Espanhóis e portugueses interessados na nova PPP do Hospital de Cascais

O concurso internacional para uma nova Parceria Público-Privada (PPP) no Hospital de Cascais atraiu a atenção de interessados portugueses e espanhóis.

Em maio do ano passado, o Governo deu a autorização para o lançamento de um concurso público internacional para a nova Parceria Público-Privada (PPP) no Hospital de Cascais. Este ano, “foi concluído recentemente o Relatório Final da Fase de Qualificação dos candidatos admitidos ao concurso para a gestão e prestação de cuidados de saúde no Hospital de Cascais”, segundo adiantou fonte oficial do Ministério das Finanças ao ECO.

Para já, o Ministério não revela os candidatos, que serão conhecidos após a aprovação do relatório. No entanto, o ECO avança que, entre os concorrentes do concurso, encontram-se a Lusíadas Saúde e a Ribera Salud.

A Lusíadas Saúde está no processo de concurso para a PPP e “encontra-se em fase de análise detalhada dos termos e condições expostos”, adiantou fonte oficial ao ECO. O grupo é o atual responsável pela gestão deste hospital já tinha sinalizado disponibilidade para concorrer novamente consoante as condições.

A Ribera Salud é grupo hospitalar espanhol, de em Valência, cuja atividade se centra precisamente em PPPs e pertence à Centene e ao Banco Sabadell. Em 2017, os espanhóis ponderavam concorrer à concessão do Hospital de Cascais.

O grupo, “desde 1999, tem sido convidado em diversas ocasiões por representantes da Administração Pública, entidades, associações profissionais, universidades de Portugal para divulgar a sua experiência e conhecimentos no modelo público-privado, visto que a Ribera tem participado desde o início no desenvolvimento do modelo público-privado de saúde”, apontou fonte oficial da Ribera, citado pelo mesmo jornal.

Para já, estes deverão ser os únicos concorrentes. A Luz Saúde, também gestora de PPP na Saúde em Portugal, decidiu não entrar na corrida.

O contrato de gestão com a Lusíadas Saúde no Hospital de Cascais terminava em 2018, mas foi prorrogado por até três anos para dar tempo para realizar um novo concurso, que estava atrasado. O contrato de gestão desta PPP deverá ser celebrado em 2022 e poderá custar até 859.651.217 euros ao Governo ao longo de oito anos.

  Maria Campos, ZAP //

 

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.