Estados Unidos impõem sanções contra agência espacial do Irão

Gage Skidmore / Flickr

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo

Os Estados Unidos impuseram hoje pela primeira vez sanções à agência espacial do Irão, acusando-a de desenvolver mísseis balísticos sob a cobertura de um programa civil para lançar satélites em órbita.

“A tentativa iraniana de disparar um lançador espacial em 29 de agosto sublinha a urgência da ameaça”, declarou o chefe da diplomacia norte-americana, Mike Pompeo, num comunicado.

Anunciadas pelos departamentos de Estado e do Tesouro contra a agência e duas das suas afiliadas, estas sanções sujeitam empresas e governos estrangeiros, incluindo organizações internacionais de cooperação espacial, a penalizações por qualquer ligação e congelam os bens dos sancionados em território norte-americano.

As sanções fazem parte da campanha da administração do Presidente norte-americana, Donald Trump, de medidas económicas e diplomáticas contra o Irão desde que o ano passado se retirou unilateralmente do acordo internacional de 2015 que visava restringir o programa nuclear da República Islâmica.

O Irão estará a preparar o lançamento para o espaço de um satélite de comunicação, o Nahid-1.

Os Estados Unidos alegam que tais lançamentos desafiam uma resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas apelando ao Irão para não realizar atividades relacionadas com mísseis balísticos capazes de transportar armas nucleares.

As sanções ocorrem numa altura em que a França tenta uma mediação entre o Irão e os Estados Unidos para fazer descer a tensão.

No final de agosto, o chefe de Estado francês, Emmanuel Macron, e Donald Trump admitiram a possibilidade de um encontro entre o Presidente norte-americano e o seu homólogo iraniano, Hassan Rohani, à margem da Assembleia-Geral da ONU, que decorre este mês em Nova Iorque.

Rohani rejeitou hoje manter negociações bilaterais com os Estados Unidos e disse que, caso Washington levante as sanções, apenas aceita um diálogo multilateral com os países que assinaram o acordo nuclear com Teerão em 2015.

O pacto foi assinado entre o Irão e os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (Estados Unidos, França, Reino Unido, Rússia e China), mais a Alemanha, e previa o levantamento de sanções internacionais em troca de limitações e maior vigilância do programa nuclear iraniano.

Um ano após o anúncio da decisão norte-americana de abandonar o acordo, o Irão declarou que não se sentia obrigado a continuar a respeitar alguns dos seus compromissos no pacto enquanto os restantes signatários não conseguissem ajudá-lo a contornar as sanções dos Estados Unidos.

Hassan Rohani ameaçou hoje reduzir ainda mais os seus compromissos em matéria nuclear “nos próximos dias” se as negociações com os países europeus envolvidos no acordo nuclear não alcançarem resultados.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Rio alerta para "claro divórcio entre a sociedade portuguesa e os partidos políticos"

O presidente do PSD, Rui Rio, disse ontem, em Paredes, no distrito do Porto, haver "um divórcio entre a sociedade e os partidos", defendendo que só uma maior "abertura" das estruturas às "pessoas" pode inverter …

Megaoperação de combate à pedofilia detém mais de 30 pessoas

Mais de 30 pessoas foram detidas em onze países no âmbito de uma megaoperação de combate à pornografia infantil realizada pela Europol e pela polícia nacional de Espanha, país onde foram presos mais de metade …

Grandes hotéis acusados de ignorar tráfico sexual. Queixa em grupo relata casos de 13 mulheres

Uma ação judicial deu entrada segunda-feira em Columbus, Ohio, nos Estados Unidos (EUA), com vários grandes grupos hoteleiros a serem acusados de lucrar com o tráfico sexual, ignorando os crimes e os danos nas vítimas. Segundo …

Líder da Birmânia, Suu Kyi, vai a Haia defender o país de acusação de genocídio

A líder birmanesa Aung San Suu Kyi decidiu comparecer perante o Tribunal Internacional de Justiça (TIJ) para defender o seu país da acusação de genocídio contra a minoria muçulmana rohingya, durante uma audiência de três …

Impeachment. Democratas preparam-se para avançar com duas acusações formais contra Trump

Os democratas estarão a planear apresentar esta terça-feira dois artigos de impeachment que acusam Donald Trump de abuso de poder e obstrução do Congresso. De acordo com o jornal norte-americano The New York Times, o Comité …

Esquema de venda de droga na darkweb. Fortuna em bitcoins fica nas mãos do Estado

Pedro e Rita vendiam droga para todo o mundo na darkweb. Agora, a fortuna em bitcoins acabou por ficar nas mãos do Estado. Pedro, um engenheiro informático, e Rita, uma web designer, montaram um esquema para …

CDS e PAN querem regime protetor do denunciante no combate à corrupção

CDS e PAN vão apresentar propostas no combate à corrupção que tem sido discutido desde segunda-feira. Os partidos querem um regime protetor do denunciante. Numa iniciativa de combate à corrupção, o CDS e o PAN vão …

Morreu Marie Fredriksson, vocalista dos Roxette

A cantora sueca Marie Fredriksson, dos Roxette, morreu segunda-feira aos 61 anos, anunciou esta terça-feira a sua manager em comunicado. Marie Fredriksson, vocalista e co-fundadora da banda Roxette, faleceu esta segunda-feira, aos 61 anos. A morte …

Taxa de sucesso no ensino profissional atinge os 63%. É o valor mais alto de sempre

No ano letivo de 2017/2018, 63% dos alunos inscritos no ensino profissional concluíram os seus cursos no tempo previsto, mais dez pontos percentuais do que quatro anos antes, avança o jornal Público. De acordo com um …

Regra para filhos de pais separados em casas alternadas divide partidos

A lei já prevê que os filhos de pais separados possam ficar em residência alternada se o tribunal assim o decidir. Porém, as regras não são claras e vai ser discutida a melhor forma de …