Estivadores revoltados com fura-greves que chegaram de lancha

Greve dos Estivadores no Porto de Lisboa

Os estivadores mantêm-se em greve e a PSP foi, pelo segundo dia consecutivo, chamada ao Porto de Lisboa para controlar os ânimos, aquando da retirada de contentores por “fura-greves” que terão chegado de lancha, para evitarem o piquete de greve.

A retirada de contentores, que começou na terça-feira, em Alcântara, com o intuito de reduzir os prejuízos da paralisação dos estivadores, que dura desde o passado 20 de Abril, prossegue, nesta quarta-feira, no terminal da Sotagus, em Xabregas.

A Renascença salienta que foram destacadas para o local quatro equipas de intervenção rápida e de agentes da PSP da divisão de trânsito, para controlar os ânimos das dezenas de estivadores do piquete de greve que estão revoltados com “a eventual” presença de trabalhadores da “‘pool’ alternativa” em laboração junto aos contentores.

“Nós não conseguimos identificar os trabalhadores porque a polícia não nos permite proceder à identificação”, salienta Sérgio Sousa, do Sindicato dos Estivadores, presente no local.

Estes trabalhadores que estão a retirar os contentores chegaram ao cais por via marítima, numa “lancha pública”, conforme refere o presidente do Sindicato dos Estivadores, António Mariano.

“Temos informações de que esses elementos entraram no terminal com os meios, presumo eu, da Administração do Porto de Lisboa, que introduziu os ‘fura greves’ no terminal por via marítima, com uma lancha pública, quando isto é um serviço privado. As forças de segurança recusam-se a identificar os elementos que estão a trabalhar. Podem estar lá dentro terroristas a trabalhar, mas ninguém vai saber”, destaca António Mariano.

O sindicalista também lamenta que a presença da PSP é “mais uma demonstração de força” que visa “intimidar” os trabalhadores que se junta ao anúncio do despedimento colectivo.

“Isto é coação no decorrer de uma acção de greve, tal como é a tentativa de criar aqui um ‘terror psicológico’ nos estivadores”, salienta António Mariano, acrescentando que “é abusivo e ilegal” tudo o que se está a passar neste caso.

“As forças de segurança estão ao serviço de um grupo económico turco para furar a greve dos estivadores portugueses. Alguém que tire as conclusões que quiser”, nota por fim o presidente do Sindicato, referindo-se ao grupo turco Ylport.

Entretanto, a ministra do Mar, Ana Paula Figueiredo, já veio lamentar que a greve tem um prejuízo diário de 100 mil euros, lamentando que põe em causa a “sustentabilidade do Porto de Lisboa” e que “afecta a economia nacional”.

Em sentido contrário, o Bloco de Esquerda defende a luta dos estivadores e Catarina Martins já disse que o governo tem que pôr os patrões dos estivadores na ordem.

“Julgo que é preciso intervenção do Governo. É preciso pôr as empresas e patrões do trabalho portuário na ordem porque, basicamente, o que querem é poder contratar pessoas ao dia”, afirmou a líder bloquista.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

13 COMENTÁRIOS

  1. “O sindicalista também lamenta que a presença da PSP é “mais uma demonstração de força” que visa “intimidar” os trabalhadores que…”
    E o piquete não é também uma demonstração de força que visa “intimidar” os trabalhadores que querem/precisam de trabalhar?
    Onde está a vossa lógica?

  2. …é a tentativa de criar aqui um ‘terror psicológico’ nos estivadores”, salienta António Mariano

    Coitadinhos, até fazem xixi na cama de noite… chatice… levem as mamãs para os proteger!

  3. Espero que a greve continue. Neste momento já não existe movimentos de navios, desta forma fechamos o porto de forma definitivamente e os srs. estivadores podem ir trabalhar para qualquer outro lado, ou pedir subsídios de integração social à Catarina Martins, ou ao sindicato. Que linda margina passava a existir em Lisboa, desde a Expo até Belém. Com umas esplanadas e uns hotéis ficava uma maravilha, e até se criava postos de trabalho para os estivadores, Não nos podemos esquecer também das ciclovias de preferência no meio da estrada, para empatar o transito.
    Mas para quem efetivamente esta interessado neste tema, sugiro que analisem os tempos e os custos que tem descarregar/carregar um navio no porto de Lisboa e no porto de Amesterdão e tirem as vossas conclusões

  4. Coitadinhos dos estivadores. Tanta gente a querer trabalhar e este artistas comandados pelos comunas a derreter a economia dum país. Até onde iremos chegar, será como a Venezuela?????

  5. Estes estivadores que estão a causar tanto prejuízo ao país deviam ser todos despedidos e substituídos por gente nova que queira trabalhar. E os sindicalistas que os comandam deviam ir para a Coreia do Norte, que é um dos poucos lugares onde o comunismo ainda sobrevive.

  6. Esta profissão(estivador) tem como ato a estivagem, que agora mais parece estivação, e cito a wikipedia para uma descrição adequada ao momento a este sindicato e ao governo.

    -“A estivação, também conhecida como “a dormência”, é um comportamento de certas espécies quando frente a determinadas adversidades ambientais. No que diz respeito aos peixes pulmonados, resulta quase sempre de uma proteção contra o secamento temporário dos habitats, com a passagem para o estado de dormência ou quiescência sem perda da vitalidade.

