Entre apertos de mão e caras sérias, eis o final abrupto da cimeira entre Trump e Kim Jong-un

KCNA / EPA

A cimeira entre Donald Trump e Kim Jong-un em Hanói, no Vietname, terminou sem que fosse alcançado qualquer acordo. No centro da discórdia está o levantamento de sanções à Coreia do Norte.

Houve tempo para apertos de mão e para aprofundar os laços entre o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, mas a segunda cimeira terminou sem que fosse alcançado qualquer acordo. Ainda assim, ambas as delegações admitirem que vão continuar a dialogar no futuro.

O final do segundo encontro entre os líderes foi abrupto. Segundo Sarah Sanders, porta-voz da Casa Branca, a cimeira foi encurtada e o almoço previsto entre Trump e Kim Jong-un não se chegou a realizar.

“Ele [Kim Jong-un] tem uma certa visão que não é exatamente a nossa visão, mas está muito mais próxima do que estava há um ano e penso que eventualmente conseguiremos. Nesta visita, em particular, decidimos que tínhamos de caminhar”, disse Trump já depois da cimeira, numa conferência de imprensa esta quinta-feira, às 14h (7h em Lisboa).

No início das negociações, os dois líderes admitiram a abertura de gabinetes de ligação nos dois países. Kim afirmou estar disposto à desnuclearização, enquanto que Trump disse desejar um bom acordo (e um acordo bem feito), ainda que tenha garantido não ter pressa. Com ou sem pressa, ironicamente, a cimeira terminou mais cedo do que o esperado.

“Uma das coisas que Kim Jong-un me prometeu na noite passada é que não fará testes nucleares”, afirmou Trum, ainda que as áreas norte-coreanas propostas por Kim para serem desnuclearizadas não sejam aquelas que os EUA “queriam”.

“Quero manter esta relação, veremos o que acontece nos próximos tempos. Ele não fará testes nucleares ou de mísseis. Eu confio nele e acredito na sua palavra“, afirmou o Presidente norte-americano.

Depois do aperto de mão caloroso, Trump desdobrou-se em elogios a Kim, descrevendo-o como um “grande líder” e sublinhando o “tremendo potencial económico” ao dispor da Coreia do Norte. Por sua vez, adianta o Público, Kim Jong-un saudou a “decisão corajosa” de Donald Trump em encontrar-se com ele, tendo sido o primeiro Presidente dos EUA a tê-lo feito.

Amigos, amigos, levantamento de sanções à parte. O final abrupto aproximou-se quando o líder norte-coreano admitiu estar disposto a desativar o reator nuclear de Yongbyon, a maior central nuclear do país, mas pediu algo em troca.

Kim Jong-un pediu a suspensão de “todas as sanções” aplicadas à Coreia do Norte, um preço demasiado alto para Trump, que disse não estar disposto a tal.

Em suma, foi o diferendo relativamente ao levantamento das sanções impostas à Coreia do Norte que levou o líder norte-americano a abandonar as negociações. “Basicamente, eles queriam as sanções totalmente suspensas e nós não estávamos dispostos a fazer isso”. Trump escusou comentar, pelo contrário, um aumento das sanções ao país.

Depois dos apertos de mão, seguiram-se as caras sérias. Apesar do falhanço das negociações em Hanói, Trump garantiu que o “relacionamento” entre os dois países e respetivos líderes vai manter-se. Foi uma discussão “amigável”, afirmou Trump, assegurando que ninguém saiu chateado e que não irão ter lugar novos testes balísticos.

“Poderia ter assinado algo hoje, mas é melhor fazer bem do que rápido“, concluiu o Presidente dos Estados Unidos.

No horizonte ainda não há qualquer pista sobre um novo encontro entre os dois líderes. “Pode ser em breve, ou pode demorar. Eu espero que seja em breve, mas pode demorar algum tempo. Um acordo deveria ter sido alcançado por presidentes antes de mim. Não estou apenas a culpar a administração Obama, estou a culpar várias administrações”, disse Donald Trump aos jornalistas.

LM, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Há cada vez mais cidades chinesas com cortes de energia — e isso poderá ter consequências globais

Embora o problema já se tenha começado a sentir em julho, na última semana deixou de atingir apenas as zonas industriais para se estender aos bairros residenciais. População foi desaconselhada a não usar dispositivos com …

Barack Obama: "Taxem os ricos, como eu," para financiar proposta de Biden

Apelo está relacionado com a aprovação de um grande plano legislativo proposto por Joe Biden e que deverá ser negociado nas duas câmaras do Congresso norte-americano ao longo das próximas semanas. Numa semana decisiva da governação …

As origens dos antigos Etruscos foram finalmente reveladas

Vestígios de ADN encerraram, finalmente, o debate sobre a origem dos Etruscos,  uma antiga civilização cujos restos mortais foram encontrados em Itália. De acordo com quase dois mil anos de dados genómicos, recolhidos de 12 locais …

Rússia acusa Navalny e aliados de extremismo em novo processo

A Rússia intensificou a campanha contra o opositor do governo Alexei Navalny, abrindo esta terça-feira um novo processo judicial, que poderá levá-lo a cumprir uma pena de prisão de mais uma década. Navalny cumpre dois anos …

Governo demite Chefe do Estado-Maior da Armada. Gouveia e Melo provável sucessor

O ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, vai propor ao Presidente da República a demissão do Chefe do Estado-Maior da Armada, confirmaram hoje à Lusa fontes ligadas à Defesa. O Governo propôs ao Presidente da …

Borussia Dortmund 1-0 Sporting | Um Mal(en) que veio só… e foi suficiente

O “bicho papão Haaland não jogou, mas nem assim os “leões” conseguiram contrariar o maior poderio germânico. O Sporting saiu de Dortmund com uma derrota, apesar da excelente réplica no Signal Iduna Park, e muito por …

FC Porto 1-5 Liverpool | Dragão atropelado em casa

O Liverpool é uma espécie de “besta” em tons de “red” para o FC Porto. Em nove jogos oficiais, os “azuis-e-brancos” nunca venceram, somando 3 empates e 6 derrotas, a mais recente foi pesadíssima e …

China desenvolve arma invisível capaz de destruir redes de comunicação em dez segundos

Uma equipa de cientistas chineses está a desenvolver uma arma sónica, que gera um intenso pulso eletromagnético, capaz de destruir redes de comunicação e de fornecimento de energia elétrica. A arma poderá ter um alcance …

Dezenas de mulheres abusadas por funcionários da OMS na República Democrática do Congo

Dezenas de mulheres e meninas foram abusadas sexualmente por voluntários da Organização Mundial de Saúde (OMS) destacados para enfrentar o Ébola na República Democrática do Congo (RDC), entre 2018 e 2020, concluiu um inquérito independente …

Evolução de parasita está a tornar mais difícil detetar e tratar a malária

Uma mutação do parasita que causa a malária está a "camuflar" as proteínas que são identificadas nos testes rápidos, tornando mais difícil detetar e tratar a doença. De forma semelhante aos testes à covid-19, baratos e …