Governo alarga voto antecipado nas Presidenciais. Cada um deve levar a sua caneta

Mário Cruz / Lusa

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita

O ministro da Administração Interna (MAI) revelou este domingo o que muda nas próximas eleições Presidenciais, que decorrerão em plena pandemia, confirmando que os idosos que vivem em lares poderão votar antecipadamente.

“A pandemia não suspende a democracia”, afirmou Eduardo Cabrita, em conferência de imprensa, nas instalações do MAI, em Lisboa, a propósito das medidas da Administração Eleitoral para as presidenciais, em contexto de pandemia de covid-19.

Por isso, “o Governo e a Assembleia da República tomaram as medidas administrativas necessárias” para que os portugueses “possam votar em segurança”.

Entre as principais mudanças anunciadas está o voto antecipado, que será disponibilizado aos idosos que vivem em lares, bem como a qualquer português que o pretenda fazer, sem ter necessidade de invocar uma razão especial.

Idosos podem votar antecipadamente nos lares

Segundo anunciou o governante, os idosos que estão confinados em lares por causa da pandemia deverão poder exercer o direito de voto antecipadamente, usufruindo do mesmo regime que está já previsto para pessoas em isolamento profilático.

“Tudo está a ser feito nesse sentido para que as pessoas que, por razões de saúde pública, estão internadas em estruturas residenciais para idosos, os lares para idosos, na designação mais comum, sejam equiparados a cidadãos em situação de isolamento profilático”, disse Eduardo Cabrita, em conferência de imprensa, nas instalações do Ministério da Administração Interna (MAI), em Lisboa.

Os idosos em lares deverão poder fazer a inscrição para o voto antecipado entre 14 e 17 de janeiro – à semelhança dos cidadãos que estão em isolamento profilático obrigatório decretado pelas autoridades -, podendo exercer este direito entre os dias 19 e 20.

Os votos serão recolhidos por “equipas organizadas pelas autarquias” com o apoio da Administração Eleitoral e também das forças de segurança, que se deslocarão aos lares.

Quem está em confinamento e quiser votar antecipadamente, deve também fazer o pedido entre dia 14 e 17 e votar no dia 19 e 20. O procedimento é o mesmo dos idosos internados em lares: “Terá apoio da equipas municipais e policiais, que se deslocam a um local estabelecido pelas autoridades de saúde, local esse que pode ser em casa, um local público ou qualquer outro local definido pelas autoridades de saúde (…) O voto será recolhido com garantia de segurança – o voto será desinfetado”.

Os idosos em lares podem manifestar o pedido de voto antecipado nesta página do MAI.

Qualquer pessoa pode votar antecipadamente

O Governo anunciou também o alargamento do voto antecipado em mobilidade, não sendo necessário invocar qualquer causa especial para o fazer, detalha o semanário Expresso.

A partir deste domingo, dia 10, e até dia 14, qualquer pessoa de qualquer município em Portugal poderá pedir para votar antecipadamente, sendo este voto feito no dia 17, uma semana antes, numa mesa de voto à escolha do eleitor.

Para pedir o voto antecipado para 17 de janeiro, deve aceder a esta página do MAI ou fazer o pedido por correio. O eleitor deve mencionar o nome completo, data de nascimento, número de identificação civil, morada, mesa de voto antecipado em mobilidade onde pretende exercer o direito de voto, endereço de correio eletrónico e/ou contacto telefónico, havendo uma minuta na página da Internet do Ministério da Administração Interna.

Eduardo Cabrita explicou, na mesma conferência de imprensa em Lisboa, que esta medida permitirá evitar os típicos ajuntamentos em dias de eleições.

Na prática, os portugueses poderão decidir se querem votar no dia 24 ou se pretendem votar antecipadamente, no dia 17, mediante autorização do voto antecipado em mobilidade. Serão dois dias para os portugueses irem às urnas.

Cada um deve levar a sua caneta

O ministro anunciou ainda que o Governo vai aumentar o número de mesas de voto, diminuindo consequentemente o número de eleitores em cada mesa.

Até agora, detalha o jornal online Observador, cada mesa de voto estava preparada para receber até 1.500 pessoas no dia das eleições. Com as novas regras para as Presidenciais, este número foi reduzido para 1.000. Serão agora mais 2.800 mesas de voto, passando o número total de 10 mil para cerca de 13 mil.

