EUA. Governo separa famílias de imigrantes ilegais e envia as crianças para antiga base militar

Twitter

Fort Sill abrigou cerca de 120 mil nipo-americanos. Agora, serão mantidas 1.400 crianças migrantes separadas dos pais

O internamento de nipo-americanos durante a Segunda Guerra Mundial sempre permaneceu uma mancha terrível nos livros de história dos Estados Unidos (EUA). Cerca 120 mil pessoas foram mantidas à força em várias dessas instalações entre 1942 e 1946, quando o país estava em guerra com o Japão.

Uma das mais infames bases militares utilizadas para esse “propósito escandaloso, paranóico e desumano”, segundo um artigo do All That’s Interesting (ATI), foi Fort Sill. Localizada a sudoeste da cidade de Oklahoma, esta base do Exército, com 150 anos, está agora pronta para ser reintegrada como um abrigo para o crescente número de imigrantes que entram ilegalmente nos EUA.

A Administração Trump escolheu oficialmente a base para ser usada como campo de internamento de 1.400 das 40.900 crianças detidas pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos até 30 de abril deste ano. O plano estabelecido é mantê-las nesse local até que as mesmas possam se reunir com um familiar adulto.

Enquanto a agência responsável alegou que a base será apenas usada “como um abrigo temporário de emergência”, os críticos da Administração Trump são céticos em acreditar nesta como uma solução de curto prazo, temendo que práticas como essa sejam de natureza mais permanente.

A declaração emitida pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos confundiu os especialistas, ao informar que já operam cerca de 168 instalações semelhantes em 23 estados do país.

A quantidade de imigrantes detidos registou um aumento alarmante de 57% em relação ao ano passado. Enquanto 2016 ainda mantém o recorde de todos os tempos, com 59.171 menores sob custódia, este ano o mesmo está a caminho de ser superado.

Segundo o ATI, embora essa prática “aparentemente nova e fascista” tenha chocado e enfurecido cidadãos em todo o país, o governo dos EUA tem estado envolvido na separação de crianças migrantes dos seus pais já há algum tempo.

A Administração Obama colocou quase oito mil crianças em várias bases em todo o Texas, Califórnia e Oklahoma em 2014 – incluindo a Fort Sill. Contudo, os números por si só certamente diferenciam uma administração da outra.

O Departamento de Saúde e Serviços Humanos disse que analisou outras duas bases militares antes de se estabelecer em Fort Sill. Em 2018, o Governo verificou numerosas instalações para abrigar imigrantes, mas decidiu não usá-las. No entanto, “tudo mudou muito rapidamente”, referiu o ATI.

De acordo com o Hill, a descrição de Fort Sill feita por prisioneiros japoneses na década de 1940 incluía torres de vigilância “equipadas com metralhadoras de 30 calibres, espingardas e holofotes”.

“Embora as condições que essas crianças migrantes experimentem possam ter um ou dois desses elementos, ser separado das suas famílias e trancado dentro de gaiolas pelo governo dos EUA é certamente uma experiência angustiante e traumática que nenhuma criança deveria sofrer”, lê-se no artigo.

No entanto, o Departamento de Saúde e Serviços Humanos garantiu que as crianças serão separadas da população geral do campo de internamento, e que serão supervisionadas pelos seus funcionários – e não por militares dos EUA.

“A visão geral dessa situação não é bonita”, notou o ATI, acrescentando que a Administração Trump “deixou bem claro que vê a imigração ilegal como uma das questões mais perigosas do seu reinado”, embora a detenção de crianças na fronteira esteja a atingir altos recordes. Várias já morreram como resultado de detenção forçada nos EUA.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Netflix retira imagens de suicídio de "13 Reasons Why"

A Netflix modificou o episódio da série "13 Reasons Why" onde apareciam imagens do suicídio da protagonista Hannah Baker (Katherine Langford), passando agora essa parte da ação a ocorrer de forma totalmente oculta para os …

Belinda Sharpe é a primeira árbitra do râguebi australiano em 111 anos

Belinda Sharpe vai tornar-se na primeira árbitra de campo na história de 111 anos da liga profissional de râguebi na Austrália, quando dirigir um jogo do campeonato agendado para quinta-feira. A Liga Nacional de Râguebi (NRL) …

Os chimpanzés não têm noção de justiça e aceitam desigualdades

Os chimpanzés carecem da noção de justiça e aceitam a desigualdade na repartição de comida ou materiais, segundo a investigadora Nereida Bueno. A cientista, da Universidade Pontificia de Camillas, que participou num estudo publicado esta semana …

Descartar drogas pelo esgoto pode criar "meta-caimões" nos Estados Unidos

O Departamento da Polícia de Loretto, no estado norte-americano do Tennessee, alertou este sábado para os perigos associados à eliminação de narcóticos através das canalizações das casas de banho. Numa publicação na página oficial de Facebook, …

Descoberta nova via terapêutica para tratar o Alzheimer

Um grupo de cientistas descobriu uma nova via terapêutica para tratamento do Alzheimer, que segundo os investigadores cria “alguma esperança” para travar o desenvolvimento da doença em estágios mais iniciais. O projeto, cujas conclusões foram publicadas …

Exército de carraças está a dizimar vacas (e pode chegar aos humanos)

Uma espécie invasiva de carraças já dizimou um quinto da população de vacas na Carolina do Norte. Os cientistas temem que o próximo alvo podem ser os humanos. A espécie de carraça Haemaphysalis longicornis tem feito …

Ucrânia aprova castração química para pedófilos

Na Ucrânia, será administrada uma injeção que reduz o libido aos pedófilos. A legislação vai aplicar-se a homens com idades entre os 18 e os 65 anos que forem considerados culpados de violação ou abuso …

Em vez de desaparecer, ilhas do Pacífico poderão mudar de forma

Países insulares como Tuvalu, Toquelau e Kiribati passam o nível do mar em poucos metros. Estes são Estados considerados vulneráveis ao aquecimento climático do planeta e as populações acreditam que podem desaparecer com a subida …

Morreu o pugilista Pernell Whitaker. O campeão olímpico foi vítima de atropelamento

O pugilista norte-americano Pernell Whitaker morreu atropelado este domingo em Virginia Beach, aos 55 anos. O atleta foi atingido mortalmente quando atravessava a estrada num cruzamento, durante a noite. Num comunicado enviado ao Guardian, o Departamento …

Eis a primeira aterragem autónoma de um avião tripulado

Uma equipa de cientistas alemã criou um sistema que permite à aeronave aterrar autonomamente em qualquer pista, sem nenhum tipo de apoio humano. Enquanto a indústria automóvel tem andado léguas no que toca a inovação em …