/

Europa cada vez mais quente. Portugal é o país que menos aqueceu

2

José Sena Goulão / Lusa

As temperaturas médias registadas nas cidades europeias estão cada vez mais altas. No topo da lista dos aumentos encontram-se os países nórdicos e no fim da lista as cidades portuguesas.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Um estudo do Centro Europeu de Previsão do Tempo a Médio Prazo (ECMWF) analisou as temperaturas médias diárias registadas em 588 cidades de 1900 a 1999. Os dados foram recolhidos pela European Data Journalism Network.

Kiruna, na Suécia, é a cidade que mais aumentou a temperatura média em relação ao século passado (+3,4ºC). Portugal encontra-se no fundo da lista, com cinco cidades entre as que registaram menor aumento. Évora foi a cidade que registou um maior aumento de temperatura, cerca de +0,8ºC desde 1900.

A Suécia é o pais mais afetado, com cinco das suas cidades a figurarem no top10 das cidades onde a temperatura média mais subiu. A Finlândia é o 2º país mais afetado pelo aumento de calor. O país nórdico viu quatro das suas cidades a entrar no top10.

No extremo oposto do ranking, surge Portugal, com cinco das 12 cidades analisadas entre as que tiveram menor aumento de temperatura desde o século passado. Irlanda, Reino Unido, e o norte de Espanha completam o fundo da lista onde o último lugar pertence mesmo a uma cidade portuguesa: Ponta Delgada com um aumento de +0,1ºC.

Em Portugal, a maior subida de temperatura ocorreu em Évora (+0,8ºC), Lisboa (+0,7ºC) e Coimbra (+0,7ºC).

Beja (+0,6ºC), Vila Nova de Gaia (+0,6ºC), Funchal (+0,4ºC), Faro (+0,4ºC), Aveiro (+0,3ºC), Sintra (+0,2ºC), Matosinhos (+0,2ºC), Setúbal (+0,2ºC) e Ponta Delgada (+0,1ºC) são as outras cidades portuguesas alvo do estudo.

O estudo realizado pelo ECMWF permitiu ainda demonstrar o aumento do número de dias quentes por ano. Em média, este aumento foi de três dias na maioria das cidades.

Contudo, 18 locais registaram uma tendência oposta a esta. Dentro destas 18 cidades, surgem duas cidades portuguesas – Évora e Beja perderam dois dias quentes desde o século passado. Em conclusão, o estudo permite afirmar que, desde 1900, a temperatura média na Europa aumentou um grau.

Segundo a Sábado, depois dos recordes de temperatura atingidos em Portugal durante este ano, registaram-se mais 500 mortes do que é normal. Em 2003, outra onda de calor vitimou cerca de 70 mil pessoas.

Ao Público, João Camargo, mestre em Engenharia do Ambiente e Produção Animal e autor do Manual de Combate às Alterações Climáticas, considera “normal” as cidades portuguesas estarem no final da lista.

“A temperatura de partida já era superior e é normal que nas longitudes mais altas suba mais”, explica, acrescentando que a temperatura irá aumentar mais no “pólo Norte e no pólo Sul, porque são os locais onde o ponto de partida já era mais baixo“.

  ZAP //

2 Comments

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.