Gouveia e Melo: “Nós já ganhámos a este vírus”

Manuel de Almeida / Lusa

O vice-almirante Gouveia e Melo

O responsável pela ‘task-force’ que coordena o programa de vacinas contra a covid-19, vice-almirante Henrique Gouveia e Melo, assumiu esta quarta-feira que Portugal “já ganhou a este vírus”.

“Nós já ganhámos a este vírus, pelo menos, a primeira batalha está ganha e isso é um grande alívio para todos nós”, assumiu o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo em Viseu, na cerimónia de abertura da Escola secundária Alves Martins, onde estudou com 15 anos.

À margem da cerimónia, justificou aos jornalistas que a batalha está ganha, “porque a incidência está a cair apesar do estado de desconfinamento” em que o país se encontra, já depois do período de férias e da presença de estrangeiros.

“O processo de vacinação venceu o vírus e agora temos de começar a aprender a reganhar a nossa liberdade e a nossa vida. É isso que temos de fazer, claro que com alguns cuidados. Temos de ser inteligentes, também não podemos ser descuidados“, alertou.

Com a taxa de vacinação a atingir “quase os 86% das primeiras doses”, sendo que “normalmente um mês depois atinge-se o mesmo em termos de segunda dose ou vacinação completa”, o vice-almirante disse estar satisfeito com o resultado.

“O processo de vacinação ajudou-nos imenso nisto e nós estamos verdadeiramente satisfeitos, enquanto comunidade, devemos estar verdadeiramente satisfeitos connosco próprios, porque foi uma pequena taxa de pessoas negacionistas que fez com que chegássemos a este processo, com esta taxa imensa de vacinação completa”, destacou.

O vice-almirante Gouveia e Melo desvalorizou ainda o facto de Portugal ser o primeiro país do mundo em termos de taxa de cobertura de vacinação, dizendo que isso não o preocupa, sendo que a sua preocupação “é se essa taxa é suficiente para haver proteção de grupo e eventualmente a imunidade de grupo“.

“Estou confiante que sim, mas só o futuro o dirá, mas se atingirmos essa imunidade de grupo ou, pelo menos, a proteção de grupo, são excelentes notícias para o nosso país e para a nossa vida, daqui para diante”, defendeu.

O responsável disse ainda, perante dezenas de professoras presentes no ginásio, que foram “superados em mais de 85% a vacinação dos jovens dos 12 aos 19 anos”.

“Podem pensar que é pouco”, mas o vice-almirante explicou que “é muito, porque há 5% ou 6% que ainda são recuperados, que não podem ser vacinados, portanto, são mais de 90%” de pessoas vacinadas.

Perante questões levantadas por professores, Gouveia e Melo defendeu que “a melhor postura perante os negacionistas, que vivem numa bolha em que se autoalimentam, é a democracia” e, neste sentido, mostrou-se “muito satisfeito” por o Estado de Direito funcionar, ao chamar as pessoas, que o insultaram e ameaçaram, à justiça.

“A democracia é isto. É exigir a nós próprios exercer a democracia todos os dias e exercer a democracia é não permitir que alguém nos grite aos ouvidos e nos empurre para as ideias deles. As pessoas podem ter as suas ideias, é perfeitamente legítimo, não têm é que me vender essas ideias de forma agressiva, como eu também não vendo as minhas ideias de forma agressiva. Isso é democracia”, definiu.

Aos professores, o vice-almirante terminou as suas palavras sobre a vacinação e o processo em que esteve envolvido: “Estejam confiantes que 2022 vai ser um ano completamente diferente de 2021 e também diferente do fim de 2020 e até meados de 2020, porque nós vencemos o vírus. Não sou político (…) sou genuíno no que estou a dizer e fizemos o máximo para acabar o processo o mais rapidamente, só que o processo foi condicionado pela disponibilidade de vacinas”, concluiu.

LUSA //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. A opinião dos que todos os dias morrem à conta do vírus talvez fosse ligeiramente diferente, caso se pudessem pronunciar, mas os familiares e amigos podem dizer qualquer coisa sobre isto… Desculpem, mas não estou assim tão otimista como o vice almirante, o primeiro ministro e outros!

RESPONDER

"Era como se a morte estivesse num copo." No século XVIII, o gin estava a arruinar a Inglaterra

A bebida alcoólica tornou-se tão popular no Reino Unido que os empresários começaram a utilizar todo o tipo de aditivos para enriquecerem. No século XVIII, o gin tornou-se a maior droga que o homem poderia consumir …

Vacinar animais contra a covid-19? Dezenas de zoos nos EUA estão a avançar com a ideia

Cerca de 70 jardins zoológicos e espaços de conservação nos Estados Unidos estão a administrar a vacina da farmcêutica veterinária Zoetis aos seus animais. Não são só os humanos que estão a ser vacinados contra a …

Lewis Hamilton: "Eu não disse que estava a morrer"

Acidente com Max Verstappen originou dores no campeão; Helmut Marko disse que já era "espectáculo" a mais. Troca de palavras entre os dois candidatos ao título. Como se esperava, o acidente que envolveu Lewis Hamilton e …

Autorretrato de Frida Kahlo deverá ser vendido por um valor recorde de 30 milhões de dólares

A Sotheby’s espera ultrapassar os 30 milhões de dólares (mais de 25 milhões de euros) com o autorretrato da pintora mexicana Frida Kahlo, no qual aparece também o seu marido Diego Rivera. O autorretrato Diego y …

David Luiz: "Um dos dias mais especiais da minha vida" - e ainda se fala sobre Jorge Jesus

Flamengo ficou mais próximo de mais uma final da Libertadores, depois de derrotar o Barcelona de Guayaquil. David Luiz estreou-se. O Flamengo venceu o Barcelona de Guayaquil por 2-0, na primeira "mão" das meias-finais da Copa …

Iémen. Escassez de alimentos empurra 16 milhões de pessoas para a fome, revela ONU

Pelo menos 5 milhões de pessoas no Iémen estão à beira da fome e outros 16 milhões estão "a caminhar para a fome", num país dilacerado pela guerra civil. O Programa Mundial de Alimentos (WFP, na …

Presidente da Tunísia governará por decreto, ignorando partes da constituição

O Presidente da Tunísia, Kais Saied, declarou que governará por decreto e ignorará partes da constituição, enquanto se prepara para mudar o sistema político, gerando críticas imediatas da oposição. Desde 25 de julho, dia em que …

Alemanha deixa de pagar quarentena a trabalhadores não vacinados

A Alemanha vai deixar de indemnizar trabalhadores não vacinados que forem forçados a quarentena devido ao coronavírus, por ser "injusto pedir aos contribuintes que subsidiem aqueles que se recusam a ser vacinados", disse na quarta-feira …

Governo acaba com recomendação do teletrabalho

O Conselho de Ministros decidiu acabar com a recomendação da opção pelo teletrabalho e eliminar a testagem em locais de trabalho com mais de 150 trabalhadores. Estas medidas integram a terceira e última fase do plano …

Cansado de denúncias, Betis pede aos seus sócios: "Portem-se bem"

Clube onde jogam dois portugueses quer que os adeptos tenham um "comportamento adequado" durante os jogos no Benito Villamarín. O Betis de Sevilha jogou seis vezes até agora, nesta época. Quatro desses encontros foram disputados em …