fosse Primeiro-Ministro e pudesse obter um acordo do nosso Governo, imporia certas condições para a Rússia na forma de um ultimato“, lembrou Adler.

“Perante uma recusa, o Kremlin deve ser informado de que, a menos que reconsidere, bombardearíamos uma em cada 20 ou 30 cidades. Ao mesmo tempo, devemos alertá-los de que é imperativo que a população civil de todas as cidades escolhidas seja evacuada imediatamente”, disse.

“Ele acreditava que se recusariam novamente a considerar os nossos termos. Então, tínhamos de bombardear um dos alvos e, se necessário, outros. Seria tal o pânico que se seguiria (certamente por causa do terceiro ataque) não só entre o povo russo, mas também dentro do Kremlin, que os nossos termos seriam cumpridos”, disse Adler.

O jornalista acrescenta que se opõe à ideia, argumentando que nem o povo norte-americano nem “muitos sócios” em Washington apoiariam tal guerra preventiva.

Os planos de Churchill de realizar bombardeamentos nucleares não se limitaram à União Soviética – o político britânico também considerou atacar a China. Em particular, estava a pensar em atacar bases militares e concentrações de tropas chinesas ao norte do rio Yalu.

Toye indicou que, embora já fossem conhecidos planos semelhantes de Churchill antes de 1949 – o ano em que a URSS testou a sua primeira bomba nuclear, não havia evidências de que tivesse continuado a desenvolvê-los dois anos depois.

O historiador reconheceu que a ideia não era “brilhante” e afirmou que a estratégia que Churchill promoveu quando era primeiro-ministro era “muito melhor”. “Quando se tornou primeiro-ministro novamente, não andava a comportar-se de uma forma incrivelmente ameaçadora”, disse.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Inteligência Artificial está a "alimentar" a violação dos direitos humanos, alerta ONU

Num novo relatório, a Organização das Nações Unidas (ONU) alertou os países que o uso imprudente de Inteligência Artificial (IA) pode estar a pôr em causa o respeito pelos direitos humanos. Michelle Bachelet, Alta Comissária das …

Foi viajar e não voltou. O misterioso desaparecimento de Gabby Petito (e do namorado)

Gabrielle Petito, uma jovem norte-americana de 22 anos, desapareceu misteriosamente. Gabby foi viajar com o namorado, que voltou para casa sozinho e não quis contar o que aconteceu — e agora também está desaparecido. Gabby Petito, …

Aos 101 anos, Ginny é a "Senhora Lagosta" e não planeia reformar-se

Virginia Oliver continua a trabalhar na pesca da lagosta, apesar de já ter 101 anos de idade. 'Ginny' não planeia reformar-se e já se tornou um meme na internet. Virginia 'Ginny' Oliver tem 101 anos e …

Dinamarca. Reclusos condenados a prisão perpétua proibidos de iniciar novos romances

Os reclusos que cumprem prisão perpétua na Dinamarca serão proibidos de iniciar novos relacionamentos amorosos, decisão proposta pelo governo após uma jovem de 17 anos se apaixonar por Peter Madsen, que assassinou a jornalista Kim …

Casal queria que o seu filho se chamasse Vladimir Putin. A Suécia não deixou

Na Suécia, os pais são obrigados a comunicar os nomes dos seus filhos recém-nascidos ao Skatteverket nos primeiros três meses a partir do nascimento. Um casal sueco, que vive na cidade de Laholm, foi proibido pela …

44 jogos seguidos sem ganhar. Mas o presidente não está preocupado

O Atlético Mogi não vence qualquer jogo oficial há mais de quatro anos. Perdeu em 42 desses 44 duelos. 17 de Junho de 2017 foi o último dia em que o Atlético Mogi venceu um jogo …

Autárquicas: António Costa promete que os municípios terão mais mil milhões de euros

O secretário-geral do PS, António Costa, indicou hoje, em Celorico de Basto, no distrito de Braga, que os municípios “vão passar a ter, a partir de abril, mais mil milhões de euros que acompanham a …

Mais de trinta anos após ter sido lançada ao mar no Japão, mensagem em garrafa é encontrada no Hawaii

Durante uma viagem ao Hawaii, uma jovem de apenas 9 anos encontrou uma garrafa que foi lançada ao mar há mais de trinta anos. Esta continha uma mensagem que, posteriormente, acabou por revelar uma experiência …

Mais 939 infeções, sete mortes e nova redução nos internamentos

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 939 casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, sete mortes atribuídas à covid-19 e nova redução nos internamentos em enfermaria e cuidados intensivos. De acordo com o boletim epidemiológico da …

Milionário norte-americano Robert Durst condenado por matar melhor amiga

O milionário norte-americano Robert Durst, tornado famoso por um documentário do canal HBO, foi condenado na sexta-feira num tribunal de Los Angeles, nos Estados Unidos, por matar a melhor amiga, um crime que remonta a …