Governo chinês condena protestos contra a chefe do Executivo de Hong Kong. “Excederam os limites aceitáveis”

CC0 / Pxhere

Protestos em Hong Kong

O Governo chinês condenou na segunda-feira os protestos contra a chefe do Executivo de Hong Kong, Carrie Lam. Após oito semanas consecutivas de protestos, a China pronunciou-se acerca das mais recentes manifestações que atingiram proporções violentas: foram “atos malvados e criminosos”.

Foram detidas 49 pessoas durante uma manifestação contra o Governo da cidade ocorrida entre domingo à noite e a madrugada desta segunda-feira. Repetiram-se os confrontos entre a polícia e os manifestantes, noticiou esta segunda-feira a RTP.

Em conferência de imprensa conjunta com a região administrativa de Macau, a China condenou veementemente o sucedido: “Foram incidentes horrendos, que causaram danos graves ao Estado de Direito”.

Em comunicado, o porta-voz Yang Guang condenou “os atos malvados e criminosos cometidos por elementos radicais” e afirmou que “obedecer à lei é uma necessidade básica de um lugar que vive sob o Estado de Direito”.

Esta é a primeira vez, desde a transferência de Hong Kong para a China, que o Gabinete para os Assuntos de Hong Kong e Macau, do Conselho de Estado chinês, faz um comunicado de maior dimensão, uma vez que, normalmente, permitem que seja o próprio Governo de Hong Kong a fazê-lo.

De acordo com a RTP, a China reiterou também o apoio à Chefe do Governo, Carrie Lam, assim como às autoridades policiais, por manterem a ordem. “Nós entendemos e simpatizamos especialmente com a tremenda pressão sentida pela polícia e as suas famílias”, disse o porta-voz.

O Gabinete apelou a todos os setores da sociedade que “se oponham claramente à violência” e “defendam fortemente o Estado de Direito”.

Yang Guang lançou ainda uma advertência a manifestantes “com segundas intenções”, dizendo esperar que “as pessoas de Hong Kong tenham consciência da natureza grave da situação atual” e que, “se Hong Kong continuar no caos, terá um custo para a sociedade”.

Por outro lado, quando questionado se a China interviria militarmente em Hong Kong, evitou responder. Porém, o Artigo 14.º da Lei Básica, o documento constitucional da região administrativa, afirma que “o Governo de Hong Kong, quando necessário, pode pedir ao Governo da República Popular Central assistência às tropas para a manutenção da ordem pública e em catástrofes”.

 

Lei da extradição na origem dos protestos

As manifestações foram motivadas por uma alteração legislativa que possibilitaria a extradição de réus para serem julgados na China continental, de acordo com as leis chinesas. Tal significaria que o código penal de Hong Kong deixaria de ser completamente autónomo, referiu a RTP.

Milhões de pessoas acreditaram tratar-se de uma tentativa de Pequim de reforçar o controlo sobre o território semiautónomo e colocar em causa a independência dos tribunais. O que deu lugar aos protestos do último mês, quebrando até o recorde de maior número de manifestantes: dois milhões.

Os manifestantes são de todas as camadas da sociedade, incluindo os mais velhos.

Na realidade, o protesto de domingo passado teve uma protagonista: uma idosa. Com a bengala na mão, gritou contra as autoridades policiais, “furiosa e sem medo”, como descreveu a jornalista Laurel Chor.

Face à adesão crescente aos protestos, Carrie Lam suspendeu as negociações sobre a proposta, mas recusou revogá-la definitivamente, o que prolongou as manifestações. Agora, os manifestantes pedem que Carrie Lam se demita.

Por outro lado, a lei de extradição invocou outras preocupações como a democracia, o futuro do território e a sua autonomia.

Na realidade, os protestos assumiram outros contornos. Não são apenas sobre a lei da extradição, mas também sobre o que acontecerá ao território depois de 2047, ano em que termina o acordo com a China, estabelecido em 1997. Foi através deste acordo que se estabeleceu a autonomia de Hong Kong, mas este tem a validade de 50 anos. O que acontecerá posteriormente não é definido no acordo.

Porém, a China aparenta ter uma posição firme. “A única forma da região administrativa especial suster um crescimento económico e manter a estabilidade é integrar mais o seu próprio desenvolvimento no desenvolvimento total da nação”.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Proposta do PCP para passar Novo Banco para esfera pública foi chumbada

A recomendação ao Governo proposta pelo PCP para reverter da venda do Novo Banco, transferindo-o para a esfera pública, foi hoje chumbada no parlamento com os votos contra de PS, PSD, CDS-PP, PAN, Iniciativa Liberal …

Trump ataca voto por correspondência. Resultados podem não ser "determinados de forma precisa"

O Presidente dos EUA, Donald Trump, reforçou na quinta-feira no Twitter os ataques ao voto por correspondência nas eleições de novembro, ao que a rede social reagiu ligando duas das suas mensagens a informação verificada …

Quatro candidatos disputarão sucessão de Santana no Aliança

O novo líder do Aliança, que sucederá ao fundador do partido, Pedro Santana Lopes, vai ser escolhido entre quatro candidatos no próximo congresso nacional, agendado para 26 e 27 de setembro em Torres Vedras. Segundo noticiou esta …

Recomendação do PS para tarifa social de Internet sem oposição (mas partidos querem mais)

A recomendação do PS ao Governo para que crie uma tarifa social de acesso à Internet não mereceu esta quinta-feira oposição de nenhuma bancada, mas foram vários os partidos que defenderam a necessidade de “ir …

Ex-deputado PS acusado de uso abusivo de viaturas da Câmara de Barcelos

O Ministério Público acusou de peculato e abuso de poderes o ex-deputado socialista Domingos Pereira, pela alegada utilização de viaturas do município de Barcelos para deslocações de e para a Assembleia da República. Segundo nota publicada …

Quim Torra acusa Governo espanhol de tentar "excluir um presidente no meio de uma pandemia"

Um recurso do presidente separatista catalão Quim Torra contra uma condenação por desobediência que pode afastá-lo do exercício de cargos públicos durante ano e meio foi analisado na quinta-feira pelo Supremo Tribunal de Espanha. Antes …

Cinco anos depois, Volkswagen nega reembolso a 125 mil portugueses lesados

A marca alemã Volkswagen respondeu à Deco Proteste, cinco anos após o caso "dieselgate", informando que não irá indemnizar mais consumidores, tendo em vista os processos judiciais em curso. Segundo noticiou esta sexta-feira a Madremedia, em …

Novo recorde em cinco meses. Mais 780 casos por covid-19 em Portugal

Portugal regista mais seis mortos e 780 casos de infeção por covid-19 esta sexta-feira, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS). Os números revelados no boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde …

"Podemos chegar a 1.000 novos casos por dia". Costa pede cautela

No final da reunião de emergência com o gabinete de crise para o acompanhamento da evolução da covid-19 em Portugal, Costa deixou conselhos e pediu cautela. A reunião, convocada na quinta-feira por António Costa, surgiu …

13 de Outubro em Fátima "sim, mas sem peregrinos". Delegada de Saúde espera que a Igreja se "porte bem"

A delegada de Saúde Pública do Médio Tejo defende que as cerimónias religiosas do 13 de Outubro no Santuário de Fátima decorram "sem peregrinos", esperando que a Igreja se porte "tão bem" como aquando do …