Feno no chão e cigarro mal apagado podem ter sido a causa do incêndio no Andanças

António José / Lusa

Dia seguinte ao incêndio no "Andanças"

Dia seguinte ao incêndio no “Andanças”

O incêndio que destruiu 422 carros no parque de estacionamento do Andanças pode ter sido provocado pela combinação entre a vegetação e um cigarro mal apagado.

A cama de feno que se encontrava no terreno usado como parque de estacionamento do festival Andanças, em Castelo de Vide, Portalegre, associado a um comportamento negligente, podem explicar o incêndio do passado dia 3.

Quem o diz é o jornal Público, que cita a investigação que está a ser levada pela Polícia Judiciária, que desde logo suspeitou da “propagação anormal” do incêndio que destruiu 422 viaturas.

Inicialmente, pensava-se que o incêndio tinha tido origem num dos automóveis mas tudo aponta para que o problema tenha sido a vegetação que estava no local e que não foi previamente retirada.

O terreno foi limpo por sapadores da Câmara de Castelo de Vide, pouco antes do festival começar, mas o autarca António Nobre Pita nega qualquer responsabilidade.

“De facto o trabalho foi realizado pelos sapadores municipais, orientados pelo comandante operacional municipal, mas seguindo as instruções da própria organização”, sublinha ao Público.

Por sua vez, Graça Gonçalves, da organização do Andanças, garante que ninguém do festival deu instruções durante a limpeza nem pediu para que a vegetação fosse deixada no local.

“Apenas pedimos à câmara para cortar a erva. Mas não demos instruções específicas ao coordenador dos trabalhos”, explica.

Segundo o diário, os investigadores da PJ já realizaram o relatório preliminar da ocorrência, tendo concluído que o fogo não começou em nenhum dos veículos que se encontrava estacionado.

Na origem do incêndio deverá estar sim um comportamento negligente, sendo a hipótese mais provável um cigarro mal apagado.

Isto porque não existe nenhum vestígio de fogueiras, trovoadas, problemas com cabos de alta tensão ou vidros expostos à luz solar.

ZAP

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Se o terreno foi limpo por sapadores e deixaram o feno cortado ou simplesmente o restolho no chão acho que houve muita incompetência por parte dos mesmos pois tudo aquilo deveria ter sido queimado pelos bombeiros com fogo controlado para evitar o que veio a acontecer o fogo começar em qualquer local e facilmente se propagar por debaixo das viaturas logo com os pneus como isco passando rapidamente à pintura e avançar em pouco tempo por todo o recinto.

  2. Para mim, estes festivais, em 99% das vezes têm em comum a “confraternização” da maltinha jovem. Acampam, encharcam a vela ( bebem uns copos valentes ), fumam umas coisas estranhas (enchendo o ku a uns parasitas que se juntam à ramboia para fazer negócio e desgraçar a vida dos outros ), dão umas quecas e tal…enfim é só alegria. No meio da alegria (moka ) vem o descuido e… Tá tudo a arder.
    Com franqueza acho que, independentemente de ter havido um eventual pouco rigor na limpeza dos fenos e/ou manutenção da area do festival, a possibilidade de ter havido desleixo dos jovenzinhos, baseado no que escrevi, para mim, é muito provavel.

RESPONDER

Células estaminais podem ajudar a proteger os astronautas da radiação espacial

Assim que os astronautas deixam a proteção do campo magnético da Terra, ficam automaticamente expostos a níveis elevados de radiação cósmica. A Agência Espacial Europeia (ESA) está cada vez mais focada em investigações para reduzir …

Pandemia pode trazer nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas

A pandemia de Covid-19 pode trazer uma nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas como limpeza de superfícies infetadas ou vigiar pessoas em quarentena, afirmam esta quarta-feira alguns dos principais investigadores internacionais em …

Multimilionários refugiam-se da Covid-19 a bordo de iates

Vários multimilionários têm procurado refugiar-se da pandemia de Covid-19, que nasceu em dezembro passado na China, em alto mar, a bordo de iates de luxo. Em declarações ao jornal The Telegraph, Jonathan Beckett, executivo da …

Este mamífero consegue sobreviver a quase sete mil metros de altura

Cientistas pensam ter confirmado que um pequeno rato descoberto no vulcão Llullaillaco, nos Andes, é o mamífero que consegue viver à maior altitude já conhecida (6739 metros). Segundo o IFLScience, o Phyllotis xanthopygus rupestris foi descoberto, …

O glaciar Denman recuou quase cinco quilómetros nos últimos 22 anos

O glaciar Denman, na Antártica Oriental, recuou cerca de cinco quilómetros nos últimos 22 anos. Investigadores da Universidade da Califórnia, Irvine e do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA estão preocupados coma topografia exclusiva …

Gruta em Setúbal mostra que os Neandertais também eram pescadores

Cientistas encontraram restos de alimentos numa gruta, no distrito de Setúbal, que comprovam que os Neandertais também se alimentavam de espécies marinhas. De acordo com o jornal espanhol ABC, restos encontrados por uma equipa de arqueólogos …

Associação alerta para riscos da mudança da hora em tempos de confinamento

O presidente da Associação Portuguesa de Cronobiologia e Medicina do Sono advertiu hoje que os efeitos potencialmente adversos causados pela mudança da hora podem acentuar-se devido ao confinamento obrigatório das pessoas na sequência da pandemia …

Governo português legaliza estrangeiros ilegais. "A prioridade é a defesa da saúde"

O Governo português decidiu regularizar os estrangeiros com pedidos pendentes no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, medida em vigor desde a declaração do estado de emergência, no dia 19, e que lhes garante os mesmos …

Cirque du Soleil despediu 95% dos trabalhadores e pode ir à falência (mas vai dando shows online)

O Cirque du Soleil pode ser mais uma vítima do coronavírus. A empresa que gere o circo está a analisar a possibilidade de declarar a falência devido a dívidas avultadas e depois de ter despedido …

Ordem dos Médicos está a avaliar uso de medicamento não testado para travar Covid-19

Portugal pode tornar-se no segundo país do mundo a usar hidroxicloroquina como forma de prevenção de Covid-19. A Ordem dos Médicos (OM) estará a estudar essa possibilidade, de acordo com o Expresso. O semanário refere que …