/

Abbott desafia Biden. Governador do Texas proíbe empresas de exigirem vacinação aos funcionários

1

AFP

Greg Abbott, Governador do Texas

A decisão surge numa altura em que vários estados estão a desafiar legalmente o plano de vacinação de Biden. Apenas 66% dos americanos elegíveis para se vacinarem o fizeram.

O governador Republicado no Texas, Greg Abbott, emitiu na segunda-feira uma ordem executiva que impede que as empresas tanto públicas como privadas exigiam a vacina obrigatória aos seus funcionários.

O Texas tem sido um dos estados onde a liderança se opõe mais às limitações causadas pela covid-19. Recorde-se que em Março, Abbott acabou com a obrigatoriedade do uso de máscara e abriu o estado a 100%. Em Maio, o governador também emitiu uma ordem executiva onde proibia as entidades públicas de impor a máscara obrigatória.

Segundo o New York Times, esta nova ordem sobre a vacina refere que “nenhuma entidade no Texas pode exigir provas de se ter tomado a vacina contra a covid-19 a qualquer indivíduo, incluindo empregadores e consumidores que sejam contra a vacinação por motivos de objecção de consciência, por razões religiosas, por razões médicas, ou por já terem recuperado de covid-19”.

Abbott suspende assim “qualquer estatuto relevante enquadrado nos quadros necessários para a aplicação desta proibição”. Apesar de reconhecer que as vacinas “são fortemente aconselhadas”, sublinha que “devem sempre ser tomadas de forma voluntária por todos os texanos”.

Este anúncio é mais uma dor de cabeça para Joe Biden, depois do Presidente norte-americano ter avançado em Setembro com um plano de vacinação que obrigava os funcionários públicos a serem vacinados sem opção de teste e também todas as empresas com mais de 100 funcionários a exigir vacina ou um teste semanal.

O plano foi rapidamente criticado pela oposição, com vários governadores e procuradores-gerais estaduais republicanos a considerá-lo autoritário e a avançarem com processos em tribunal para tentar bloquear a decisão de Biden.

Biden continuou a apelar a que as empresas tomem medidas para que os trabalhadores se vacinem, visto que uma parte significativa da população elegível continua sem se vacinar. De acordo com o NYT, na sexta-feira apenas 66% dos americanos com 12 ou mais anos já estavam totalmente vacinados.

Além do Texas, a Flórida, governada pelo Republicano Ron DeSantis também tem sido um dos principais estados a opor-se às medidas de Biden que obrigam à vacinação e ao uso de máscara.

A professora Srividhya Ragavan, que ensina saúde pública global na faculdade de direito de uma universidade texana, acredita que a ordem de Abbott vai ser desafiada em tribunal, tal como a anterior proibição às máscaras obrigatórias.

Os tribunais nos EUA costumam defender os mandados de vacina obrigatória, explica Ragavan ao NYT, porque não são apenas os direitos de quem se recusa a ser vacinado que são postos em causa.

Tanto o Facebook como o Google, que têm ambos escritórios no Texas, tinham anunciado que o certificado de vacinação seria exigido para aos trabalhadores. No caso do Facebook, que emprega mais de 2000 pessoas no estado, a empresa já reagiu à ordem de Abbott num comunicado, dizendo que a sua política de vacinação não vai ser mudada.

Também a American Airlines, baseada na cidade texana de Fort Worth, anunciou na sexta-feira que os seus mais de 100 mil trabalhadores nos EUA têm de se vacinar.

  Adriana Peixoto, ZAP //

1 Comment

  1. Falta dizer que estes Estados que não exigem fraldas faciais e “vacinas” são os que apresentam melhores métricas da pandemia. Ahh pois, isto não é para dizer. Se fosse Trump a implementar uma “vacina” forçada, sob estas chantagens, era um ditador.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.