Governo não pediu parecer à CNPD sobre as “bodycams” em polícias. Método vai “aumentar a transparência”

A proposta da nova lei da videovigilância, que vai permitir que os polícias passem a usar câmaras nos uniformes, já foi aprovada em Conselho de Ministros, mas ainda não chegou ao Parlamento. Também não foi pedido qualquer parecer à Comissão Nacional de Proteção de Dados (CNPD).

A proposta foi aprovada pelo Conselho de Ministros há cerca de 10 dias. No dia seguinte ao anúncio, o secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna, Antero Luís, assumiu, em declarações à Antena 1, que a nova lei tem pontos sensíveis que podem suscitar dúvidas no Parlamento.

“Este é um equilíbrio que é necessário fazer. Foi feito no passado, em 2005, em relação à primeira lei de videovigilância, em relação às câmaras fixas, alargou-se depois a alguns sistemas municipais, sistemas rodoviários e zonas de aglomeração de pessoas. Enfim, todos esses sistemas têm vindo a ser assimilados”, disse, sublinhando que essa adaptação tem corrido bem.

Neste sentido, o governante referiu que a CNPD tem feito o seu trabalho, alertando para situações e ajudando a aprimorar as leis.

No entanto, no caso da nova lei que permite aos polícias – PSP e GNR – o uso de bodycams, a CNPD ainda não teve qualquer intervenção, noticia o Público.

Este detalhe foi confirmado ao jornal pela secretária-geral da CNPD, Isabel Cruz, que disse não ter havido ainda nenhum contacto por parte do Executivo.

Elsa Veloso, advogada especialista em Privacidade e Protecção de Dados, explica que a lei não obriga o Governo a consultar a CNPD nesta fase, sendo que a consulta à CNPD pode ser pedida pelo Parlamento quando a lei estiver a ser discutida. Porém, obriga a fazer uma avaliação de impacto sobre proteção de dados para ter um parecer.

“A avaliação de impacto só pode ser feita quando se tem todas as informações”, sustenta a advogada, acrescentando que “a CNPD também só poderá pronunciar-se quando tiver uma proposta de lei com todas as questões materializadas e esse estudo de impacto”.

Por sua vez, o Ministério da Administração Interna (MAI) alega que, na sua interpretação da lei, é o “órgão legiferante” que deve requerer o estudo de impacto e que “o órgão com competência legislativa é o Parlamento” a quem “também cabe pedir o parecer da CNPD”.

As bodycams, pequenas câmaras de vídeo incorporadas nos uniformes dos agentes da PSP, têm sido um dos instrumentos reivindicados pela polícia e alvo de debate, nomeadamente na sequência de alguns casos mediáticos em que imagens de operações policiais são divulgadas através de telemóveis.

Antero Luís disse à Antena 1, por exemplo, que o polícia ou militar vai sempre avisar antes de começar a gravar e que o sistema será sempre auditável, uma vez que as imagens serão descarregadas num sistema que, em princípio estará nas esquadras, mas não conseguiu adiantar o valor do investimento, referindo apenas que o “processo ainda estava no início”.

O secretário de Estado realçou ainda que o uso das bodycams apenas se justificará em situações em que há mais tensão, não sendo necessária, por exemplo, num patrulhamento normal.

“Aumento da transparência”

As body-worn cameras (BWC), nome técnico que define as câmaras portáteis instaladas nas fardas dos polícias, são uma realidade em vários países do mundo e o Reino Unido foi o primeiro do país a testá-las, tendo iniciado os primeiros testes em 2005, nos condados de Devon e Cornwall.

O primeiro passo foi dado e desde então tem-se assistido a uma expansão e exploração mundial das BWC nas forças de segurança, e com resultados, na sua maioria, positivos, segundo uma análise feita pelo subcomissário da PSP Nuno Albardeiro, que estudou o fenómeno na dissertação de mestrado, no Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna.

Nuno Albardeiro realça que os estudos feitos em alguns países revelaram os benefícios que estes dispositivos efetivamente têm nas polícias onde já são usados, tendo concluído que se verificou, por exemplo, “o aumento da transparência e da legitimidade policial, a melhoria da conduta do polícia, a melhoria da conduta do cidadão, a resolução mais célere de queixas contra polícias – e pode ser uma ótima ferramenta na formação policial”, explica ao Público.

As BWC são utilizadas em vários países da Europa como o Reino Unido, França, Itália e Alemanha, mas também já são usadas nos Estados Unidos, na Austrália, na China e até nos Emirados Árabes Unidos.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Só se ligar em. Situações tensas? E quem decide se a situação é tensa ou não? Quem a utiliza? Por essa lógica nem vale a pena gastar dinheiro. Pois duvido seriamente que as liguem se for O caso, ou se liga sempre que entram em contacto com O público ou nem vale a pena… Para apanhar conversas a meio já vasta quando alguém liga O telemóvel para filmar e se perde metade do contexto.

RESPONDER

A cidade mais segura do mundo foi revelada (e é europeia)

Copenhaga foi eleita a cidade mais segura do mundo em 2021 pelo Índice de Cidades Seguras (SCI), da Economist Intelligence Unit. Quando se trata de escolher o destino a visitar, a segurança é um dos aspetos …

Benfica 3-1 Boavista | Águia evolui com Darwin para a vitória

Desde 1982/83 que o Benfica não vencia os primeiros seis jogos no Campeonato. Pois bem, na noite desta segunda-feira, os encarnados venceram o duelo ante o Boavista e fizeram xeque-mate graças ao bis de Darwin …

Milhões de pessoas em risco de tráfico e escravidão devido à crise climática, revela relatório

Milhões de pessoas forçadas a deixar as suas casas por causa da seca severa e ciclones correm o risco da escravidão moderna e de tráfico humano nas próximas décadas, alertou um novo relatório publicado esta …

Mercado teme corrida ao imobiliário com o fim dos vistos gold

A partir de janeiro, segundo as novas regras aplicáveis aos vistos gold, vão deixar de estar abrangidos os investimentos em imobiliário com destino a habitação em Lisboa, no Porto e no litoral. O regime que visa …

Desempregados inscritos no IEFP caem 10% em agosto

O número de desempregados inscritos no Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) voltou a cair, pelo quinto mês consecutivo. Agosto fechou com 368.404 desempregados inscritos nos serviços públicos de emprego De acordo com os dados …

Agora que a catedral de Notre-Dame está estabilizada, pode dar-se início à reconstrução

Dois anos e meio após o incêndio que devastou a catedral de Notre-Dame, o edifício encontra-se seguro para iniciar o processo de reconstrução, que se espera estar concluído em 2024. Os trabalhos de segurança e consolidação …

Agente de viagens burlou Cristiano Ronaldo em 200 mil euros

Cristiano Ronaldo foi burlado, ao longo de mais de três anos, pela funcionária de uma agência de viagens a quem confiou os seus cartões de crédito e códigos. Jorge Mendes, Gestifute, Nani e Manuel Fernandes …

França diz-se "enganada" pela Austrália após suspensão de contrato de submarinos

Na semana passada, Estados Unidos, Austrália e Reino Unido anunciaram um acordo de defesa que inclui o desenvolvimento de submarinos nucleares na Austrália. O embaixador francês na Austrália, Jean-Pierre Thebault, disse esta segunda-feira que a França …

Sete mortos e 306 infetados nas últimas 24 horas

Portugal registou, esta segunda-feira, 306 novos casos e sete mortes na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, Portugal …

Rússia Unida anuncia vitória nas legislativas

O partido do Kremlin, Rússia Unida, reivindicou no domingo a vitória nas eleições legislativas russas, mas a sua maioria constitucional na Duma, a câmara baixa do parlamento, está ainda por apurar, após a contagem de …