Governo em crise fica “encostado” ao Presidente, que “tende a apagar-se”

Mário Cruz / Lusa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (D), acompanhado pelo primeiro-ministro, António Costa (E)

Marcelo Rebelo de Sousa considera que o sistema semipresidencial português “tem funcionado bem”, levando o Governo, em momentos de crise política, a ficar “encostado” ao Presidente, que por sua vez “tende a apagar-se” em períodos de estabilidade.

Marcelo Rebelo de Sousa assume esta posição no programa da Antena 1 “Serviço Público – Bloco de Notas”, conduzido pela jornalista Maria Flor Pedroso, desenvolvido para ajudar os estudantes a prepararem-se para os exames nacionais dos 11.° e 12.° anos.

O Presidente da República e professor universitário de Direito jubilado participou em três episódios especiais, dirigidos aos alunos de História, sobre as constituições portuguesas, desde a de 1822 até à de 1976, o último dos quais vai ser transmitido esta sexta-feira, a partir das 14:20, na Antena 1.

A propósito do sistema semipresidencial consagrado na atual Constituição da República Portuguesa, o chefe de Estado afirma: “Quando há estabilidade no sistema de partidos, o Presidente tende-a a apagar-se, e é o parlamento ou o primeiro-ministro que assume maior relevo”.

“Se, porventura, há crise entre o Governo e o parlamento, ou entre partidos, ou na base de apoio do Governo, aí o Governo fica encostado ao Presidente da República e dependente do Presidente da República, que alarga o seu poder de intervenção”, acrescenta.

Marcelo Rebelo de Sousa concluiu que o sistema semipresidencial “tem funcionado bem, conforme os casos, casos em que funciona de uma maneira, casos em que funciona de outra maneira, mas tem funcionado bem com os sucessivos governos, que já foram muitos, e com os sucessivos presidentes”.

No seu entender, já não se debate em Portugal se o sistema “devia ser mais presidencialista ou parlamentarista“. “De uma maneira geral, entende-se que este equilíbrio é o mais prudente e o mais sensato, permitindo, de acordo com as circunstâncias, e muitas delas imprevistas, políticas, económicas e sociais, soluções diversas”, sustenta.

O Presidente da República encerrou a primeira temporada deste programa da Antena 1, “Serviço Público – Bloco de Notas”, para o qual foram convidadas personalidades públicas e da vida académica para, ao longo dos meses de junho e de julho, falar das matérias das disciplinas a exame neste ano letivo, afetado pela pandemia de covid-19.

Marcelo Rebelo de Sousa, que assumiu a chefia do Estado em 9 de março de 2016 anos, está no último ano do seu mandato e terá o poder de dissolução do parlamento suspenso nos últimos seis meses, a partir de setembro. Ainda sem dar como certa a sua recandidatura nas presidenciais de 2021, o Presidente prometeu anunciar a sua decisão “lá para novembro”.

No dia 13 de maio, durante uma visita à Autoeuropa, Marcelo Rebelo de Sousa ouviu o primeiro-ministro afirmar que esperava regressar àquela fábrica com o atual Presidente da República já num segundo mandato, contando, portanto, com a sua recandidatura e reeleição.

“Nós vamos ultrapassar esta pandemia e os efeitos económicos e sociais, neste ano, no ano que vem, nos anos próximos. E eu cá estarei, e cá estaremos todos, porque isto é um espírito de equipa que se formou e que nada vai quebrar. Cá estaremos este ano e nos próximos anos a construir um Portugal melhor”, declarou em seguida, o chefe de Estado.

Eleito à primeira volta nas eleições presidenciais de 24 de janeiro de 2016 com 52% dos votos, Marcelo conviveu nos seus primeiros três anos e meio de mandato com um Governo minoritário do PS suportado por acordos inéditos à esquerda no parlamento. Manifestou-se desde o início empenhado na estabilidade e viu a legislatura chegar até ao fim.

