Governo quer criar mini-ministro das Finanças em cada ministério

portugal.gov.pt

Maria Luís Albuquerque, Ministra das Finanças

Maria Luís Albuquerque, Ministra das Finanças

O Conselho de Ministros aprovou esta quinta-feira a proposta de Lei de Enquadramento Orçamental, que aumenta a autonomia orçamental e a responsabilização dos ministérios, prevendo o Governo que haja um “miniministro das Finanças em cada ministério”.

“É um passo decisivo para uma maior transparência orçamental”, afirmou o Secretário de Estado Adjunto e do Orçamento, Hélder Reis, lembrando que a atual lei tem 13 anos de existência e que ” é tempo de uma reforma de fundo do sistema orçamental”.

Hélder Reis, na conferência de imprensa após o Conselho de Ministros, explicou que a nova proposta de lei prevê a criação de uma entidade de gestão dos orçamentos, a que chamou de “miniministro das finanças dentro de cada ministério”, que por sua vez faz a ligação com o Ministério das Finanças.

“Pretende-se que, primeiro, [cada] ministério procure uma solução [para problemas orçamentais] e só depois recorra ao Ministério das Finanças”, precisou, considerando que a nova proposta de lei é um “pilar central da reforma do Estado”, ainda que se preveja um período transitório de três anos para a implementação da nova lei.

O sistema proposto pelo Conselho de Ministros define um sistema integrado de programação orçamental, o que implica uma alteração de toda a estrutura e composição da Lei de Enquadramento Orçamental, em matéria de princípios e regras, execução e controlo.

Hélder Reis, na conferência de imprensa após o Conselho de Ministros, explicou que a responsabilidade orçamental está atualmente “muito concentrada” no Ministério das Finanças e que o que se pretende é dar a cada um dos ministérios a maior autonomia da gestão de dinheiros públicos para a concretização dos seus programas.

No comunicado do Conselho de Ministros, o executivo adianta que a proposta de lei aprovada cria uma área de contabilidade e relato tutelada pelo Ministério das Finanças para “melhorar o relato e a monitorização dos fluxos de caixa e económicos”.

Também a própria metodologia vai ser diferente, disse o governante, explicando que vai ser feita não apenas com as receitas gerais, mas com o total de receitas que financiam a despesa de cada ministério.

“Que o período transitório seja no fim ou no meio da legislatura está previsto nesta lei”, afirmou Hélder Reis, minimizando o facto de esta alteração vir a ser introduzida em 2019, no decorrer de uma legislatura.

A proposta de lei introduz ainda, segundo o Governo, uma simplificação do calendário orçamental, que passa a estar sintonizado com as datas chave do Semestre Europeu, passando para 15 de abril a atualização do Programa de Estabilidade, acompanhada das propostas das Grandes Opções do Plano e do Quadro Orçamental Plurianual, e para 1 de outubro a entrega no parlamento da proposta de Lei do Orçamento do Estado.

Atualmente, o Governo tem de entregar a atualização do Programa de Estabilidade a Bruxelas até 30 de abril e a proposta orçamental para o ano seguinte até 15 de outubro.

Os partidos têm agora que aprovar esta lei, mas o governante explicou que o PS “está informado” sobre o conteúdo da proposta de lei, salientando que o que está em jogo é uma reforma estrutural com grande importância para o país.

O ministro da presidência, Marques Guedes, considerou a nova proposta de lei uma “reforma estrutural de grande fôlego” e que vai implicar ao longo dos próximos anos a revogação de cerca de 20 diplomas sobre matéria orçamental.

“Propomos ao parlamento que o orçamento de 2019 já seja todo apresentado à luz das novas regras”, concluiu.

/Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. E porque não pegam nos que já estão no poder e os usam para estas tarefas em vez de nada fazerem ou dormirem no parlamento ?
    Lá vai o estado criar mais uns quantos postos novos de ordenados milionários para amigos e conhecidos ,e claro quem paga ?
    Ai o meu Portugal que é sempre a crescer para o lado da despesa publica .

  2. Esta gente age como se fossem os donos disto tudo, e as pessoas que se *****. já mete nojo , por isso a austeridade vai continuar para que se arranje dinheiro para estes tachos todos

  3. Governo quer criar mini-ministro das Finanças em cada ministério. Se um Ministério das Finanças já mete NOJO que fará um em cada ministério. É mesmo só para dar de comer aos familiares e amigalhaços. É Portugal no seu melhor comer à custa do contribuinte e do reformado, isto é comer à custa de quem tem trabalho honesto.

RESPONDER

Guardas da Revolução do Irão prometem vingar morte do general Soleimani

O chefe dos Guardas da Revolução, o exército ideológico do Irão, garantiu hoje que a morte do general Qassem Soleimani, alvo de um raide aéreo dos Estados Unidos, será vingada em “todos os seus implicados”. “Senhor …

"O mundo está no momento mais perigoso da história humana", diz Noam Chomsky

O professor norte-americano Noam Chomsky, conhecido como o pai da linguística moderna, advertiu que o mundo está no momento mais perigoso da história da humanidade devido à crise climática, à ameaça de guerra nuclear e …

Portugal com 849 novas infecções por covid-19. Há 20.722 casos activos

Portugal registou 849 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, mantendo-se a tendência de subida verificada nos dias anteriores. Mas o número de pacientes recuperados também não era tão alto desde Julho. O boletim da …

A Grândola Vila Morena abafou "a maior marcha alguma vez vista" do Chega

Com a Praça do Giraldo, em Évora, dividida por barreiras anti-motim, os participantes da concentração "Pela Liberdade" receberam os apoiantes do Chega de André Ventura ao som de "Grândola Vila Morena" e empunhando cravos vermelhos …

Pandemia assola Irão. EUA com mais 888 mortos. 19 países europeus bateram recorde de casos

Naquele que é o número mais elevado de casos diários desde abril, a Alemanha registou 2.297 novos contágios, 19 países europeus já ultrapassaram o recorde de casos do pico da pandemia. O Irão ultrapassou as …

Rangel "é um turista do carago". SMS atestam que Vieira usou Benfica em "benefício pessoal"

Luís Filipe Vieira é um dos acusados da Operação Lex, com o Ministério Público (MP) a alegar que o presidente do Benfica utilizou o clube em "benefício pessoal" para obter uma cunha do juiz Rui Rangel. O …

Farmácias em risco de não ter vacinas da gripe para tantos pedidos

As farmácias privadas receiam não ter doses suficientes de vacina contra a gripe para dar resposta a todos os pedidos. As encomendas da vacina já sãocinco vezes mais do que as registadas em 2019. A preocupação …

É responsabilidade a mais. Médicos não querem integrar Brigadas Rápidas dos lares

Está a ser difícil contratar médicos para as Brigadas de Intervenção Rápida dos lares que foram anunciadas pelo Governo. Mesmo a receberem acima da tabela de pagamentos, os médicos receiam a falta de condições e …

Restrições a turistas suavizadas. Finlândia tenta salvar a Lapónia (e a época de inverno)

A Finlândia, que vê o turismo estrangeiro em perigo na Lapónia, permite a partir de hoje a entrada de turistas de cerca de vinte países sem terem de fazer quarentena. As medidas surgem numa altura em …

"Foi uma vergonha". PS em choque com saída de Jamila e com o poder de Temido

A saída de Jamila Madeira do cargo de secretária de Estado Adjunta e da Saúde, a pedido da ministra Marta Temido, deixou alguns socialistas "arrepiados" e há um desconforto interno com a situação. É mais …