Ex-presidente do Banif pede auditoria a “venda desastrosa” ao Santander

Jorge Tomé, ex-presidente do Banif, considera que a venda do banco ao Santander aconteceu num “contexto um bocado estranho”, com um “resultado desastroso”.

Em entrevista à SIC Notícias esta quarta-feira, Jorge Tomé, que foi presidente do Banif até domingo, falou sobre o envolvimento da gestão do banco da operação e diz que desde sexta-feira estava afastado do processo, tendo o Banco de Portugal chamado a si a negociação.

“Aquilo que acabou por ser negociado com o Santander foi uma solução muito diferente da proposta”, afirmou, comentando a operação de resolução conhecida no domingo à noite que envolveu a injeção imediata de 2.255 milhões de euros – uma fatura que pode ultrapassar os três mil milhões para capitalizar o Banif na sua integração no Santander Totta, que pagou 150 milhões de euros pelo banco.

Não respondendo directamente à questão sobre se houve favorecimento à instituição espanhola, Jorge Tomé levantou dúvidas sobre a atuação do Banco de Portugal no processo, alegando que foram dadas condições para que o Santander escolhesse os ativos que queria comprar. “Escolheu os melhores” e “ao preço que quis”, afirma.

O ex-presidente do Banif acredita que a operação que ditou a venda do banco “desvalorizou o ativo”. “Uma coisa é vender um banco dentro da continuidade do negócio da operação, outra é vender ativos e passivos, sem concorrência”.

Jorge Tomé sugere mesmo que “deve ser feita uma auditoria à venda e à solução e comparar as diferenças“.

“Foi uma decisão completamente inesperada e o resultado foi desastroso. Soubemos através da comunicação social”, revelou Jorge Tomé, que explicou que “tinha sido aberto um concurso para a venda da posição do Estado no final de novembro, que seguiu o modelo com o apoio e desenho do BdP. Havia um prazo para entrega de propostas, 18 de novembro”.

Assim, se tivesse havido mais “três ou quatro dias para negociar com os quatro interessados, haveria uma proposta que evitaria a resolução”, garantiu.

O ex-presidente do Banif afirmou que esta solução – que prevê a transferência de ativos para a Naviget, uma sociedade criada para o efeito – servirá para recapitalizar o Fundo de Resolução.

“O efeito desta solução de passar ativos do antigo Banif para este veículo chamado Naviget ao preço a que estes ativos passaram, obviamente que num processo de venda estes ativos vão gerar mais-valias, gerando mais-valias, como esse ativo pertence ao fundo de resolução, é óbvio que o fundo de resolução vai ser capitalizado por essa via”, afirmou Jorge Tomé.

ZAP

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Falta de médicos leva IPO de Lisboa a adiar consulta de paciente com 90 anos para 2021

O Instituto Português de Oncologia (IPO) de Lisboa adiou a consulta de um paciente nonagenário que estava marcada para janeiro de 2020 para o ano seguinte, isto é, para janeiro de 2021 devido à falta …

Eis a Cybertruck, a "pickup" elétrica da Tesla que já tem bilhete para Marte

A Tesla lançou o seu modelo de carrinha "pickup" elétrica, Cybertruck, com uma autonomia máximo de 800 quilómetros. Musk diz que vai haver uma versão especial que será a carrinha oficial de Marte. Após uma longa …

Rio não responde a críticas de adversário. "Estou na Croácia, não estou no Montenegro"

O presidente do PSD seguiu a regra de não falar de política interna fora do país e só abriu uma exceção para falar da manifestação dos polícias. Depois do discurso que tinha feito no Congresso do …

Hospitais públicos têm mais de 650 milhões de euros de dívidas em atraso

As dívidas em atraso dos hospitais pertencentes ao Serviço Nacional de Saúde têm vindo a crescer desde o início do ano. Em setembro, o valor fixava-se nos 650 milhões de euros. Hospitais públicos acumulam 651,6 milhões …

Bolsonaro quer isentar polícias de punições por crimes cometidos em serviço

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse na quinta-feira que enviou ao Congresso Nacional um projeto de lei para isentar agentes das forças armadas e das polícias de eventuais punições criminais durante operações de segurança. De …

Dragões de Ouro. O "patinho feio" galardoado e o miúdo blindado a ouro

O FC Porto realizou esta quinta-feira a cerimónia anual de entrega dos Dragões de Ouro. O destaque foi para Marega, que recebeu o prémio de futebolista do ano. Fábio Silva venceu o prémio de revelação …

Forças Armadas vão passar a pagar rendas às Finanças

As Forças Armadas (FA) vão ter de pagar às Finanças uma renda pelos edifícios que usem e que sejam património do Estado. As FA estavam isentas desta obrigação desde 2012. As Forças Armadas perdem assim a …

Encontrados no Equador bebés enterrados com capacetes feitos de crânios humanos

Durante as escavações realizadas entre 2014 e 2016 em Salango, um sítio ritual na costa central do Equador, os arqueólogos encontraram dois bebés enterrados com capacetes feitos com crânios de outras crianças. Os investigadores descobriram dois …

Um mês depois das legislativas, Chega é o partido que mais cresce (e duplica intenção de voto)

O partido de André Ventura, o Chega, foi o que mais cresceu desde as eleições legislativas. Num mês, o partido duplicou as intenções de voto. De acordo com a sondagem da Aximage “Pós-eleitoral Novembro 2019”, realizada …

Líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, recusa convite para visitar Coreia do Sul

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un recusou na quinta-feira um convite de Seul para visitar a Coreia do Sul na próxima semana, a convite do chefe de Estado daquele país, Moon Jae-in. O convite …