Google paga prémios até centenas de milhares de euros para descobrir bugs

B!T

A Google aumentou o valor dos prémios que oferece a quem descobrir bugs nos seus produtos e serviços. Alguns dos prémios podem mesmo chegar aos milhares de euros.

Ganhar dinheiro ao descobrir bugs é algo desconhecido para muitas pessoas, mas a verdade é que pode ser bastante lucrativo. Em 2010, a Google lançou um programa de recompensas para quem identificasse bugs nos seus serviços. Esta semana, a Google decidiu aumentar os prémio — em alguns casos, duplicando e triplicando os valores.

Para os mais leigos, um bug de software é um erro ou falha num programa de computador ou sistema que faz com que ele produza um resultado incorreto ou inesperado. A quantidade oferecida varia conforme a importância do bug que é descoberto e quão detalhado é o relatório dado. Ou seja, ao oferecer uma solução para o problema, pode ganhar muito mais.

Em ambos os casos, segundo o TechCrunch, as recompensas vão subir consideravelmente. O relatório mais simples de um bug pode valer-lhe entre 5 mil e 15 mil euros, aproximadamente. Outros bugs relatados podem valer um prémio muito mais aliciante, que pode variar entre os 15 e os 30 mil euros.

No entanto, há um bug específico que está a importunar os informáticos da Google e que compromete o Chromebook e a Chromebox. Inicialmente, para este bug, a Google começou por oferecer 45 mil euros a quem solucionasse o problema. Sem uma solução oferecida, ao longo do tempo a empresa foi aumentado a recompensa. Em 2016, o prémio subiu para quase 90 mil euros. Esta semana, a parada chegou quase aos 135 mil euros.

A Google também pôs o sistema operativo do Chrome em teste, oferecendo quase 15 mil euros a quem conseguisse retirar informações de um utilizador com sessão bloqueada.

Este tipo de projetos permite à empresa americana reforçar a qualidade dos serviços com a ajuda da comunidade. Só em prémios, desde 2010, a Google já pagou aproximadamente 4,5 milhões de euros no programa de deteção de bugs do Chrome. No geral, a fasquia é muito mais alta, com a tecnológica a pagar mais de 13 milhões de euros na reparação de bugs.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cinco antepassados de crocodilos viveram há 150 milhões de anos na Lourinhã

Pelo menos cinco crocodilomorfos, antepassados dos crocodilos, viveram na região da Lourinhã há 150 milhões de anos, durante o período do Jurássico. Num artigo publicado na Zoological Journal of the Linnean Society, os paleontólogos Alexandre Guillaume, …

A radiação de Chernobyl está a deixar as vespas esfomeadas (e isso é má notícia)

A Zona de Exclusão de Chernobyl é a área em torno da cidade ucraniana de Pripyat, onde a Central Nuclear de Chernobyl entrou em colapso em 1986. Apesar de não haver humanos na região, e …

Beethoven deixou a 10.ª sinfonia inacabada (e a IA vai completá-la)

Um dos maiores dilemas da história da música é a obra inacabada de Ludwig van Beethoven (1770-1827), a "10ª sinfonia", com muitos músicos a esforçar-se para finalizá-la, utilizando alguns dos fragmentos disponíveis, mas sem sucesso. Desta …

Orcas bebé têm maior probabilidade de sobreviver se viverem com a avó

Crias de orca que vivam com a avó têm uma maior probabilidade de sobreviver quando comparadas às outras orcas. A experiência destas espécimes mais velhas é essencial para o grupo. Tal como nos humanos, as avós …

A "capital mundial das pessoas feias" mora na Itália

Piobbico, na Itália, é uma cidade medieval repleta de grandes edifícios de pedra cercados por florestas exuberantes. No entanto, a cidade é conhecida pela feiura dos seus habitantes. Esta cidade, com cerca de 2.000 habitantes, alberga …

Jovem norte-americano despistou-se e caiu ao rio. Siri chamou os bombeiros

Um jovem norte-americano estava a caminho da universidade quando perdeu o controlo do carro, que derrapou sobre gelo, e foi parar ao rio Winnebago. Como não conseguiu encontrar o seu telemóvel, recorreu à Siri para …

Basta uma máscara impressa para enganar os sistemas de reconhecimento facial

Especialistas da empresa de inteligência artificial Kneron testaram sistemas em três continentes e vários falharam. O reconhecimento facial é, cada vez mais, um método de controlo e de segurança encarado como credível e, inclusivamente, usado …

Pandit olha para as vacas como família e quer produzir "leite ético" para vegans

Um agricultor nos Estados Unidos quer produzir "leite ético" para vegans, mantendo como prioridade o bem-estar e a saúde das vacas. Ultimamente, o consumo de leite tem sido posto cada vez mais em causa. Não só …

Jogadores do Arsenal doam um dia de salário para ações solidárias

Os futebolistas e a equipa técnica do Arsenal vão doar um dia de salário para ações solidárias de Natal. Os elementos técnicos também entraram na iniciativa, que prevê, ainda, a doação da receita do próximo …

Turismo, indústria e energia fazem do Norte região que mais cresceu em 2018

O Norte foi a região portuguesa que mais cresceu em 2018, com um aumento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,9%, impulsionado pelo turismo, indústria e energia, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística …