Após três meses de “coletes amarelos”, Governo francês baixa impostos

Christophe Petit Tesson / EPA

Duas das principais reivindicações dos “coletes amarelos” ficam de fora das medidas anunciadas pelo Governo francês: a reintrodução do imposto sobre a riqueza e a aplicação de um sistema de proposição de leis pelos cidadãos.

O Governo francês prepara uma redução significativa de impostos, para responder aos protestos do movimento “coletes amarelos”, anunciou esta segunda-feira o primeiro-ministro, Edouard Philippe.

O primeiro-ministro apresentou as principais linhas políticas que o Governo assumirá como resultado de um “grande debate nacional” lançado em resposta ao descontentamento ilustrado pelos três meses de protestos dos “coletes amarelos”.

“O debate indica claramente a direção: temos de cortar impostos e cortá-los rapidamente”, afirmou Edouard Philippe, reservando mais pormenores sobre o plano político para a declaração que o Presidente francês, Emmanuel Macron, fará na próxima semana.

O primeiro-ministro detetou ainda outras preocupações da população francesa, a que o seu governo deverá dar solução, nomeadamente a procura por mais e melhores serviços públicos, por mais participação nas decisões políticas e por mais medidas para lidar com as mudanças climáticas sem aumento de impostos.

Segundo o Governo francês, mais de um milhão e meio de pessoas participou nesse debate nacional, distribuídas por mais de dez mil reuniões ao longo de toda a França, para procurar respostas ao movimento de contestação dos “coletes amarelos”.

O movimento dos “coletes amarelos” surgiu em novembro do ano passado, inicialmente para contestar um aumento da taxa sobre combustíveis, mas rapidamente tornando-se numa revolta ampla contra a política de Emmanuel Macron, com manifestações violentas em ao longo de três meses em várias das principais cidades francesas.

Edouard Philippe não incluiu na resposta do governo francês duas das medidas reivindicadas pelos “coletes amarelos”: a reintrodução do imposto sobre a riqueza e a implementação de um sistema de proposição de leis pelos cidadãos.

No entanto, de acordo com o plano de propostas anunciado, o Governo irá propor o abandono da taxa adicional sobre os combustíveis e do imposto para os reformados, bem como a inclusão de um bónus mensal de 100 euros para os trabalhadores com o salário mínimo, num pacote financeiro que deverá atingir os 10 mil milhões de euros.

A oposição a Macron já condenou este anúncio de medidas em época de pré-campanha para as eleições para o Parlamento Europeu.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Japão declara guerra aos fax (e quer acabar com o tradicional carimbo Hanko)

Depois de ser escolhido como ministro da reforma administrativa, o primeiro-ministro Taro Kono não perdeu muito tempo a travar uma guerra contra os emblemas da burocracia japonesa. De acordo com o Japan Times, na sexta-feira passada, …

2020 regista descida de acidentes rodoviários, mortos e feridos durante os primeiros 8 meses

O número de acidentes rodoviários, de vítimas mortais e de feridos diminuiu nos primeiros oito meses deste ano, em relação ao período homólogo de 2019, indica um relatório da Segurança Rodoviária. A Autoridade Nacional de Segurança …

Suspeito do ataque junto ao Charlie Hebdo acusado de tentativa de homicídio

O suspeito de ferir gravemente duas pessoas, na passada sexta-feira, à porta da antiga redação do semanário Charlie Hebdo, em Paris, foi acusado de "tentativa de homicídio relacionada com motivação terrorista", segundo a AFP. A informação …

SNS24 encaminhada crianças para a urgência "sem critério clínico", diz Ordem dos Médicos do Centro

A Ordem dos Médicos do Centro lamentou hoje que a linha SNS 24 esteja a encaminhar crianças "sem critério clínico" para as urgências hospitalares e pediu a definição urgente de "um plano seguro e com …

13 de outubro em Fátima com lotação reduzida a 6.000 fiéis

O Santuário de Fátima estima a presença de seis mil pessoas no recinto durante a peregrinação de 12 e 13 de outubro, estando prevista a colocação de círculos no chão, que reforçará a distância entre …

Jovem de 22 anos detido por suspeitas de burla de milhares de euros no MB Way

A Polícia Judiciária (PJ) deteve um indivíduo, de 22 anos, suspeito de diversos crimes de burla informática, falsidade informática, acesso ilegítimo e branqueamento de capitais, estando em causa um montante de dezenas de milhares de …

Nagorno-Karabakh. Alta Comissária da ONU insta a um "cessar-fogo imediato"

A Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos manifestou, esta terça-feira, a sua preocupação face ao aumento das hostilidades entre o Azerbaijão e os separatistas arménios no enclave de Nagorno-Karabakh, instando as partes a …

Rio duvida que país consiga investir verba prevista para setor público

O presidente do PSD, Rui Rio, manifestou esta quarta-feira dúvidas de que o país consiga investir toda a verba prevista pelo Governo no plano de recuperação para a administração pública, prometendo que o documento social-democrata …

MP acusa três inspetores do SEF de homicídio de imigrante ucraniano

O Ministério Público acusou esta quarta-feira três inspetores do SEF do homicídio qualificado de um cidadão ucraniano, ocorrido a 12 de março no Centro de Instalação Temporária do Aeroporto de Lisboa. Segundo uma nota da Procuradoria …

UE prepara lei que obriga gigantes tecnológicas a partilhar dados

A União Europeia (UE) está a preparar-se para forçar as gigantes tecnológicas a partilharem os dados que têm dos consumidores com empresas rivais menores, de acordo com uma nova lei que a Comissão Europeia está …