Nesta nova legislatura, o PS conseguiu uma votação reforçada nas legislativas de 6 de outubro de 2019, mas novamente sem maioria absoluta, e formou um que não está suportado por quaisquer acordos escritos, uma condição que o próprio Presidente da República considerou desnecessária e que o PCP rejeitava, tendo António Costa optado por não privilegiar nenhum dos parceiros à esquerda.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. eu nao concordo com este sistema democratico..nao concordo com sistema de controlo dos paises…ja temos sistemas mais avancados…problemas é que os politicos sempre dao musica ao povo e sacam milhoes, com consequencia gravicissas para progresso dos paises. Claro que politica alimenta muito parasita, alimenta o sem conta instituicoes que se arrastam enfim…. hoje seria honesto falar em novos modelos, novos sistemas mais transparentes, e sem parasitas por traz das cortinas. Ora pendem esforco e mais trabalho ao povo, eles sempre reinar, falam que monarquia nao era bom, mas eles nao sao difrente o que muda!!!!! geracoes nascem morrem ignorantes…os que questionam teem de sair dos paises … ora isto é democratico?!!!!! As responsabilidades cai sempre para povo, os sacrificios para povo…..o que é a democracia!???? entao… meia duzia de politicos decidiram fazer vida a volta da politica e das instituicoes e manipularem a seu belo prazer….mais critico essas pessoas sem formacao e sem experiencia… ora é sempre a desviar recursos do pais, alterando e criando leis sem nexo…justificacoes sem fundamento…

    a formas como nos estao governos no presente nao faz nenhum sentido…nao existem justicacao. as conjugacoes dos sistemas sao mais complexas para resolver do que uma mera opiniao ou ordem de um polico.

RESPONDER

Portugal é um dos cinco países da Europa onde a pandemia está a recuar

Portugal é um dos cinco países da Europa onde a pandemia está a recuar, de acordo com o mais recente relatório do Centro Europeu de Controlo e Prevenção de Doenças (ECDC) esta terça-feira divulgado. O …

Ryanair desregulou escalas dos trabalhadores que rejeitaram cortes em Portugal

A Ryanair desregulou o regime de escalas habitual à "pequena minoria" de trabalhadores que recusou os cortes da empresa na sequência da pandemia de covid-19, retirando-lhes qualquer direito a bónus, segundo documentos a que a …

Vieira quer oferecer Bruno Henrique a Jorge Jesus

Embora Jorge Jesus não tenha pedido a contratação de Bruno Henrique, o presidente benfiquista quer comprar o avançado brasileiro como prenda para o novo treinador. Luís Filipe Vieira está a estudar a contratação de Bruno Henrique, …

"Dimensão ética". Presidente do Novo Banco enviou uma carta a Marques Mendes a explicar o seu silêncio

Debaixo de fogo depois de serem reveladas as perdas avultadas relacionadas com a venda da carteira de imóveis do Novo Banco, António Ramalho enviou uma carta a Luís Marques Mendes, comentador da SIC, a explicar …

Ministério Público quer Jorge Jesus a testemunhar contra Rui Pinto

O Ministério Público (MP) quer que o treinador português Jorge Jesus testemunhe em tribunal contra o "pirata informático" Rui Pinto, que esta semana deixou a prisão domiciliária com a obrigação de se apresentar semanalmente à …

Guarda-redes do Atlético de Madrid já não escapa ao Sporting

O Sporting conseguiu, nas últimas horas, ultimar os detalhes do contrato que trará o guarda-redes espanhol António Adán para Alvalade. O jornal desportivo Record avança esta terça-feira que o contrato está a ser ultimado, adiantando que …

Dois agentes da PSP detidos em flagrante por tráfico de cocaína escondida em contentores de bananas

As autoridades portuguesas detiveram em flagrante quatro cidadãos nacionais por tráfico de droga, dois dos quais eram agentes da PSP em Faro. Fonte do gabinete de relações públicas da PSP adiantou à agência Lusa, que …

"Formiga do inferno." Descoberto fóssil preservado em âmbar com 99 milhões de anos

Uma equipa internacional de cientistas encontrou um fóssil preservado em âmbar que ilustra o exato momento em que uma formiga pré-histórica devora a sua presa. De acordo com o artigo científico, publicado recentemente na Current Biology, …

Isabel dos Santos deixa administração da operadora angolana Unitel

A empresária angolana Isabel dos Santos anunciou esta terça-feira que vai deixar o seu lugar na administração da operadora de telecomunicações Unitel. “Após 20 anos dedicados à criação, ao desenvolvimento e ao sucesso da Unitel, optei …

Rússia regista primeira vacina contra coronavírus (e filha de Putin já a tomou)

A Rússia tornou-se esta terça-feira o primeiro país do mundo a registar uma vacina contra o novo coronavírus, anunciou o presidente russo, Vladimir Putin, acrescentando que uma das suas filhas já foi inoculada. "Esta manhã foi …