Fim-de-semana com 3 dias pode aumentar produtividade (e salvar o planeta)

Uma dupla de economistas norte-americanos acredita que um fim-de-semana de três dias poderia não só ajudar na produtividade dos trabalhadores como o ambiente.

Será que são precisas 40 horas semanais para garantir que as empresas por esse mundo fora prosperam? David Rosnick e Mark Weisbrot têm a certeza: a resposta é não.

Os economistas norte-americanos defendem que a semana devia ter apenas quatro dias de trabalho e outros três de folga, ou seja, mais um dia do que o habitual.

Segundo os especialistas, esta proposta não significa trabalhar menos, muito antes pelo contrário.

Com mais tempo para relaxar e se dedicarem a outras atividades, os trabalhadores podiam “descansar” a mente, sendo mais produtivos quando chegasse a hora de pôr mãos à obra.

Além disso, a mudança também teria um impacto significativo em nome do ambiente.

De acordo com a dupla de economistas, uma semana com apenas quatro dias significa menos deslocações casa-trabalho e menos gastos de energia.

Esta iniciativa, amiga do ambiente e dos trabalhadores, foi testada pela primeira vez no Utah, Estados Unidos, em 2007.

A mudança, que funcionava apenas para a função pública, permitiu, em apenas dez meses, uma poupança de energia no valor de 1,8 milhões de dólares, cerca de 1,6 milhões de euros, e uma redução da emissão de dióxido de carbono de 12 mil toneladas.

Porém, o estado norte-americano acabou por abortar esta ideia em 2011, uma vez que parte da população, que continuava a trabalhar às sextas, não tinha acesso aos serviços públicos.

Um dos homens mais ricos do mundo também é a favor desta proposta, sugerindo nos últimos anos algo ainda mais “surreal”: uma semana de trabalho com apenas três dias.

Carlos Slim, o mexicano conhecido como “rei Midas das telecomunicações”, acredita que “ao ter-se quatro dias por semana livres, uma série de atividades seriam encorajadas – o turismo, o entretenimento, o desporto, a cultura ou a educação – e as pessoas poderiam tirar proveito desses dias extra para manter a sua aprendizagem”.

E se isto acontecesse em Portugal?

O Diário de Notícias quis explorar o tema e, por isso, falou com vários ambientalistas e um economista portugueses.

Na opinião de Francisco Ferreira, da associação ambientalista Zero, esta proposta não iria ter grande expressão em Portugal.

Apenas Lisboa e Porto poderiam registar mais benefícios, por serem cidades com mais movimento, mas “não chegariam à poupança de 20% de emissões que são apontadas para os EUA”.

João Branco, da Quercus, simpatiza com a ideia mas não esconde as sérias dúvidas que teria caso este projeto viesse a ser implementado no país.

“As pessoas vão gastar energia noutros locais e algumas até vão viajar”, considera, acrescentando que esta hipótese “é difícil de implementar”.

Por fim, para o economista João Duque, do Instituto Superior de Economia e Gestão, nem vale a pena perder tempo com a questão.

“Um americano de barriga cheia que está farto de poluição acha bem, mas a parte subdesenvolvida do mundo acha mal”, defende.

O economista recorda que as pessoas trabalham para “aumentar o seu bem-estar” e que o positivo que se consegue do trabalho é “superior ao negativo gerado pela poluição e desperdício”.

FM, ZAP / The Greenest Post

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Pois! Vão lá explicar isso a muito empresário (pseudo empresário) que, por certo,só val ouvir “aumentar produtividade” e vai fazer orelhas moucas a ” fim de semana com 3 dias, …., e salvar o planeta”. Só ouve mesmo é “aumento de produtividade” o resto é ruído.

  2. “O economista recorda que as pessoas trabalham para “aumentar o seu bem-estar” e que o positivo que se consegue do trabalho é “superior ao negativo gerado pela poluição e desperdício”.”

    o gajo que diz isto faz o quê propriamente dito?
    será que é daqueles que trabalha arduamente e no final do mês é mal compensado?

RESPONDER

Consumo excessivo de álcool afeta o sistema nervoso (e aumenta a ansiedade)

Investigadores do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde concluíram que o consumo repetitivo de álcool afeta diretamente células imunes do sistema nervoso central, que eliminam parte da comunicação entre os neurónios, e provoca o …

Afinal, os tubarões-baleia macho não são os maiores peixes dos oceanos

Um novo estudo revela que, afinal, os tubarões-baleia machos não são os maiores peixes do oceano. As fêmeas crescem continuamente muito depois de os machos pararem, atingindo tamanhos maiores - ainda que demorem mais tempo …

Exército norte-americano usou fundos de emergência covid-19 para comprar armas

O exército dos Estados Unidos utilizou fundos de emergência aprovados pelo Congresso especificamente para combater a covid-19 para comprar armas, denuncia esta semana o jornal norte-americano The Washington Post. O caso remonta a março passado, …

Carpinteiros usam técnica medieval na reconstrução de Notre Dame

A reconstrução de Notre Dame - que se prevê estar concluída no prazo de cinco anos - continua a avançar e os carpinteiros usaram técnicas medievais para erguer uma estrutura na fachada do monumento. A Catedral …

Durante um ano e meio, uma aldeia inteira perdeu a Internet todos os dias à mesma hora (e já se sabe porquê)

Durante 18 meses, os residentes de uma vila no País de Gales perderam a Internet todos os dias à mesma hora. Agora, engenheiros identificaram o motivo: uma televisão em segunda mão que emitia um sinal …

Gado na UE produz 704 milhões de toneladas de CO2 (mais do que todos os transportes juntos)

De acordo com uma nova análise da Greenpeace, animais de criação como vacas, porcos e outros, estão a emitir mais gases com efeito de estufa na Europa do que todos os transportes juntos. Na última década, …

É distraído e está sempre a perder a carteira? A Cashew Smart Wallet é para si

Uma simples carteira pode vir a melhorar os seus dias. A Cashew Smart Wallet é dotada de uma tecnologia de bluetooth que permite proteger os seus bens e ainda o ajuda caso a perca por …

Desportivo das Aves SAD desiste do Campeonato de Portugal

O Desportivo das Aves SAD vai abdicar da participação no Campeonato de Portugal (CdP), após ter falhado as negociações com o Perafita para utilizar as instalações do clube de Matosinhos. "As inscrições fechavam ontem [terça-feira] e …

Celebridades doam dinheiro para pagar dívidas a ex-presos impedidos de votar nos EUA

O bilionário Michael Bloomberg, o cantor John Legend e o basquetebolista LeBron James são algumas das celebridades que estão a doar dinheiro para pagar dívidas de ex-presidiários da Florida, impedidos de votar nas próximas eleições …

No debate sobre o Plano de Recuperação, evocou-se Sócrates e Passos

O líder do PSD questionou o primeiro-ministro se pretende "fomentar o desemprego" com o aumento do salário mínimo. O chefe do Governo manifestou-se "completamente perplexo". Na abertura do debate sobre o Plano de Recuperação e Resiliência, …