/

Família de Pablo Escobar está a processar um rapper norte-americano. Exige-lhe 10 milhões

A família Pablo Escobar, morto em dezembro de 1993 na Colômbia, está a processar o rapper norte-americano Tauheed Heakeen Epps, mais conhecido como 2 Chainz, por usar o nome do narcotraficante num negócio.

De acordo com a imprensa local, a família de Escobar avançou com um processo contra Tauheed Heakeen Epps e a sua sócia, a empresária Mychell ‘Snoop’ Dillard, por usarem o nome do colombiano num dos seus restaurantes.

Exigem ao rapper o pagamento de 10 milhões de dólares alegando danos supostamente causados pelo uso inadequado e sem aviso do nome de Escobar.

Em causa está o Escobar Restaurant and Tapas, localizado em Atlanta, nos Estados Unidos.

A família do narcotraficante avançou com um processo em Los Angeles através da empresa liderada por Roberto Escobar, irmão de Pablo Escobar, pedindo que um juiz proíba o uso do nome de Escobar no estabelecimento, bem como seu site e redes sociais.

A acusação refere que o cardápio do restaurante, por exemplo, incluiu pratos “batizados” como  “Escobar Crab Cakes” ou um cocktail apelidado de “The Colombian”.

Esta não é a primeira vez que a família de Escobar se debate pelo uso do nome do narcotraficante: em 2017, avançou, sem sucesso, com um ação contra a Netflix por causa da série Narcos, que tem duas temporadas focadas na vida de Escobar.

Roberto Escoba fundou a empresa Escobar Inc. em 2014 para administrar os direitos relacionados como a história do seu irmão Pablo, que os terá deixado como herança.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.