Existirão mais mesas de voto “para se evitar concentrações e filas” e para que ir votar seja “tão seguro como ir à escola e mais seguro que ir a um supermercado ou a um restaurante”, sublinhou ainda Eduardo Cabrita.

E há mais novidades: cada eleitor deve levar a sua própria caneta, uma vez que estas não estarão presentes nas habituais mesas de votos, numa iniciativa que visa evitar a partilha de objetos e travar a propagação do novo coronavírus.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. “A pandemia não suspende a democracia” nem o Natal, mas já teve consequências, ou não?
    “O Governo e a Assembleia da República tomaram as medidas administrativas necessárias” para que os portugueses “possam votar em segurança”, cada um leva a sua caneta, nada de misturas…
    Isto está bonito.

RESPONDER

"Não tem passado de figurante". Fenprof diz que sistema educativo bloqueava se dependesse do ministro

O secretário-geral da Federação Nacional dos Professores (Fenprof), Mário Nogueira, considerou, esta sexta-feira, que sistema educativo em Portugal já tinha bloqueado se dependesse do trabalho do ministro da Educação e do Governo, realçando que o …

País "esqueceu-se de que existe engenharia". Especialistas criticam recomendação da DGS para ventilação nas escolas

Recomendações da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a ventilação nas escolas ficam aquém do que seria necessário, dizem especialistas. Tendo em conta que a covid-19 se transmite por aerossóis, é importante que exista uma boa ventilação …

O "ar salazarento" dos ministros na campanha do PS. Temido usou carro do Governo e pode ter cometido crime

A presença de ministros na campanha dos candidatos socialistas às autárquicas está a causar polémica, sobretudo no Porto, com Rui Moreira a criticar "o ar salazarento de chapelada" do PS. Marta Temido, ministra da Saúde, …

Ataques aéreos dos EUA mataram até 48 mil civis em 20 anos. Pentágono admite morte de civis em Cabul

Uma investigação independente concluiu que entre 22 mil e 48 mil civis morreram vítimas de ataques aéreos das forças dos EUA desde o 11 de Setembro. O Pentágono admitiu também que o ataque a um …

Fernando Pimenta é campeão do mundo em K1 1.000 (e aponta a "mais medalhas" do que os golos de Ronaldo)

O canoísta Fernando Pimenta sagrou-se campeão mundial de K1 1.000 metros, ao bater o húngaro Balint Kopasz na final, nos Mundiais de Copenhaga, aumentando para dois os pódios de Portugal na Dinamarca. Na pista quatro, Pimenta …

MNE garante que todos os afegãos que trabalharam com o Exército português foram retirados do país

O ministro dos Negócios Estrangeiros garantiu esta sexta-feira que o Governo apoiou a retirada de todos os afegãos que trabalharam com as forças portuguesas no Afeganistão, reconhecendo ser "provável" alguns não terem respondido aos contactos. "Nós …

"Não quero ser arrogante: o melhor médio da Premier League sou eu"

Yves Bissouma joga no Brighton e tem despertado o interesse de clubes ingleses de outro nível. Cresceu no Mali ao serviço do Majestic SC, passou pelo AS Real Bamako antes de rumar à Europa. Começou por …

Tratamento inovador para cancro pesa nos orçamentos do IPO de Porto e Lisboa

Os custos associados ao tratamento de cancros do sangue com células CAR-T estão a ser suportados apenas pelos hospitais autorizados a aplicá-la, no caso, os IPO do Porto e de Lisboa. De acordo com o Jornal …

Gravuras descobertas no Tibete são as mais antigas da arte pré-histórica. Foram feitas por crianças

Uma equipa encontrou antigas pegadas e marcas de mãos feitas por crianças no planalto tibetano. Esta descoberta traz novos detalhes sobre a presença humana no local. O estudo, publicado na revista Science Direct, revela que estes …

Comissão nos EUA desaconselha terceira dose da Pfizer a maiores de 16 anos

Uma comissão consultiva da agência reguladora dos EUA para os medicamentos e a alimentação (FDA, na sigla em inglês) pronunciou-se esta sexta-feira contra a aplicação de uma terceira dose da vacina Pfizer contra a covid-19 …