Governadora manda retirar bandeira sulista do Capitólio da Carolina do Sul

John Taggart / EPA

Milhares de manifestantes juntaram-se debaixo da controversa bandeira da Confederação hasteada junto ao Capitólio da Carolina do Sul

Milhares de manifestantes juntaram-se debaixo da controversa bandeira da Confederação, hasteada junto ao Capitólio da Carolina do Sul

Uma semana depois do massacre cometido em uma igreja da comunidade negra de Charleston, a governadora da Carolina do Sul, a republicana Nikki Haley, pediu esta segunda-feira que seja retirada a bandeira confederada que se encontra hasteada à frente do Capitólio estadual.

“Hoje, encontramo-nos num momento de unidade no nosso Estado, sem má vontade, para dizer que é hora de retirar a bandeira do prédio do Capitólio”, declarou Nikki, em conferência de imprensa, acompanhada de líderes políticos de ambos os partidos.

Cento e cinquenta anos depois do fim da Guerra Civil, chegou o momento”, acrescentou, alegando que a bandeira de batalha dos tempos da guerra, vista por alguns como símbolo da persistência de sentimentos racistas no sul americano, “causa tristeza a muita gente”.

“Para muitas pessoas, esta bandeira significa nobres tradições, tradições históricas, de património e antiguidade, mas, para muitos outros, na Carolina do Sul, é o símbolo de um passado brutalmente tirânico“, completou a Governadora.

Dylann Roof, autor do massacre de Charleston, mantinha um blog com um manifesto racista, no qual se encontravam fotos em que exibia armas de fogo e a bandeira da Confederação. Numa das fotos, o jovem queima a bandeira dos Estados Unidos.

David Goldman / EPA

A governadora da Carolina do Norte, Nikki Haley, abraça o senador negro Tim Scott, na reabertura da igreja onde ocorreu o massacre de Charleston

A governadora da Carolina do Norte, Nikki Haley, abraça o senador negro Tim Scott, na reabertura da igreja onde ocorreu o massacre de Charleston

Este sábado, milhares de manifestantes juntaram-se debaixo da controversa bandeira, exigindo que fosse retirada, em resposta ao massacre na igreja de Charleston.

Erguendo cartazes e entoando canções e palavras de ordem, a multidão condenou a cruz da Guerra Civil, apontando-a como um símbolo do racismo latente no sul dos Estados Unidos.

A famosa bandeira de cruz azul em fundo vermelho foi o símbolo de batalha da Confederação, que juntou os estados esclavagistas do sul, que perderam a Guerra Civil americana contra a União dos estados do Norte, liderados por Abraham Lincoln, que defendiam a abolição da escravatura.

“Já não podemos mais dar-nos ao luxo de ter esta bandeira aqui, uma bandeira que é um farol para aqueles que guardam más opiniões”, disse a advogada e ativista de 95 anos Sarah Leverette.

Mais de 370.000 pessoas assinaram uma petição ‘online’ para que a bandeira seja retirada.

“Símbolos de ódio não têm lugar no nosso Governo. A bandeira da Confederação não é um símbolo de orgulho do sul, mas um símbolo de rebelião e racismo“, diz a petição.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Não são só os humanos. Até os cães-guia podem vir a ser substituídos por robôs

A tecnologia de Inteligência Artificial (IA) não ameaça apenas automatizar o trabalho dos humanos. Os cães-guia, que ajudam pessoas com deficiência visual a navegar com segurança pelo mundo, podem ser os seus próximos alvos. Uma equipa …

Laboratório investigado em Madrid depois de vídeo mostrar maus tratos a animais

Um laboratório em Madrid, Espanha, está a ser investigado por alegados maus tratos a animais, depois de uma inspeção confirmar as suspeitas de abuso filmadas por um antigo funcionário. O vídeo divulgado pela Cruelty Free International …

Equipa realiza primeiro transplante de traqueia do mundo. Pode reverter danos causados pela covid-19

Uma equipa de cirurgiões realizou o primeiro transplante de traqueia humana do mundo. A cirurgia foi feita numa mulher com graves danos no órgão, revelou o Hospital Mount Sinai, em Nova Iorque. A recetora do transplante …

Em 2020, os mais velhos renderam-se aos "animais de estimação pandémicos"

Uma nova investigação revelou que as famílias com crianças não foram as únicas a aderir à tendência dos "animais de estimação pandémicos" em 2020. Os mais velhos também não resistiram. Segundo a National Poll on Healthy …

Tramado por uma turfeira. Homem confessa assassinato, mas corpo encontrado tinha 1600 anos

O que tinha tudo para ser um casamento feliz, acabou em tragédia. Num estranho caso em que uma simples planta ditou o desfecho de uma investigação criminal. Em 1959, a retratista e entusiasta de viagens Malika …

"Projeto Bernanke". Google terá usado programa secreto para dar vantagem ao seu sistema de anúncios

A Google terá usado durante anos um programa secreto que usava dados de lances anteriores na bolsa de publicidade digital da empresa para dar ao seu próprio sistema de compra de anúncios uma vantagem sobre …

Para "proteger a verdade histórica", Rússia divulga documentos que revelam atrocidades nazis em Stalingrado

O Ministério da Defesa da Rússia divulgou documentos desclassificados que detalham atrocidades cometidas por soldados e oficiais nazis durante a II Guerra Mundial. A divulgação destes documentos, que foram publicados no site do Ministério da Defesa …

Espanha. Funcionários públicos podem trabalhar três dias em casa sem perder direitos

O Governo espanhol e os sindicatos de funcionalismo público chegaram, esta segunda-feira, a um acordo que prevê que os trabalhadores da Administração Pública podem trabalhar três dias por semana em casa com os mesmos direitos …

Rara coleção de um dos primeiros fotógrafos da História vai a leilão nos EUA

Quase 200 imagens de um dos primeiros fotógrafos da história, William Henry Fox Talbot, vão a leilão, em Nova Iorque, já este mês. A coleção de William Henry Fox Talbot será parte do leilão "50 obras-primas …

Em greve de fome, Navalny é ameaçado ser alimentado à força. Ativistas falam em tortura

O opositor russo Alexei Navalny afirmou hoje na rede social Twitter que as autoridades penitenciárias estão a ameaçar alimentá-lo à força para quebrar a greve de fome que mantém na prisão desde 31 de março. “Ele …