Caso EDP: Ex-gestor suspeito de corrupção pede prescrição

António Cotrim / Lusa

A defesa de Miguel Barreto, ex-diretor-geral da Energia, entregou um requerimento a pedir a extinção do procedimento criminal pelo crime de corrupção passiva.

O antigo gestor é acusado de ter recebido cerca de 1,4 milhões de euros da EDP a troco de alegados benefícios concedidos à elétrica, escreve o jornal Observador.

Em junho de 2017, soube-se que o DCIAP estava a investigar a venda à EDP de 40% das ações de uma empresa de certificação energética que pertenciam ao ex-diretor-geral da Energia.

Em causa está uma licença ilimitada para a exploração da Central Térmica de Sines, que terá sido aprovada por Miguel Barreto em 2007, e estará avaliada em “várias centenas de milhões de euros”, mas terá sido concedida sem ter ficado definida qualquer contrapartida económica para o Estado.

Três anos depois da atribuição da licença, Miguel Barreto vendeu a participação na empresa Home Energy II, SA, fundada em 2008, à EDP por 1,4 milhões de euros.

Já em julho deste ano, Miguel Barreto foi interrogado como arguido por suspeitas de corrupção passiva, tráfico de influências e participação económica em negócio.

A defesa do ex-gestor alega que a prescrição do crime de corrupção passiva ocorreu em 2016. Segundo o Observador, os advogados invocam um acórdão do Tribunal Constitucional que já tinha sido usado pelo juiz Ivo Rosa para declarar prescritos todos os crimes de corrupção imputados a José Sócrates, Armando Vara e a outros arguidos na Operação Marquês.

O requerimento da defesa foi remetido precisamente para Ivo Rosa, além dos procuradores Carlos Casimiro e Hugo Neto.

A defesa de Barreto argumenta que os factos estarão prescritos porque “à data dos factos imputados a Miguel Barreto o crime de corrupção passiva para ato lícito tinha uma moldura de pena de prisão até dois anos ou com pena de multa até 240 dias”.

O Ministério Público imputa um alegado pacto criminoso a Miguel Barreto e a João Conceição alegadamente firmado em 2006. Como, à data, o prazo de prescrição era de cinco anos, a defesa entende que o procedimento criminal terá “prescrito em 2011”.

Mesmo no caso de crime de corrupção para ato ilícito, a prescrição do procedimento criminal teria acontecido em 2016.

“Em suma, deve, portanto, considerar-se como momento determinante da consumação do crime de corrupção passiva (e, por isso, também do início da contagem do respetivo prazo prescricional), o da solicitação ou aceitação da vantagem, ou da sua promessa, e não o dos eventuais atos lícitos ou ilícitos praticados em consequência ou concretização, nem o da sua efetiva entrega. Assim, se concluindo pela inevitável prescrição do procedimento criminal relativamente ao arguido”, lê-se no requerimento da defesa, citado pelo Observador.

Daniel Costa, ZAP //

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Ora aqui está para que serve a justiça portuguesa ou é para prescreverem os crimes ou para dar as habituais penas suspensas!
    Só mesmo com a justiça popular é que lá vamos pelos vistos, mas é para começar a limpar juízes!

  2. De facto algo vai mal, ou mesmo muito mal, neste reino de fantasias, onde não o rei, mas a justiça, vai nua e crua, saltando e divertindo-se mas não de inocência e nem de isenção!
    A justiça que nunca é justa nem boa quando tardia, compreende-se que humanamente leve mais algum tempo que a de um dia para o outro, mas nunca meses, ou mesmo anos! Isso nunca será justo, e nestes casos mais parece uma farsa!

RESPONDER

Portugal regista 677 novos casos de covid-19 e cinco mortes

Portugal registou, este domingo, 677 novos casos e cinco mortes na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, Portugal …

Estudo mostra como diferentes espécies de polvos coexistem no mesmo ambiente

Existem mais de 300 espécies de polvos a viver em diversos habitats que abrangem recifes de coral, leitos de ervas marinhas, planícies de areia e regiões de gelo polar. Mas de que forma cefalópodes tão …

As máquinas estão "muito longe" de serem mais inteligentes (mas muito perto de agir como pessoas)

A especialista em inteligência artificial Daniela Braga considera que as máquinas estão "muito longe" de substituírem totalmente os humanos ou serem mais inteligentes, mas estão "muito perto" de interagirem como as pessoas. "Acho que estamos muito …

Secreto e lucrativo, o mercado de venda de "fezes de cachalote" pode também ser violento

O âmbar cinza é altamente raro, mas também altamente valioso. Usada na indústria dos perfumes, o mercado deste material pode ser muito perigoso. Deixa na pele uma resina oleosa e tem um cheiro a tabaco, madeira, …

Empresa norueguesa garante que pode "parar" furacões antes que estes se tornam destrutivos

Especialistas ambientais advertem que o sistema de "cortina de bolhas" proposto pela empresa pode provocar efeitos indesejados. A OceanTherm, uma startup norueguesa, assegura que a sua nova tecnologia pode evitar que as tempestades tropicais se tornem …

Afeganistão: Familiares consideram "insuficientes" pedido de desculpas dos EUA

Familiares dos civis afegãos mortos por "engano" durante um ataque de um avião não tripulado 'drone' norte-americano no final de agosto em Cabul consideraram este sábado "insuficiente" o pedido de desculpas de Washington, numa entrevista …

Descoberta de pegadas fossilizadas em Espanha revela a existência de um "berçário" de elefantes

Pegadas fossilizadas foram encontradas numa praia no sul da Espanha e mostram o que pode ter sido o berçário de uma espécie extinta de elefantes. O local costeiro, situado na região de Huelva, estava normalmente coberto …

Morreu aos 98 anos o historiador, sociólogo e crítico de arte José-Augusto França

O historiador, sociólogo e crítico de arte José-Augusto França morreu este sábado, aos 98 anos, na casa de saúde de Jarzé, perto da cidade francesa de Angers, disse à Lusa a pintora Emília Nadal, sua …

Ventura: "Não vejo outra possibilidade senão a ministra da Saúde ou pedir desculpa ou ser afastada"

O Chega vai questionar formalmente o Governo pelo “facto de a ministra da Saúde ter utilizado um carro do Estado” para ir a uma ação de campanha no Porto na sexta-feira, anunciou este sábado André …

Ouvir 30 segundos de uma sonata de Mozart pode reduzir ataques de epilepsia

Ouvir a Sonata para Dois Pianos em Ré Maior (K448), de Wolfgang Amadeus Mozart, durante pelo menos 30 segundos, ajuda a reduzir a atividade elétrica cerebral associada à epilepsia resistente a medicação. Os resultados também sugerem …