Partidos querem saber quem são os grandes devedores incumpridores dos bancos desde 2007

Mário Cruz / Lusa

Nos primeiros dias do ano, os partidos vão debater no Parlamento uma proposta conjunta para aumentar a transparência bancária.

Há uma maioria, que não inclui o PS, que está decidida a aprovar as novas regras para obrigar também os bancos que receberam ajudas públicas desde 2007 – ou que venham a receber – a enviar informações para o Parlamento sobre créditos problemáticos acima de cinco milhões.

Se há acordo sobre o que deverá ser o futuro, como avançou o Expresso, os partidos ainda não se entenderam sobre o passado – se a lei deve ou não incluir os que já devolveram a ajuda, o que pode deixar de fora BPI e BCP.

Durante a última comissão de inquérito à Caixa Geral de Depósitos (CGD), os deputados quiseram ter acesso aos créditos problemáticos do banco público. A CGD alegou segredo bancário e houve várias peripécias parlamentares que impediram a informação de chegar ao Parlamento durante o tempo de vida daquela comissão.

Agora, BE, PCP, PSD e CDS juntaram-se para acabar com essas dificuldades numa proposta que será debatida nos primeiros dias do ano e que tem na base os três projetos – PCP, BE e CDS – aprovados para serem debatidos na comissão de Orçamento e Finanças.

Créditos problemáticos

As propostas dividem-se em duas grandes partes. A primeira assegura às comissões parlamentares de inquérito o direito a acederem à informação sobre os créditos problemáticos acima de cinco milhões, apesar do sigilo bancário e de supervisão. A segunda cria um mecanismo de transparência sobre os grandes créditos de instituições bancárias que venham a receber de alguma forma fundos públicos para capitalização.

Sobre este mecanismo ainda não há acordo total entre os partidos, mas obriga à divulgação de três relatórios pelo BdP. Um dos relatórios deverá ser publicado no site do BdP e deve conter todos os dados sobre injeção de fundos públicos e também dados agregados (sem lista de nomes) sobre grandes posições financeiras dos bancos em causa – informação 100% pública.

Outro versará sobre as operações de crédito destes bancos nos últimos 12 anos, o que abrange informação desde 2007. O terceiro, que deve ser entregue ao Parlamento sempre que ocorra, no futuro, uma injeção de capital público, obriga o BdP a compilar os dados numa lista com informações detalhadas. Estes dois últimos relatórios devem conter informação sobre os créditos, garantias, os processos de crédito, quem decidiu e sobre os processos de reestruturação da dívida.

Quando e se a informação chegar aos deputados, estes têm o direito de a tornar pública se entenderem. “São os deputados que fazem juízo do que podem ou não partilhar com o público. O BdP pode indicar o que acha que deve ser segredo“, disse ao Público o deputado do PSD, António Leitão Amaro, que lembra que os partidos trabalharam ao nível do “que os une, para garantir esta transparência que é o mínimo de respeito pelo esforço dos contribuintes”.

Mas este é um ponto que contará com a oposição do BdP, do BCE e da Associação Portuguesa de Bancos e prevê-se um braço-de-ferro difícil de resolver.

O governador do BdP alertou em Maio para os riscos destas propostas, dizendo que a lista não pode ser pública e que também não pode haver uma diferenciação entre bancos. Já a APB escuda-se no segredo bancário para afirmar que esta informação só pode ser fornecida caso haja indícios criminais.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Áustria corrige Trump. Os seus cidadãos não vivem em florestas

O Governo austríaco decidiu corrigir a afirmação do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que afirmou que as pessoas naquele país europeu vivem em "cidades da floresta". Trump referiu recentemente a Áustria e outros países europeu …

UE em rota de colisão com a Polónia. Em causa estão os crimes de ódio

A relação entre a União Europeia e a Polónia está cada vez mais comprometida. As duas partes têm chocado no que toca à discussão dos crimes de ódio. No seu primeiro discurso sobre o estado de …

Leixões nega ter colocado adeptos na bancada a ver um jogo

Episódio aconteceu numa partida de voleibol em Gondomar. Presidente garante que jovens pertencem aos órgãos sociais do clube, Federação não confirma a identidade à entrada. A Supertaça de voleibol começou, no Grupo B, com o duelo …

Ventura quer ser Sá Carneiro do século XXI e ter juventude partidária

O presidente do Chega vai apresentar-se este fim de semana em Évora para a II Convenção Nacional do partido populista de direita como “o principal continuador em Portugal” de Sá Carneiro, o falecido líder fundador …

Alemanha tem provas materiais de que Maddie está morta

As autoridades alemãs têm provas materiais de que Madeleine McCann está morta, garante o porta-voz da Procuradoria de Braunschweig, Hans Christian Wolters, à RTP. Apenas está por provar o envolvimento de Christian Brueckner no homicídio …

BE quer que direito das grávidas a acompanhante seja respeitado

O Bloco de Esquerda (BE) quer que as normas da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre gravidez e parto no âmbito da covid-19 sejam revistas para que o direito das mulheres grávidas a estarem acompanhadas seja …

Proposta do PCP para passar Novo Banco para esfera pública foi chumbada

A recomendação ao Governo proposta pelo PCP para reverter da venda do Novo Banco, transferindo-o para a esfera pública, foi hoje chumbada no parlamento com os votos contra de PS, PSD, CDS-PP, PAN, Iniciativa Liberal …

Trump ataca voto por correspondência. Resultados podem não ser "determinados de forma precisa"

O Presidente dos EUA, Donald Trump, reforçou na quinta-feira no Twitter os ataques ao voto por correspondência nas eleições de novembro, ao que a rede social reagiu ligando duas das suas mensagens a informação verificada …

Quatro candidatos disputarão sucessão de Santana no Aliança

O novo líder do Aliança, que sucederá ao fundador do partido, Pedro Santana Lopes, vai ser escolhido entre quatro candidatos no próximo congresso nacional, agendado para 26 e 27 de setembro em Torres Vedras. Segundo noticiou esta …

Recomendação do PS para tarifa social de Internet sem oposição (mas partidos querem mais)

A recomendação do PS ao Governo para que crie uma tarifa social de acesso à Internet não mereceu esta quinta-feira oposição de nenhuma bancada, mas foram vários os partidos que defenderam a necessidade de “ir …