/

Google Maps acusado de sugerir rotas “potencialmente fatais”

Muitos montanhistas que procuram o cume da montanha mais alta da Escócia e outros picos na área no Google Maps estão a ser direcionados para rotas “potencialmente fatais”.

A montanha Ben Nevis é um destino turístico muito popular conhecida por ser a mais alta do Reino Unido, situada a 1.345 metros de altitude. Milhares de pessoas conseguem chegar ao cume anualmente, mas a escalada até ao pico não é isenta de riscos.

A organização The John Muir Trust disse à CNN que vários montanhistas que utilizam o Google Maps correm o risco de serem direcionados para uma rota “altamente perigosa, mesmo para alpinistas experientes”.

“O problema é que o Google Maps direciona alguns visitantes até ao parque de estacionamento de Upper Falls, presumivelmente porque é o parque de estacionamento mais próximo do cume”, explicou Nathan Berrie, responsável pela conservação da montanha.

“Mas esta NÃO é a rota correta e deparamo-nos frequentemente com grupos de caminhantes inexperientes que se dirigem para Steall Falls ou para as encostas sul de Ben Nevis, acreditando que é a rota para o cume”, acrescentou, numa nota.

Também Heather Morning, consultora de segurança em montanhas da organização Mountaineering Scotland, referiu que “para aqueles que são novos em caminhadas nas montanhas parece perfeitamente lógico verificar o Google Maps para obter informações de como chegar ao ponto escolhido, mas quando é inserido Ben Nevis aparece uma rota que o direciona para o estacionamento de Glen Nevis”.

“Até mesmo o montanhista mais experiente teria dificuldade em seguir essa rota, pois o caminho passa por terrenos muito íngremes, rochosos e mesmo com uma boa visibilidade seria difícil encontrar uma linha segura, o que torna a rota sugerida pela Google potencialmente fatal”, explicou.

A responsável acrescentou ainda que a aplicação também direciona os montanhistas por rotas que os podem colocar em risco de vida, nomeadamente quando procuram por outros pontos elevados da região, como a montanha de An Teallach.

“Para An Teallach, no noroeste, foi inserida no Google Maps uma rota ‘a pé’ que leva as pessoas até um penhasco“, especificou.

À cadeia britânica, um porta-voz da Google referiu que construíram o “Google Maps a pensar na segurança e na confiabilidade” e que estão a “trabalhar rapidamente para investigar o problema da rota de Ben Nevis e áreas vizinhas”.

  Liliana Malainho, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.