/

Revelada gravação de crianças migrantes a chorar pelos pais

4

Um registo áudio com o choro de crianças migrantes a chamarem pelos pais, retidas pela polícia de imigração dos EUA, foi tornado público, agravando o descontentamento relativamente a Donald Trump que acusa os democratas pela lei que permite esta situação.

A gravação reproduzida acima foi divulgada pelo media de investigação norte-americano ProPublica que assegura que foi feita no interior de uma instalação da alfândega norte-americano, na fronteira dos EUA.

As vozes que se ouvem são de crianças que choram e chamam pelos pais, depois de terem sido separadas deles na fronteira entre o México e os EUA, como revela a ProPublica.

Mais de 2300 crianças migrantes foram separadas dos pais desde Abril passado, quando entrou em vigor a política de imigração de Trump de “tolerância zero”, de acordo com dados da ProPublica. “Mais de 100 destas crianças têm menos de 4 anos”, refere este meio de informação.

A entidade nota que a gravação foi feita, na semana passada, por alguém que não identifica e que a entregou à advogada dos direitos civis Jennifer Harbury. Foi esta que o fez chegar à ProPublica, aponta a CNN, frisando que não conseguiu confirmar estes dados.

No áudio, é possível ouvir o que será um agente de imigração a comparar o choro das crianças a uma “orquestra”. “Só falta o maestro”, diz este elemento enquanto os choros infantis continuam.

A nova gravação dá uma nova intensidade à polémica que já levou até Melania Trump, a mulher do Presidente dos EUA, a confessar o seu desagrado com a situação.

Mas Trump continua firme na sua política de imigração e até culpa os democratas pela lei que permite separar pais e filhos, “alegando que se concordarem com um compromisso de imigração, a prática pode acabar”, refere a CNN.

(PD/CC0) stokpic / pixabay

Mais de 2300 crianças migrantes foram separadas dos pais desde Abril passado

“Nenhuma Lei exige que as famílias sejam separadas”

O discurso da administração Trump vai no sentido de que esta separação de crianças dos pais seria motivada por uma Lei aprovada por Bill Clinton, em 1997, e que teria sido mantida pela administração de Barack Obama.

Mas o The New York Times reforça que “contrariamente aos testemunhos públicos do presidente, nenhuma Lei exige que as famílias sejam necessariamente separadas na fronteira”.

O que se passa é que a política de “tolerância zero” imposta por Trump coloca “todos os imigrantes ilegais como criminosos“, o que leva à remoção das crianças dos seus cuidados e à sua entrega à custódia do Estado.

O chamado “Acordo Flores”, aprovado por Bill Clinton em 1997, define que “as crianças sem acompanhamento que sejam apanhadas na fronteira só podem ser retidas em detenção imigrante até 20 dias (o que foi, mais tarde, expandido para incluir crianças acompanhadas pelos pais)”, refere o canal ABC7 Chicago. Após esse período, as crianças devem ser entregues aos pais, a familiares ou a outros cuidadores.

Em 2008, George W. Bush aprovou a Lei de Reautorização da Protecção às Vítimas do Tráfico, determinando que os menores sem acompanhamento deveriam ficar sob a tutela do Estado até serem “recolocados” num período de três dias.

Em 2016, durante a administração de Barack Obama, um tribunal determinou que todas as crianças migrantes retidas na fronteira com os pais deveriam ser libertadas,  destaca o ABC7 Chicago.

Apesar disso, Trump tem insistido que nada pode fazer contra esta separação de crianças e pais, frisando que só o Congresso tem esse poder – algo que não impediu o Presidente norte-americano de conseguir reverter outras leis aprovadas pelos democratas, como a do Serviço Nacional de Saúde de Obama e o Princípio da Neutralidade da Internet.

Enquanto isso, “dois terços dos norte-americanos desaprovam” esta política, enquanto 28% aprova, segundo uma sondagem realizada pela CNN antes da divulgação deste áudio.

Entre os republicanos, 58% estão com Trump nesta questão da separação das crianças dos pais, frisa a estação.

Apesar disso, há muito quem alerte Trump de “ninguém gosta desta política”, como é o caso da sua conselheira Kellyanne Conway, que o disse publicamente, falando “como mãe, como católica, como alguém com uma consciência”.

  SV, ZAP //

4 Comments

  1. Este audio devia passar constantemente em todas as televisoes de todo o mundo, para que as pessoas pudessem ver o quanto a nação americana é criminosa e até terrorista, os responsaveis por esta lei deviam ser executados à vista de todos. Devia ser um imperativo de todo o mundo perseguir e executar de imediato todo e qualquer responsavel por este acto criminoso e terrorista. Esta administração americana aproxima-se perigosamente do regime nazi, e até já mete crianças em jaulas, como perigosos animais. Nao nos admiremos se qualquer dia encostarem os migrantes a uma parede e os começem a fuzilar, e atirem os corpos para o outro lado da fronteira. Espero que se formem grupos de pessoas que consigam dar caça a estes perigosos criminosos e terroristas que estão actualmente na administração americana.
    Estou plenamente consciente do escrevi e nao tiro uma unica palavra, tal é a raiva com que fiquei ao ler esta noticia, e ninguem que tenha filhos pode apoiar uma coisa como esta.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE