Governo garante que “não vai faltar dinheiro” para recuperar o Pinhal de Leiria

Miguel A. Lopes / Lusa

O Governo assegurou, esta terça-feira, que “não vai faltar dinheiro” para recuperar a Mata Nacional de Leiria, inclusive 8,4 milhões de euros até 2024, indicando que, após a regeneração natural da área ardida, vai ser elaborado o Plano de Gestão Florestal.

“A última época de germinação que temos de esperar é abril do próximo ano, a partir daí já não há desculpa para o Governo, nem para mais ninguém, para não fazer nem o plano de gestão nem saber onde é que tem regeneração natural ou onde não tem regeneração natural e onde é que vai ter de plantar”, afirmou João Paulo Catarino, secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território.

João Paulo Catarino falou numa audição na comissão de Agricultura e Mar da Assembleia da República, requerida pelo grupo parlamentar do BE, sobre a recuperação das matas litorais ardidas, que decorreu em conjunto com o presidente do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), Nuno Banza.

“O ICNF, entre 2019 e 2022, tem já projetos em curso para intervir em mais de 3300 hectares, a que corresponde um investimento de mais de 4,3 milhões de euros”, avançou o secretário de Estado das Florestas, referindo-se à recuperação da Mata Nacional de Leiria.

Além dessa verba, “entre 2021 e 2024, o ICNF encontra-se a ultimar projetos para intervir numa área superior a 6.000 hectares, com um investimento estimado de 4,1 milhões de euros”, indicou o governante, contabilizando 8,4 milhões de euros até 2024.

A Mata Nacional de Leiria, também conhecida por Pinhal de Leiria ou Pinhal do Rei, é propriedade do Estado, tem 11.062 hectares e ocupa dois terços do concelho da Marinha Grande e a principal espécie é o pinheiro bravo. Nos incêndios de outubro de 2017 ardeu 86% da sua área.

“Não vai haver falta de dinheiro para o Pinhal de Leiria, há esse compromisso do Governo, há essa vontade política”, assegurou João Paulo Catarino, assumindo que tem existido uma “deficiente comunicação” do que está a ser feito, mas reforçando que a ideia é fazer deste caso um exemplo: “Se dizemos sempre que não conseguimos fazer na terra que é privada, na pública não temos justificação para não fazer”.

“Compreendo as pessoas de lá – toda a vida passaram lá e viram o pinhal lindíssimo -, é uma frustração enorme, mas só o voltarão a ver, infelizmente, para eles e para o país, daqui a 80 anos, se não fizermos nenhuma asneira daqui até a lá”, disse o governante.

Questionado sobre a gestão da Mata Nacional de Leiria, o secretário de Estado garantiu que “o Governo não tem intenções nenhumas de mudar o modelo de gestão”, referindo que se mantém a cargo do ICNF, com o reforço adequado de meios.

Sobre a remoção do material lenhoso ardido, João Paulo Catarino adiantou que “a área delimitada para corte de madeira queimada e respetiva alienação totaliza 5352 hectares, tendo sido alienados, até ao momento, 5285 hectares da área total prevista, ou seja, 99% do previsto”, em que o total vendido rondou os 16 milhões de euros, receita que foi encaminhada para o orçamento geral do Estado.

Apesar da receita consignada à gestão da Mata Nacional de Leiria, o governante revelou que “16 milhões de euros não vão chegar para as intervenções” que é necessário fazer.

Relativamente à criação do Museu da Floresta, na Marinha Grande, distrito de Leiria, o secretário de Estado explicou que o ICNF pode colaborar em tudo, inclusive ceder o espaço e pagar financeiramente uma parte do investimento, mas tem de ser a Câmara Municipal ou entidades locais a liderarem este processo.

Aos deputados, o presidente do ICNF, Nuno Banza, fez um balanço dos três anos após o incêndio de outubro de 2017 na Mata Nacional de Leiria, advertindo que o tempo que decorreu foi demasiado curto, mas destacando o trabalho do instituto na recuperação da área ardida e o esforço de recrutamento permanente de novos profissionais.

“Não estando naturalmente satisfeitos com o resultado final, porque objetivamente não conseguiríamos neste prazo repor aquilo que se perde, também é verdade que temos estado a trabalhar ativamente para que isso aconteça”, referiu Nuno Banza, acrescentando que “está feita muita coisa”, inclusive “está removida, neste momento, 99% da área de madeira ardida”.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

"A bitcoin vai criar a paz mundial"

A rainha das moedas digitais, se não construir a paz no planeta, vai ajudar na pacificação entre os seres humanos. É a opinião de Jack Dorsey. É o centro de atenções de muitos investidores, é o …

"Burrolandia". Parque temático de burros no México está a tentar salvar estes animais

Um parque temático de burros no México serve de santuário a estes animais que estão aos poucos a desaparecer no país. "O burro ajudou o homem por muito tempo. É hora de retribuirmos o favor", …

Uma mão robótica que joga Super Mario Bros na Nintendo? Sim, existe

Uma equipa de investigadores da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, imprimiu em 3D peças para criar uma mão robótica capaz de jogar Super Mario Bros na Nintendo.  A mão robótica é totalmente montada com circuitos …

"Narco Drones" apanhados a entregar drogas numa prisão chilena

Reclusos e cúmplices no exterior estão a usar drones para contrabandear droga para a prisão mais antiga do Chile. As autoridades chilenas descobriram que o esquema de contrabando tinha como objetivo transportar drogas para a Ex …

Erupção do vulcão Etna causa problemas económicos na Sicília

Nos últimos meses, o vulcão Etna tem estado em constante erupção e o custo de limpeza das cinzas está a deixar muitas cidades da Sicília à beira da falência. O vulcão Etna – um dos mais …

Argentina cria documento de identidade para pessoas não binárias

O Presidente da Argentina anunciou, esta semana, que o país tem um novo documento de identidade para incluir pessoas não binárias. É o primeiro país da América Latina a fazê-lo. De acordo com o chefe de …

Costa diz que Portugal vai ter "o dobro" de fundos comunitários para investir

O primeiro-ministro afirmou, este sábado, que Portugal vai contar, nos próximos sete anos, com "o dobro" de fundos comunitários para investimento, considerando que esta "é uma oportunidade única" que não pode ser desperdiçada. "Vamos ter a …

Chinesa morre após salvar a filha de deslizamento de terra. Bebé esteve 24 horas nos escombros

Uma mulher morreu após salvar o seu bebé quando um deslizamento de terra e uma forte inundação atingiram a sua casa na China, revelam as equipas de resgate. Como noticia a BBC, a bebé foi resgatada …

Caso Ihor. IGAI pede expulsão do ex-diretor de fronteiras do SEF

A Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) já entregou ao ministro Eduardo Cabrita o relatório final do processo disciplinar contra o inspetor coordenador do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) António Sérgio Henriques, que propõe a …

Chuvas torrenciais fazem mais de uma centena de mortos na Índia

Pelo menos 136 pessoas morreram na Índia, em consequência de chuvas torrenciais que assolaram o país e causaram fortes enchentes e deslizamentos de terra, enterrando casas e submergindo ruas. Numa altura em que as alterações climáticas …