Estado perde rasto a candidatas a asilo. Há 33 mulheres em fuga

Mário Cruz / Lusa

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita

Cerca de trinta e três mulheres requerentes de asilo a Portugal fugiram ao controlo do Conselho Português para os Refugiados (CPR) entre dezembro de 2020 e janeiro deste ano. O Estado não sabe do seu paradeiro.

A diretora do CPR já expressou a preocupação ao Governo, mas o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) acredita que a possível existência de redes organizadas de tráfico de seres humanos pode estar por trás destas fugas ao Estado.

Depois de Ihor Homenyuk ter sido assassinado em março de 2020 por três inspetores do SEF, no Espaço Equiparado a Centro de Instalação Temporária do Aeroporto de Lisboa, houve uma alteração na lei de asilo em julho do mesmo ano.

Eduardo Cabrita, Ministro da Administração Interna, ordenou que estes espaços deixariam de ser usados para a detenção temporária de requerentes de asilo a Portugal, devendo apenas albergar os refugiados em espera por voos de regresso aos países de origem. A tarefa de vigilância dos requerentes de asilo passou a estar entregue ao CPR.

No entanto, segundo um email dirigido ao Governo pela presidente deste conselho, Mónica Farinha, ao qual o Correio da Manhã teve acesso, está a ser registado um aumento dos abandonos voluntários de estrangeiros dos espaços à guarda ou escolhidos pelo CPR.

Assim, em dezembro de 2020 foram acolhidas 31 mulheres que aguardavam pela apreciação dos respetivos pedidos de asilo, tendo 19 escapado à vigilância. Até ao dia 20 deste mês, o número de pedidos de asilo em análise foi de 22, com 14 mulheres a escaparem.

Mónica Farinha sublinha que o CPR reparou em contactos feitos por estas mulheres no período em que se mantiveram sob tutela. O que faz despertar a desconfiança sobre a existência de redes organizadas que as poderão estar a influenciar e direcionar para outros locais, avança o CM.

As requerentes a asilo cujo paradeiro se desconhece são provenientes de países como Guiné-Bissau, Camarões, Comores, Gâmbia, Senegal, Marrocos e Angola.

O SEF explicou que o procedimento que um requerente de asilo efetua ao chegar ao País é acautelado através da consulta a bases de dados de controlo de fronteiras.

A fonte oficial acrescentou que, em nenhum momento, “estes requerentes de asilo se encontram sob detenção quando lhes é solicitado que procurem abrigo em instalações indicadas pelo CPR”.

José Luís Barão, diretor nacional adjunto do SEF, remeteu internamente o aviso de Mónica Farinha.

O responsável realça que “a situação de não haver instalações nos aeroportos, para retenção de refugiados, deve merecer atenção em termos de análise de risco para a segurança nacional e da União Europeia”, apelando ao regresso da instalação em regime fechado de requerentes de asilo.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Como se vê o cabrito resolveu o problema, agora não morre ninguém e assim todos podem entrar, Era o que queria a candidata dos lábios vermelhos

  2. “…fugiram ao controlo do Conselho Português para os Refugiados (CPR)…” a minha versão diz : …fugiram ao descontrolo do Conselho Português para os Refugiados (CPR)…
    Será que sou eu que estou a ler mal?

RESPONDER

Já pode "adotar" um pedaço de Notre-Dame para ajudar na sua reconstrução

Uma organização está a dar a oportunidade de o público ajudar na reconstrução de artefactos específicos da catedral de Notre-Dame, em França, que foi parcialmente destruída por um incêndio em 2019. De acordo com a cadeia …

Proporção divina identificada na gerbera

Descobrir como se formam os padrões distintos e omnipresentes das cabeças das flores tem intrigado os cientistas há séculos. Quando se pede a alguém que desenhe um girassol, quase todas as pessoas desenham um grande círculo …

Audi apresenta o novo Q4 e-tron que traz uma autonomia até 520 km

Ainda antes do verão, a Audi vai colocar no mercado o seu primeiro SUV elétrico concebido de raiz e não adaptado a partir de uma plataforma concebida para motores a combustão. O Q4 e-tron destaca-se pela …

Vanuatu em alerta depois de um corpo com covid-19 ter dado à costa

Vanuatu proibiu viagens de e para a sua principal ilha três dias depois de ter dado à costa um corpo de um pescador filipino, que testou positivo à covid-19. De acordo com a Radio New Zealand, …

Cientistas russos querem criar a primeira vacina comestível contra a covid-19

O Instituto de Medicina Experimental de São Petersburgo, na Rússia, anunciou o seu plano de concluir dentro de um ano os testes pré-clínicos da primeira vacina comestível do mundo contra o novo coronavírus. Em entrevista à …

Em plena crise política, o país mais pobre das Américas ainda não recebeu nenhuma vacina

Numa altura em que a maior parte dos países já têm o processo de vacinação a decorrer, o governo do Haiti ainda não garantiu uma única dose da vacina contra o coronavírus. O país mais pobre …

Afinal, Leonardo da Vinci não esculpiu o busto de Flora

Está terminada a controvérsia que durou mais de cem anos após a aquisição do Busto de Flora em 1909, por Wilhelm von Bode. A datação por radiocarbono revelou, recentemente, que a obra não foi …

Crise climática "implacável" intensificou-se em 2020, diz relatório da ONU

Houve uma intensificação "implacável" da crise climática em 2020, com a queda temporária nas emissões de carbono devido ao confinamento a ter um impacto pouco significativo nas concentrações de gases de efeito de estufa, revelou …

Já se sabe o que causou a misteriosa "tempestade de asma", que vitimou dez pessoas em 2016

Em 2016, na cidade de Melbourne, aconteceu o evento de "tempestade de asma" mais grave do mundo. Os cientistas descobriram agora o culpado. No dia 21 de novembro de 2016, as urgências de um hospital em …

Carlos César reivindica papel do PS na construção da democracia e no combate à corrupção

O presidente do PS defendeu, esta segunda-feira, que se deveu ao seu partido o aprofundamento da democracia e os avanços no combate à corrupção, embora admitindo desvios", "erros" e "omissões num ou outro momento da …