    O comportamento também é muito comum em anuros de regiões áridas, esses animais passam cerca de 9 a 10 meses do ano estivando, em estado de baixo metabolismo aguardando a época das chuvas em que eles podem se alimentar e reproduzir. Portanto, é o estado de latência com redução sensível no metabolismo e na temperatura corporal durante o verão, apresentado por animais homeotérmicos.

    Com o retorno de condições favoráveis, os indivíduos estivados são capazes de retornar as atividades normais.

  7. O que esperavam os estivadores?!!!! Os prejuízos causados ao país são tantos, que o governo já devia ter tomado posição….. quem quisesse trabalhar, tinha 24 horas para o fazer, quem não quisesse, rua de imediato!. Democracia de merda, já estamos nós fartos!!!

  8. Nunca fui a favor de greves, mas neste caso os estivadores têm toda a razão. A comunicação social, em vez de criar este espectáculo sensacionalista e deprimente, deveria cumprir com a sua obrigação, que era explicar aos portugueses o porquê desta greve. Tenho a certeza, que qualquer dos comentadores que vieram aqui destilar veneno, se a sua entidade patronal chegasse ao pé deles e os obrigasse a rescindir um contrato e assinar outro que não é mais do que trabalhar ao dia (assinar hoje, ser despedido amanhã, assinar na proxima semana, ser demitido na semana seguinte), ninguém ficaria satisfeito. As pessoas não são números. Haja respeito pelo ser humano.

  9. Despedimento colectivo para a semana, demasiado tarde! Tendo em consideração os prejuízos causados ao país e às empresas já deveria ter sido e limpar de lá toda a comunada que se imagina dona do país e pretende impor a ditadura comunista.

  10. È engraçado como muita gente fala acerca de pessoas que estão a lutar para o prato da sopa. Infelizmente muita genta ainda vive no tempo da guerra fria sonham com democracia!!! governos estupidos povo ignorate .Preocupados com economia!! Vejamos o valor deste comparado com o que ja foi injetado em bancos ,PPPs, capitais depositados fora (pingo doce,belmiro,amorim etc.).

RESPONDER

DiCaprio explica como reverter a crise climática

Ice on Fire é um documentário HBO produzido e narrado pelo ator norte-americano Leonardo DiCaprio que retrata a atual crise climática. A grande produção foi discutida esta segunda-feira em Lisboa, onde se falou do contexto …

Descoberto fóssil de macaco que viveu há 4,2 milhões de anos no Quénia

Uma equipa internacional de investigadores descobriu restos fósseis de um pequeno macaco que viveu no Quénia há 4,2 milhões de anos. Os responsáveis pela investigação, que será publicada na revista Journal of Human Evolution, são cientistas …

Air France acusada de negligência no desastre do voo Rio de Janeiro-Paris

A justiça francesa acusou a Air France de negligência, na sequência da investigação ao acidente aéreo do voo Rio de Janeiro-Paris, que causou 228 mortos em 2009, confirmou esta quarta-feira a AFP. O Ministério Público considerou …

Governo "está preparado” para eventual greve dos camionistas

O ministro do Trabalho, Vieira da Silva, disse esta quarta-feira que “não perdeu as esperanças no esforço de conversação” com os representantes dos camionistas, mas garantiu que “o Governo está preparado para o que vier …

Carga misteriosa e contradições nos passageiros. Revelados novos dados sobre o MH370

A França é o único país que continua a investigar o desaparecimento do voo MH370 da Malaysia Airlines em Março de 2014. E emergem novos dados sobre o que apuraram os magistrados envolvidos no caso, …

Foi avistada uma alforreca gigante no Reino Unido

A alforreca gigante, a maior alguma vez encontrada em águas britânicas, foi avistada na Cornualha, no Reino Unido, no sábado, por uma bióloga e repórter da BBC. Segundo o Washington Post, a criatura foi avistada, no …

Montepio condenado a ressarcir cliente que culpou de ataque informático

O Tribunal da Relação de Guimarães condenou o banco Montepio a pagar a uma cliente de Barcelos os 28.596 euros que em quatro dias foram retirados da sua conta, na sequência de ataque informático. Por acórdão …

Crew Dragon. Já se sabe o que causou a misteriosa explosão da nave da SpaceX

A NASA e a SpaceX explicaram, finalmente, o motivo da explosão da nave espacial Crew Dragon. Apesar de terem sido divulgadas imagens da explosão, nenhuma das agências explicou as razões do desastre. As imagens da nave …

Turistas britânicos encorajados a afixar cartazes de Maddie durante as férias

Turistas britânicos com viagens marcadas para o estrangeiro estão a ser encorajados a levar cartazes de Madeleine McCann pela campanha oficial lançada pelos pais para encontrar a criança inglesa desaparecida em Portugal em 2007. “Vai de …

Crianças preferem ser YouTubers do que astronautas

A maioria das crianças entrevistadas prefere mais ser YouTuber do que ser astronauta. De uma lista de cinco profissões, a de cosmonauta foi a menos escolhida entre crianças americanas e britânicas. Há 50 anos, a ida …