Governo propõe devolver dois anos e dez meses de tempo de serviço aos professores

Paulo Vaz Henriques / Portugal.gov.pt

A Secretária de Estado Adjunta da Educação, Alexandra Leitão, e o Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues

À terceira ronda de negociações, as secretárias de Estado apresentaram uma proposta para que os professores recuperem o tempo de serviço congelado de dois anos e dez meses. “Inaceitável”, dizem os sindicatos.

Segundo o Diário de Notícias, o Governo finalmente apresentou uma proposta sobre a devolução do tempo de serviço congelado aos professores, dois anos e dez meses, uma oferta que gerou a indignação entre os sindicatos.

Em novembro do ano passado, as secretárias de Estado da Administração Pública, Ana Azevedo, e da Educação, Alexandra Leitão, que ontem receberam os sindicalistas, assinaram uma declaração de compromisso na qual reconheciam o direito dos docentes nesta matéria.

Posteriormente, no Parlamento, foi aprovada uma recomendação ao Governo para que fosse contado “todo” o tempo de congelamento das carreiras para fins de progressão.

Na altura, escreve o DN, a dúvida era saber se a totalidade do tempo de serviço se traduzia nos nove anos, quatro meses e dois dias reclamados pelos professores ou os cerca de sete reconhecidos pelo Executivo.

Agora, a proposta do Governo consiste em seguir a mesma fórmula que está a ser utilizada nos descongelamentos da restante função pública: a devolução de 0,7, isto é, de 70% do tempo de serviço relativo a um escalão da carreira.

Em declarações ao jornal, João Dias da Silva, da Federação Nacional da Educação (FNE), considera que “o Ministério da Educação apresentou uma proposta inaceitável. Transformaria a prometida recuperação do tempo de serviço congelado na mera recuperação de pouco mais de dois anos de tempo de serviço. Por mais que se queira demonstrar que na base dessa proposta está a preocupação da sustentabilidade das contas públicas, isto é inaceitável”, acrescentou ainda.

Já Mário Nogueira, secretário-geral da Federação Nacional dos Professores (Fenprof), acusou o Governo de “fazer batota” e considerou que este modelo não passa de “contas de trafulha”. “O Governo reconhece que para as outras carreiras vai recuperar 100% do tempo de serviço, sete anos, e para os professores quer recuperar menos de sete”.

De acordo com o diário, na perspetiva dos sindicatos, enquanto que noutros setores da função pública cada escalão tem a duração de dez anos, na carreira docente a permanência média entre escalões é de quatro.

Os sindicatos exigem a apresentação de uma nova proposta no dia 12, a última oportunidade para evitar a greve por regiões, que começa no dia seguinte.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Fica-se com a impressão de que se criam propositadamente confusões e divergências entre a classe docente e o Estado. Tudo porque parece não ser claro o diálogo entre as partes, criando-se um conflito que pode não ter razão de ser.
    É evidente que seria inconcebível que, num Estado de Direito, o Estado quisesse negar/roubar o tempo ou parte do tempo que corresponde efectivamente ao tempo de serviço dos seus funcionários. Portanto, parece-me que não é disso que se trata.
    Se o Governo argumenta que não pode, de uma só vez, subir salários de acordo com o tempo total a recuperar, até se entende, acreditando eu que os próprios docentes também aceitarão, provisoriamente, tal solução.
    Agora pretender contar-lhes apenas o tempo correspondente a 70% de um escalão é, brincadeira de muito mau gosto, ou mesmo de má fé, contra a qual os professores têm todo o direito e, por uma questão de dignidade pessoal e profissional, o dever de lutar.
    Contar-lhes o tempo de 70% de um escalão é o mesmo que continuar a manter-lhes o salário congelado por mais não sei quanto tempo em cima dos já 7 ou 8 anos que vêm de trás. Salário congelado? Não se faz! E numa profissão de risco, pois ser professor não é ser deputado nem ministro transitório. É trabalhar, ajudando, contra todas as adversidades, a formar os cidadãos de amanhã.
    Senhores governantes, clarifiquem as coisas, procurem ser minimamente honestos, para que não seja necessário eu vir para aqui com comentários destes, defender a classe de que, com muita honra e orgulho fiz parte.

RESPONDER

Foi um asteróide (e nada mais do que um asteróide) que dizimou os dinossauros

Uma equipa internacional de cientistas acaba de reafirmar que foi um asteróide - e nada mais do que este corpo rochoso - que dizimou os dinossauros da face da Terra há cerca de 66 milhões …

Descoberta classe de objetos bizarros perto do enorme buraco negro da Via Láctea

Astrónomos da Iniciativa Órbitas do Centro Galáctico da UCLA (Universidade da Califórnia) descobriram uma nova classe de objetos bizarros no centro da Via Láctea, não muito longe do buraco negro supermassivo chamado Sagitário A*. "Estes objetos …

David Lynch lança curta-metragem no Netflix em dia de aniversário

O realizador norte-americano lançou no Netflix, esta segunda-feira, uma curta-metragem de 17 minutos. David Lynch lançou, esta segunda-feira, no dia do seu 74.º aniversário, uma curta-metragem de 17 minutos no Netflix, escreve o jornal Público. "What Did …

Dois homens confessam ter roubado (e depois devolvido) quadro de Klimt

A dupla de assaltantes disse que tinha roubado a pintura, em fevereiro de 1997, e que a devolveu "como um presente para a cidade". Dois homens confessaram ter roubado, e logo depois devolvido, a pintura de …

Ozzy Osbourne revela que tem Parkinson

O músico britânico, de 71 anos, revelou, esta terça-feira, que foi diagnosticado com a doença de Parkinson. De acordo com o The Guardian, Ozzy Osbourne fez esta revelação durante uma entrevista no programa Good Morning America, …

Jorja Smith regressa ao NOS Alive em 2020

A cantora britânica é a mais recente confirmação do NOS Alive 2020. O Passeio Marítimo de Algés volta assim a receber Jorja Smith pelo segundo ano consecutivo. “A artista que fez história com um dos concertos …

Confirmada a autenticidade de um raro auto-retrato de Van Gogh

Os principais especialistas holandeses da obra de Van Gogh concluíram que um auto-retrato de 1889 foi realmente pintado pelo artista. A notícia é avançada pelo jornal local holandês Dutch News, que recorda que a autenticidade desta …

Serviço de streaming Disney+ chega a Portugal no verão

O serviço de streaming da Disney chega à Europa a 24 de março. Reino Unido, Irlanda, França, Alemanha, Itália, Espanha, Áustria e Suíça serão os primeiros países a receber o Disney+. Em Portugal, a plataforma …

Tal como os cães, lobos bebés também brincam ao "busca" (e surpreendem os cientistas)

Brincar ao "busca" com o seu cão não é tão fácil como parece. É uma habilidade tão avançada que muitos cientistas acreditam que só terá aparecido após milhares de anos de domesticação. No entanto, isto pode …

Corpo de Paulo Gonçalves chega a Portugal na quinta-feira

O corpo do piloto português chega a Portugal, esta quinta-feira, ao final da manhã, disse à agência Lusa fonte da Secretaria de Estado das Comunidades. O corpo de Paulo Gonçalves, que morreu na sequência de queda na sétima …