Governo propõe devolver dois anos e dez meses de tempo de serviço aos professores

Paulo Vaz Henriques / Portugal.gov.pt

A Secretária de Estado Adjunta da Educação, Alexandra Leitão, e o Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues

À terceira ronda de negociações, as secretárias de Estado apresentaram uma proposta para que os professores recuperem o tempo de serviço congelado de dois anos e dez meses. “Inaceitável”, dizem os sindicatos.

Segundo o Diário de Notícias, o Governo finalmente apresentou uma proposta sobre a devolução do tempo de serviço congelado aos professores, dois anos e dez meses, uma oferta que gerou a indignação entre os sindicatos.

Em novembro do ano passado, as secretárias de Estado da Administração Pública, Ana Azevedo, e da Educação, Alexandra Leitão, que ontem receberam os sindicalistas, assinaram uma declaração de compromisso na qual reconheciam o direito dos docentes nesta matéria.

Posteriormente, no Parlamento, foi aprovada uma recomendação ao Governo para que fosse contado “todo” o tempo de congelamento das carreiras para fins de progressão.

Na altura, escreve o DN, a dúvida era saber se a totalidade do tempo de serviço se traduzia nos nove anos, quatro meses e dois dias reclamados pelos professores ou os cerca de sete reconhecidos pelo Executivo.

Agora, a proposta do Governo consiste em seguir a mesma fórmula que está a ser utilizada nos descongelamentos da restante função pública: a devolução de 0,7, isto é, de 70% do tempo de serviço relativo a um escalão da carreira.

Em declarações ao jornal, João Dias da Silva, da Federação Nacional da Educação (FNE), considera que “o Ministério da Educação apresentou uma proposta inaceitável. Transformaria a prometida recuperação do tempo de serviço congelado na mera recuperação de pouco mais de dois anos de tempo de serviço. Por mais que se queira demonstrar que na base dessa proposta está a preocupação da sustentabilidade das contas públicas, isto é inaceitável”, acrescentou ainda.

Já Mário Nogueira, secretário-geral da Federação Nacional dos Professores (Fenprof), acusou o Governo de “fazer batota” e considerou que este modelo não passa de “contas de trafulha”. “O Governo reconhece que para as outras carreiras vai recuperar 100% do tempo de serviço, sete anos, e para os professores quer recuperar menos de sete”.

De acordo com o diário, na perspetiva dos sindicatos, enquanto que noutros setores da função pública cada escalão tem a duração de dez anos, na carreira docente a permanência média entre escalões é de quatro.

Os sindicatos exigem a apresentação de uma nova proposta no dia 12, a última oportunidade para evitar a greve por regiões, que começa no dia seguinte.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Fica-se com a impressão de que se criam propositadamente confusões e divergências entre a classe docente e o Estado. Tudo porque parece não ser claro o diálogo entre as partes, criando-se um conflito que pode não ter razão de ser.
    É evidente que seria inconcebível que, num Estado de Direito, o Estado quisesse negar/roubar o tempo ou parte do tempo que corresponde efectivamente ao tempo de serviço dos seus funcionários. Portanto, parece-me que não é disso que se trata.
    Se o Governo argumenta que não pode, de uma só vez, subir salários de acordo com o tempo total a recuperar, até se entende, acreditando eu que os próprios docentes também aceitarão, provisoriamente, tal solução.
    Agora pretender contar-lhes apenas o tempo correspondente a 70% de um escalão é, brincadeira de muito mau gosto, ou mesmo de má fé, contra a qual os professores têm todo o direito e, por uma questão de dignidade pessoal e profissional, o dever de lutar.
    Contar-lhes o tempo de 70% de um escalão é o mesmo que continuar a manter-lhes o salário congelado por mais não sei quanto tempo em cima dos já 7 ou 8 anos que vêm de trás. Salário congelado? Não se faz! E numa profissão de risco, pois ser professor não é ser deputado nem ministro transitório. É trabalhar, ajudando, contra todas as adversidades, a formar os cidadãos de amanhã.
    Senhores governantes, clarifiquem as coisas, procurem ser minimamente honestos, para que não seja necessário eu vir para aqui com comentários destes, defender a classe de que, com muita honra e orgulho fiz parte.

RESPONDER

Diplomata suspeito de tentar matar com ácido sulfúrico detido

A PSP conseguiu deter, esta quarta-feira, o diplomata guineense suspeito de ter atacado o companheiro da ex-namorada com ácido sulfúrico. Depois do incidente, em Sintra, as autoridades não tinham conseguido prender por causa do seu …

TAP baptiza avião em homenagem a Raul Solnado

Raul Solnado, um dos maiores nomes do humor português, vai dar nome, a partir desta quinta-feira, a um avião da TAP. A homenagem acontece no Dia Mundial da Televisão. O batismo do "Avião Raul Solnado" acontecerá …

Fisco quer devolução de 3,5 milhões de euros por erro em declarações de IRS de 2015

A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) identificou um erro na liquidação de declarações de IRS relativas a 2015, que implicou um novo apuramento do imposto em cerca de dez mil declarações no valor de 3,5 …

Afeganistão declara derrota do Daesh no principal bastião no país

O Presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, anunciou esta terça-feira a derrota do grupo extremista Daesh na província de Nangarhar, no leste, considerado um dos principais bastiões do grupo 'jihadista' no país. "Quem poderia imaginar há um …

Parlamento vota Orçamento do Estado a 10 de janeiro

O Orçamento do Estado para 2020 será discutido na generalidade em 9 e 10 de janeiro, na Assembleia da República, com votação final global marcada para 7 de fevereiro. Segundo o jornal Público, as duas primeiras …

Legionella. Fase de instrução do surto de Vila Franca de Xira começa hoje

O início desta fase facultativa, em que o Tribunal de Instrução Criminal de Loures vai decidir se o processo segue e em que termos para julgamento, está agendado para as 09h30 e decorrerá à porta …

Um dos mais influentes empresários de Malta foi detido no caso da morte de jornalista

Foi detido no seu iate o magnata Yorgen Fenech, um relevante empresário de Malta, no âmbito das investigações à morte da jornalista Daphne Caruana Galizia que estava a investigar pessoas influentes do país pelo alegado …

Presidente argentino diz que vai pagar dívida ao FMI, mas recusa mais ajustes fiscais

O Presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández, assegurou na terça-feira ao Fundo Monetário Internacional (FMI) que o país vai cumprir com os compromissos em matéria de dívida, mas rejeitou aplicar mais ajustes fiscais. "Desenvolvemos um plano …

Vieira garante "reforma" de 3,8 milhões de euros com OPA do Benfica à SAD

A OPA parcial lançada pelo Benfica à sua própria SAD desportiva vai beneficiar os accionistas com um encaixe potencial de mais de 24 milhões de euros. Luís Filipe Vieira está entre esses beneficiados, podendo encaixar …

Pingo Doce

Trabalhadora do Pingo Doce terá sido impedida de ir à casa de banho (acabou por urinar na caixa)

Uma funcionária de um hipermercado Pingo Doce terá solicitado, por várias vezes, para ir à casa de banho, sem ter sido autorizada para isso, o que a levou a urinar-se no posto de trabalho. Uma …