/

Estónia torna-se o único país do mundo a ser liderado por mulheres eleitas

5

(dr) Estonian President’s Office

A Presidente da Estónia, Kersti Kaljulaid, com a nova primeira-ministra, Kaja Kallas

A Estónia tornou-se, esta terça-feira, o único país do mundo a ser liderado por mulheres, depois da confirmação de Kaja Kallas para primeira-ministra.

Kaja Kallas, líder do Partido Reformista Estónio, foi nomeada primeira-ministra, a 14 de janeiro, depois do seu antecessor, Juri Ratas, ter deixado o cargo devido a um escândalo de corrupção. Esta terça-feira, a também ex-eurodeputada tomou posse.

É a primeira mulher a ser eleita primeira-ministra neste país, um feito que também já tinha sido alcançado por Kersti Kaljulaid, mas na Presidência. A chefe de Estado está no cargo desde 2016.

Perante estes feitos, avança a magazine online Estonian World, a Estónia converteu-se no único país do mundo a ser liderado por duas mulheres eleitas. E sim, “eleitas” é a palavra-chave neste caso, porque já existem outros três países onde tanto o cargo de chefe de Estado como o de primeiro-ministro são ocupados por mulheres.

Estamos a falar da Nova Zelândia e de Barbados, onde Jacinda Ardern e Mia Mottley servem como primeiras-ministras, respetivamente, e que, como países da Commonwealth, têm a Rainha Isabel II como soberana. O terceiro caso é a Dinamarca: Mette Frederiksen é a chefe do Governo e a Rainha Margarida II lidera o país.

Além disso, o novo Governo estónio também se destaca pela representatividade feminina. Além de Kallas, é composto por sete ministras (o que representa 46,7% do Executivo), um recorde para o país até agora.

Keit Pentus-Rosimannus assume a pasta das Finanças, Signe Riisalo a Proteção Social, Maris Lauri a Justiça, Eva-Maria Liimets os Negócios Estrangeiros, Liina Kersna a Educação e a Investigação e, por fim, Anneli Ott fica com a pasta da Cultura.

Segundo a mesma publicação, a Estónia não é o primeiro país do mundo a ter simultaneamente uma Presidente e uma primeira-ministra mulheres. Durante a Presidência de Tarja Halonen, na Finlândia, entre 2000 e 2012, o país teve duas mulheres como chefes de Governo: Anneli Jäätteenmäki (2003) e Mari Kiviniemi (2010-2011).

O Sri Lanka também já teve uma Presidente e uma primeira-ministra em simultâneo: Chandrika Kumaratunga (1994-2005) e Sirimavo Bandaranaike (1994-2000). No entanto, neste país asiático, o cargo de Presidente inclui a chefia de Estado e de Governo, enquanto o primeiro-ministro é o chamado vice-chefe do Governo.

  Filipa Mesquita, ZAP //

 

 

5 Comments

  1. Interessante, duas mulheres com nomes iniciados pela mesma consoante. KK Presidente e KK primeira-ministra. As risadas consoanatais. Sete ministras e sete destinos, mas, sem os sete pecados capitais. Tudo no Báltico com suas águas tranquilas. A Estônia não fala PANDEMIA. Riga continua firme desfilando suas pulseiras de âmbar, mulheres loiras e charmosas. O eleitorado masculino fica a invejar a retidão feminina no trato dos recursos públicos. Corrupção, jamais! É o que pensa [email protected]

      • “de mal a pior”: Esqueceu-se de “continuafirme”!? Então, deixa escapar uma gralha desse tamanho?? Há que não deixar uma vírgula para trás! E quem lhe disse que Estônia está mal escrito? Para a Wikipédia está correcto!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.