Especialista critica “desleixo enorme” de Portugal na gestão da água com Espanha

(cv) Universidade de Lisboa

A socióloga Luisa Schmidt, investigadora principal do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa

Luísa Schmidt, especialista em Sociologia do Ambiente, critica o “desleixo enorme” de Portugal na gestão dos rios com Espanha, a decisão de acabar com as administrações de regiões hidrográficas e afirma ser necessário poupar água.

A socióloga Luísa Schmidt afirma que há um problema grave de desordenamento de território, que este ano “ficou à vista com os incêndios e com a desertificação e seca no país”. A especialista afirma que Portugal não consegue criar um modelo de desenvolvimento que “seja sustentável e que permita acautelar as questões ambientais”.

Em entrevista à Renascença, a investigadora do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa afirma que houve um grande descuido por parte de Portugal, “porque nós devíamos ter acompanhado muito mais de perto a Convenção de Albufeira” de gestão comum das águas fluviais.

Luísa Schmidt afirma, ainda, não haver informação suficiente sobre a quantidade e qualidade da água que passa na fronteira. “Isto é um desleixo enorme da parte portuguesa”, lamenta a investigadora do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa.

Esta semana, no workshop “Gestão da água nos rios internacionais: novos desafios e oportunidades”, no Porto, o ministro do Ambiente garantiu que Espanha cumpriu a Convenção de Albufeira.

João Pedro Matos Fernandes explicou que, no que diz respeito ao Guadiana e ao Douro, Espanha cumpriu a 100% os parâmetros, enquanto no Tejo, onde há obrigações de caudais semanais, trimestrais e anuais, houve “uma única” semana, na qual o débito da água não foi o esperado, devido a obras numa barragem, tendo sido “compensado largamente” na semana seguinte.

Em relação à decisão de acabar com as administrações de regiões hidrográficas, tomada em 2011 pela então ministra do Ambiente Assunção Cristas, Luísa Schmidt diz ter sido “um erro muito grande“.

“Acabaram com as administrações de regiões hidrográficas que faziam e ainda fazem todo o sentido, porque são formas de gerir o recurso água através dos rios, têm uma preocupação que vai desde a fonte até à foz e o cuidado de todo o rio ao longo do seu curso. Eram uma espécie de ‘Ovo de Colombo’ que existe em Espanha, em França, e que funcionam”, refere a especialista.

Sendo a água um recurso cada vez mais escasso, a investigadora defende que o nosso país terá de mudar e a aproveitar a água que ainda resta. Para isso, Luísa Schmidt diz ser necessário criar uma agricultura que seja menos gastadora de água, já que em Portugal e Espanha, 75% da água é usada na agricultura.

“Por outro lado, é preciso acautelar muito as bacias hidrográficas e pouparmos água em muitas coisas. Em alguns sítios do país, como o Alentejo, Lisboa ou Algarve, não faz sentido nenhum regar relvados com água de consumo”, conclui.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

    • acabou com as administrações de regiões hidrográficas e acabou muito bem. Nada faziam. Alguém já devia ter acabado com aquilo antes. São necessárias estruturas para administrar o recurso água mas têm de ser entidades sérias, com pessoas competentes e não a vergonha das administrações de regiões hidrográficas que tínhamos, apenas comparáveis às entidades gestoras dos parques naturais. Parabéns Cristas!

RESPONDER

"DeepNude". Inteligência Artificial "tirou a roupa" a mulheres nas redes sociais

A empresa de informação Sensity alertou que mais de 100 mil imagens foram carregadas para um canal de Telegram onde um bot "tirou a roupa" de mulheres. A empresa de segurança Sensity revelou recentemente que existe …

Poluição atmosférica "custa" a cada citadino europeu 1.276 euros por ano

A poluição atmosférica "custa" 1.276 euros por ano a cada cidadão europeu residente em cidades, de acordo com um estudo da Aliança Europeia de Saúde Pública (EPHA) divulgado esta quarta-feira. O estudo chegou ao valor médio …

"Emergência arqueológica". O degelo dos Alpes está a "libertar" artefactos escondidos há milhares de anos

As alterações climáticas podem estar a ajudar os arqueólogos a encontrar artefactos escondidos nos glaciares do Alpes há milhares de anos. O derretimento dos glaciares dos Alpes está a "liberta" objetos que permaneceram congelados no tempo …

Thermite RS3 é o primeiro robô de combate a incêndios dos EUA (e está pronto a entrar ao serviço)

O Corpo de Bombeiros de Los Angeles, nos Estados Unidos, deu as boas-vindas ao mais recente membro da equipa: um bombeiro robótico. O Thermite RS3 é um rover de controlo remoto capaz de bombear milhares de …

Inventor dinamarquês que matou jornalista no seu submarino escapou da prisão (mas já foi apanhado)

O inventor dinamarquês Peter Madsen, condenado a prisão perpétua por torturar e assassinar a jornalista sueca Kim Wall, fugiu da prisão esta terça-feira.  As autoridades dinamarquesas capturaram-no minutos depois. Peter Madsen, o dinamarquês condenado a prisão …

Molécula descoberta por menina de 14 anos pode levar a uma cura para a covid-19

A jovem norte-americana de 14 anos, Anika Chebrolu, descobriu uma molécula que pode levar a uma potencial cura para a covid-19. Enquanto cientistas dos quatro cantos do mundo trabalham no desenvolvimento de uma vacina para a …

Cerca de 1.300 reclusos fogem de prisão no Congo após ataque do Estado Islâmico

Cerca de 1.300 reclusos escaparam de uma prisão na República Democrática do Congo na manhã de terça-feira, após um ataque reivindicado pelo Estado Islâmico, informou a Organização das Nações Unidas (ONU). Embora as autoridades locais tenham …

Amesterdão vai usar flores para impedir que os ciclistas estacionem bicicletas nas pontes

A cidade conhecida pelo uso de bicicletas, vai agora tomar uma medida em relação ao estacionamento destas nas pontes. Tudo para proteger as vistas para os seus famosos canais. Amesterdão orgulha-se de ser uma das cidades …

Morreu voluntário envolvido no ensaio da vacina de Oxford. Tinha 28 anos e era médico recém-formado

As autoridades de saúde brasileiras divulgaram esta quarta-feira a morte de um voluntário dos testes da vacina contra a covid-19, desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca e pela Universidade de Oxford. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), …

Milo, o "comunicador de ação" que permite conversar em grupo durante atividades ao ar livre

Chegou o Milo, o novo aparelho que vai revolucionar as aventuras em grupo. Este pequeno dispositivo permite-lhe conversar com o seu grupo à distancia sem precisar de levar o smartphone para o meio da montanha, …